Antibiótico achado no nariz pode mostrar método de combater doenças
antibiótico
Foto: Istock/Getty Images
Inovação > Saúde

Antibiótico achado no nariz pode ser método de combater doenças

Pedro Katchborian em 18 de agosto de 2016

Você pode ter a cura para uma doença que mata milhares de pessoas literalmente no seu nariz. Pelo menos é o que mostrou uma pesquisa feita por cientistas da Universidade de Tübingen, na Alemanha. Segundo os pesquisadores, uma bactéria que fica dentro do nariz pode ser utilizada para fazer um antibiótico.

Segundo Andreas Peschel, um dos líderes da pesquisa, a descoberta vai além de simplesmente achar um remédio. “Estamos achando um novo conceito de descobrir antibióticos”, afirma.

Peschel e o bacteriologista Bernhard Krismer, também da Universidade de Tübingen, investigaram por que uma em cada três pessoas carregam a bacteria Staphylococcus aureus no nariz. Normalmente, essa bactéria é inofensiva, mas pode acontecer dela causar doenças e chega a matar mais de 10 mil pessoas por ano nos Estados Unidos. Os cientistas descobriram que algumas pessoas carregam e outras não pois o nariz não é um lugar muito bom para as bactérias.

foto de rosto de mulher mostrando só a boca e o nariz

Foto: Istock/Getty Images

Sabendo disso, os cientistas buscaram outras bactérias no nariz para competir com a S.aureus. A análise descobriu que a bactéria Staphylococcus lugdunensis impedia que a S.aureus crescesse. Então, os pesquisadores conseguiram sintetizar o composto antibiótico da S. lugunensis, chamando-o de lugdunin. O antibiótico foi aplicado em ratos infectados com S.aureus e se mostrou bem-sucedido.

“Isso é muito empolgante por que mostra evidências que existe uma guerra de micróbios ocorrendo em nosso corpo”, explica Jack Gilbert, microbiólogo da Universidade de Chicago, em Illinois, ao Science Mag.

Apesar da descoberta, Peer Bork, biólogo da European Molecular, alerta para os perigos desse possível desequilíbrio ecológico, caso a população da S.aureus seja dizimada. “É mais complexo do que vantagens e desvantagens. Mexer nisso pode destruir relações evoluídas há muito tempo”, comenta.

Antibióticos precisam combater a resistência

Em maio de 2016, foi lançada uma campanha para mostrar os perigos da resistência antimicrobiana. Para isso, foi pedido um relatório sobre o assunto pelo então Ministro do Reino Unido, David Cameron e liderado pelo economista Jim O’Neill.

Leia mais:
Professor de Harvard transforma bactéria em fonte de energia
Cientistas gravam dados em bactérias e as transformam em HDs

O relatório mostrou que usar drogas antimicrobianas (não só antibióticos como drogas contra infecções virais, parasitas ou de fungos) acaba espalhando patógenos que podem tolerar essas drogas. A resistência vai aumentando e 700 mil pessoas morrem todos os anos com infecções resistentes à remédios. Até 2050, essas infecções podem matar mais pessoas do que o câncer.

A descoberta do composto antibiótico no nariz se encaixa nas sugestões do relatório. Segundo o trabalho, deve-se investir no desenvolvimento de novas drogas. Além de ser benéfico para a saúde, esse tipo de investimento pode ajudar a economizar no futuro. Estimativas apontam que o apoio dessas descobertas pode custar de US$ 3 a 4 bilhões por ano, pouco considerando que a resistência antimicrobiana pode custar US$ 100 trilhões até 2050.

Uma das estratégias para incentivar essas pesquisas seria o pagamento para empresas farmacêuticas. O desenvolvimento de drogas antimicrobianas não costuma ser lucrativo para as companhias. Portanto, sugere-se que exista um sistema de pagamento para as empresas farmacêuticas que investirem no desenvolvimento de antibióticos.

Gostou deste post? Que tal compartilhar:
Últimos
Trend Tags
Array ( [0] => 76 [1] => 222 [2] => 237 [3] => 115 [4] => 17 [5] => 238 [6] => 92 [7] => 125 [8] => 173 [9] => 16 [10] => 276 [11] => 25 [12] => 157 [13] => 66 [14] => 67 [15] => 62 [16] => 153 [17] => 127 [18] => 12 [19] => 19 [20] => 187 [21] => 69 [22] => 154 [23] => 175 )
Vídeos
Copyright © 2016 Free the Essence