Artista digital usa a internet como galeria
Foto: Reprodução
A polivalência da arte digital de Rafael Rozendaal
Inovação > Comunicação

Rafael Rozendaal utiliza a internet como galeria para sua arte digital

Kaluan Bernardo em 17 de abril de 2016

Você já pode ter pensado na internet como um espaço para discutir, se informar, conhecer novas pessoas ou culturas. Mas, já parou para vislumbrar a web como uma grande galeria para expor arte digital? Pois é exatamente assim que o artista Rafael Rozendaal vê a rede.

Interventor na internet desde 2001, ele participa do Movimento Neen, que mistura web com arte. O trabalho de Rozendaal é abstrato, mas varia bastante: pode ser um site com quadrados pretos e brancos piscando freneticamente; um quarto virtual colorido; um plugin que remove qualquer texto da internet; ou até um papel higiênico digital (descobrimos que se você gastar ele todo, ele acaba).

browser transformado em tapete colorido

“Abstract Browsing” Foto: Reprodução

Para ele, a internet é um grande repositório. “Estamos criando uma biblioteca universal, então vou fazer trabalho para essa biblioteca universal”, disse à revista Wired. Ao olhar um de seus sites, “você não está olhando para uma imagem do trabalho, mas sim para o trabalho em si”, afirma.

A visão da arte digital de Rozendaal

Rozendal é neto do ex-presidente brasileiro Castelo Branco e filho de artistas plásticos. Seu pai é holandês e a mãe é brasileira, mas ele nasceu na Holanda. Ele vê a internet como uma galeria. O domínio de cada site que ele cria é vendido, como se fosse um quadro. “O conteúdo de cada trabalho é público, mas a posse é exclusiva”, diz o artista à página The Creators Project.

A criatividade interativa começou a aparecer já aos cinco anos de idade, quando imaginava desenhos (que não necessariamente contavam uma história) se mexendo na parede. “Fui para a escola de arte e comecei a estudar criações em vídeo e experimentar com imagem em movimento”, contou à revista Complex.

Ao descobriu a internet, pensou: “Isso é muito interessante e é demais não haver autoridade. Posso publicar o que eu quiser. Não tenho que conhecer as pessoas certas”. A relação de Rozendal com a web é tão intensa que resolveu até tatuar a palavra “internet” no lábio inferior.

lábio inferior com uma tatuagem que diz "internet"

Rozendall e sua famigerada tatuagem em homenagem à arte digital. Foto: Arquivo Pessoal

Ele conta que parte do que mais o interessou em expor sua arte na internet foi o alcance que a web proporcionava. Enquanto em uma exposição comum ele alcançaria 200 a 250 pessoas, suas páginas na internet chegavam facilmente a milhões.

O computador e a internet estão empoderando os indivíduos e ultrapassando o establishment do mundo da arte.

“É tudo imprevisível. A arte é o caminho do risco, mas meu mercado parece estar crescendo. Eu posso fazer o que quero todos os dias. E isso é incrível”, comenta.

Hoje, ele usa as redes sociais praticamente como um caderno de rascunhos. “Você pode me seguir no Twitter e no Instagram e verá links e imagens e outras coisas em que estou trabalhando. Quero que minha prática seja inclusiva, por isso é tudo tão aberto. Uso as redes sociais para mostrar o processo”, explica.

As várias faces da arte digital

A arte de Rozendaal já saiu da internet para o plano físico diversas vezes. Ele expôs seu trabalho no mundo todo, incluindo lugares como a Times Square (em Nova York, nos EUA), no Museu da Imagem e Som (em São Paulo) e no W139 (em Amsterdam, na Holanda).

 

Time Square exibe obras coloridas nas telas

Obra “Better than this”, exposta em plena Times Square, em Nova York. Gif: Reprodução

Rozendaal ainda produz artes lenticulares – uma impressão física com efeito tridimensional e que mostra algo diferente dependendo do ângulo que você vê. Lembra dos antigos tazos holográficos? É algo parecido. Veja algumas:

artes lenticulares

Tecnologia lenticular da arte digital de Rozendall. Gif: Reprodução

Ele também produz alguns hakais, não necessariamente relacionados a temas digitais, como esse:

explaining art
is like
explaining jokes

Traduzindo, seria algo como: “explicar arte é como explicar piadas”.

E você? Entendeu e curtiu a arte de Rozendaal? Ou precisaria que alguém explicasse? Comente abaixo.

Gostou deste post? Que tal compartilhar:
Últimos
Trend Tags
Array ( [0] => 76 [1] => 222 [2] => 237 [3] => 115 [4] => 17 [5] => 238 [6] => 92 [7] => 125 [8] => 173 [9] => 16 [10] => 276 [11] => 25 [12] => 157 [13] => 66 [14] => 67 [15] => 62 [16] => 153 [17] => 127 [18] => 12 [19] => 19 [20] => 187 [21] => 69 [22] => 154 [23] => 175 )
Vídeos
Copyright © 2016 Free the Essence