Como a MM.LaFleur pretende reinventar a moda online
mm.lafleur-curadoria-de-moda
foto: divulgação MM.LaFleur
Inovação > Comunicação

Como a MM.LaFleur pretende usar a curadoria para reinventar a moda online

Camila Luz em 13 de maio de 2016

Ainda que nem toda mulher tenha paciência para comprar roupas, a sociedade, especialmente o trabalho, muitas vezes exige que elas estejam com o guarda-roupa em dia. Foi pensando nelas que surgiu a MM.LaFleur, marca de moda online que funciona como um “clube de assinaturas” para renovar o look sem gastar muito tempo com isso.

Sarah LaFleur, fundadora da marca, criou a Bento Box, uma caixa com roupas e acessórios personalizados para o consumidor. Na loja online, o cliente fornece suas medidas e responde um curto questionário sobre seu estilo pessoal. Nesse sentido, a MM.LaFleur funciona como uma curadoria, uma vez que a marca se baseia nas informações pessoais fornecidas para montar os looks.

O objetivo é que a cliente economize o tempo que seria gasto vasculhando lojas e provando roupas. Perfil feito, o cliente passa a receber em casa os produtos selecionados para uma semana de trabalho.

O pedido mínimo custa US$ 100. Os valores variam de acordo com os tipos de peças solicitados pelo cliente. O serviço de moda online MM.LaFleur funciona nos Estados Unidos.

Riscos da moda online

Comprar online é uma solução para quem não quer gastar tempo indo até a loja física. Mas as peças adquiridas pela internet podem ter um caimento diferente do esperado, ou até mesmo não caber.

No Brasil, por exemplo, a mesma mulher pode ter várias calças de tamanhos diferentes, como 38, 40 ou 42. Dependendo da marca, da modelagem e do tecido, a numeração pode variar. A foto bidimensional também pode não corresponder à realidade. Dependendo da iluminação, a imagem pode distorcer a cor e passar uma ideia errada do produto. Para ter certeza, só provando. Por isso, comprar roupas pela internet envolve um certo risco.

A MM.LaFleur entende esses riscos e foi na contramão da tendência das vendas online. A consumidora não vê as peças no site. Ela só as vê quando as recebe em casa. Caso goste, pode ficar com elas. Do contrário, é só devolver.

tres mulheres fundadores do mmlafleur

Fundadoras da MM.LaFleur. foto: divulgação.

O designer japonês Miyako Nakamura trabalha com Sara na curadoria das peças, selecionando o que será enviado para cada cliente. Ele defende que a consumidora será mais beneficiada se as roupas forem escolhidas por profissionais que têm acesso às peças. “Nós realmente conhecemos nossas roupas melhor”, disse Miyako em entrevista à True Viral News. “Se o cliente compartilhar informações sobre seu corpo e gostos, acho que podemos identificar exatamente o que irá funcionar”, conclui.

Leia também: Caixa Cosmo, o pacote surpresa de produtos artesanais

Montar o look de trabalho pode ser uma experiência divertida

Sarah LaFleur trabalhava com finanças e tinha um armário cheio de roupas sociais clássicas, como terninhos e calças formais. Naquela época, sonhava com um guarda-roupa mais inspirador para si mesma e para todas as mulheres inseridas no mundo corporativo.

Em 2013, fundou a MM.LaFleur. Seu objetivo é transformar o ritual de se vestir para o trabalho em algo mais fácil e descontraído. Em seu site oficial, diz que a marca existe para “fazer a mulher ficar bonita e se sentir bonita, sem ter que trabalhar muito duro para isso”.

Muitas empresas têm dress code, exigindo que suas funcionárias invistam em peças pouco versáteis, exclusivas para o ambiente de trabalho. Trajes sociais também costumam ter custo mais alto. Montar o look do dia pode ser uma tarefa cara, trabalhosa e nada divertida.

box, mulher e estilo

foto: reprodução do site mmlafleur.com

Com o sistema criado por Sarah, o consumidor fica sempre na expectativa do que vai receber. É como esperar por uma caixinha de surpresas, recheada de produtos que atendem aos seus interesses. São personalizados e práticos.

Ao lado de Nakamura, Sarah cria roupas com aparência luxuosa, mas que podem ser lavadas na máquina. Assim, pretende atender profissionais que precisam estar bem vestidas, mas devem estar preparadas para uma viagem a trabalho de última hora, por exemplo.

É a cara da mulher moderna? Dê a sua opinião.

Gostou deste post? Que tal compartilhar:
Últimos
Trend Tags
Array ( [0] => 76 [1] => 222 [2] => 237 [3] => 115 [4] => 17 [5] => 238 [6] => 92 [7] => 125 [8] => 173 [9] => 16 [10] => 276 [11] => 25 [12] => 157 [13] => 66 [14] => 67 [15] => 62 [16] => 153 [17] => 127 [18] => 12 [19] => 19 [20] => 187 [21] => 69 [22] => 154 [23] => 175 )
Vídeos
Copyright © 2016 Free the Essence