O que muda na imagem de um cinema para outro
Qual o melhor cinema para ver filmes?
Foto: Istock/Getty Images
Inovação > Comunicação

O que muda na imagem de um cinema para outro

Kaluan Bernardo em 19 de maio de 2016

Se preparando para assistir ao novo filme do “Capitão América 3: Guerra Civil” ou qualquer outro blockbuster com efeitos especiais arrasadores? Então é melhor escolher um bom cinema. Afinal, não há sofá e cobertor em casa que substituam a adrenalina proporcionada por uma tela gigantesca e um som bombástico, ainda mais com a tecnologia atual.

Diferente do que alguns pensam, cinema não é tudo igual. Há uma série de fatores que podem fazer a imagem e o som serem completamente diferentes, mudando muito a experiência de quem está pagando. Por isso, conversamos com Carlos Klachquin, consultor da Dolby, que trabalha garantindo a qualidade dos cinemas, para entender algumas das principais diferenças.

Há diferenças de qualidade na imagem de um cinema?

Sim, muitas. Primeiro é necessário considerar que há dois níveis de resolução sendo utilizados: o 2K (com 2.048 colunas pixels) e o 4K (com 4.096 colunas de pixels). No entanto, não funciona como se um fosse duas vezes melhor que o outro. “Como a imagem tem duas dimensões para um mesmo formato plano, ao passar de 2K para o 4K o número de pixels não duplica, quadriplica”, explica Carlos. Segundo ele, quanto mais perto estiver da tela, mais você perceberá a diferença.

Para que a imagem seja apresentada em 4K, não só o projetor precisa estar adaptado ao formato, o conteúdo também.  Mas há alguns esquemas de interoperabilidade. É possível mostrar filmes 2K em projetores 4K. “Haverá uma ligeira melhora da imagem”, diz Carlos. “Mesmo em 2K, a qualidade da imagem é equivalente à resolução que já tínhamos com filme 35 mm”, afirma.

via GIPHY

Outro fator importante é o brilho da imagem. Se não estiver bem regulado “pode se tornar um problema sério, principalmente em um filme 3D, que absorve algo na ordem de 2/3 da luz disponível”, explica. Ele diz que a situação é ainda mais sensível em telas grandes, nas quais o projetor precisa ser bem dimensionado para atingir um nível mínimo de brilho.

Um problema em relação à regulagem do brilho é que boa parte das lâmpadas usadas em projeção são xênon, que são caras e duram pouco. No entanto, elas estão sendo substituídas por projetores a laser, que garantem brilho e duração. No entanto, segundo Carlos, o processo de substituição ainda deve durar de seis a oito anos.

O técnico do cinema ainda deve garantir a correta regulagem do balanço de cores. “É comum projetores estarem desregulados. E existem normas técnicas bem claras de como o ajuste deve ser feito e quais instrumentos usar para medir o balanço com precisão”, diz.

A produção e finalização dos filmes é feita com rigor levando em conta o balanço de cores. Diretores de fotografia ajustam isso cena a cena. A correta regulagem da projeção é que garantirá a mesma imagem que o diretor pretendia.

A regulagem deve ser feita de tempos em tempos — da mesma forma que um carro precisa de revisão, uma sala de cinema também. Como é uma questão técnica, muitas vezes as pessoas nem discutem essa diferença. No fim, o espectador comum que não tem como checar os padrões técnicos deverá frequentar, naturalmente, as salas e redes de cinema em que ele perceber que a experiência é melhor. “Procure locais onde a apresentação é correta e você seja respeitado no seu direito de assistir a obra do diretor sem ser deturpada. Nada diferente da forma como escolhemos restaurantes”, conclui Carlos.

E todas aquelas siglas de IMAX, 4DX, Maxro XE e XD?

São formatos especiais utilizados pro determinadas redes de cinema. A 4DX (4D experience), por exemplo, foi desenvolvida  pela rede de cinemas mexicana Cinépolis e é usada para filmes em 3D. A quarta dimensão estaria nas cadeiras, que simulam aceleração, vibração e trepidação. As paredes dessas salas ainda têm mais de 20 efeitos de luz, água, vento e aromas.

Já o IMAX é mais antigo. Foi criado em 1968, mas só chegou ao Brasil em 1997 em um parque de diversões. Sua estreia em salas de cinema nacionais foi em 2007.

A sigla significa “image maximum” e realmente é muito maior do que uma convencional. Enquanto a tela de um cinema comum tem 5,1 metros de altura e 12,1 metros de largura, a do IMAX tem 16 de altura por 22 de largura. A resolução acompanha a diferença: o IMAX tem 10.000  por 7.000 pixels, enquanto uma tela convencional em 2K tem 2.048 por 1.080.

A Macro XE também foi criada pela Cinépolis e é sua resposta ao IMAX. A tela tem dimensões parecidas, mas conta com dois projetores 4K.

E, por fim, há a XD.  A tela é 70% maior do que uma tela comum e o sistema de som tem 12 mil watts de potência.

Capitão América 3: Guerra Civil
Steve Rogers (Chris Evans) é o atual líder dos Vingadores, super-grupo de heróis formado por Viúva Negra (Scarlett Johansson), Feiticeira Escarlate (Elizabeth Olsen), Visão (Paul Bettany), Falcão (Anthony Mackie) e Máquina de Combate (Don Cheadle). O ataque de Ultron fez com que os políticos buscassem algum meio de controlar os super-heróis, já que seus atos afetam toda a humanidade. Tal decisão coloca o Capitão América em rota de colisão com Tony Stark (Robert Downey Jr.), o Homem de Ferro.
Directed by: Anthony Russo, Joe Russo
Starring:
Chris Evans, Robert Downey Jr., Scarlett Johansson
Gostou deste post? Que tal compartilhar:
Últimos
Trend Tags
Array ( [0] => 76 [1] => 222 [2] => 237 [3] => 115 [4] => 17 [5] => 238 [6] => 92 [7] => 125 [8] => 173 [9] => 16 [10] => 276 [11] => 25 [12] => 157 [13] => 66 [14] => 67 [15] => 62 [16] => 153 [17] => 127 [18] => 12 [19] => 19 [20] => 187 [21] => 69 [22] => 154 [23] => 175 )
Vídeos
Copyright © 2016 Free the Essence