Anticoncepcional masculino: como funciona e a história do método
anticoncepcional masculino
Foto: Istock/Getty Images.
Inovação > Saúde

Anticoncepcional masculino: como funciona e o surgimento do método

Pedro Katchborian em 26 de julho de 2016

Em 1957, quando o cientista Gregory Pincus, um dos co-inventores da pílula anticoncepcional feminina, estudava métodos contraceptivos, ele tentou a mesma abordagem hormonal da pílula em homens, sem sucesso. Passados quase 60 anos, a sociedade ainda espera por um anticoncepcional masculino efetivo, embora exista uma previsão de que o Vasalgel, novidade do mercado, chegue em 2017. Mas qual é a história por trás dos métodos contraceptivos masculinos?

Andy Extance, do Quartz, elenca alguns fatores que ajudam a entender os motivos pelos quais o método masculino demorou tanto para chegar. Na década de 70, o campo de pesquisa em busca do controle da fertilidade masculina era muito mais intenso, com governos apoiando vários projetos para impedir que o planeta ficasse muito cheio. Na conferência da ONU World Population, em 1974, o médico brasileiro Elsimar Coutinho já promovia um remédio, que estava em testes na Universidade Federal da Bahia. Mesmo assim, o projeto não foi para frente.

Em entrevista para o programa Roda Viva, Elsimar Coutinho aponta o movimento feminista dos Estados Unidos como um dos possível culpados para o projeto da pílula não ter caminhado na época, já que houve protestos das mulheres na época.

cartela de remédios com comprimidos amarelo e vermelho

O estudo por métodos contracepcivos masculinos começou nos anos 50. Foto: Istock/Getty Images

O próprio Elsimar já trabalhava no campo desde os anos 60, quando fez uma parceria com o governo chinês, que estava interessado em diminuir o ritmo dos nascimentos no país e queria o anticoncepcional masculino para o controle de fertilidade. Em 1972, mais de 8 mil homens fizeram testes com uma pílula fabricada com o componente gossipol, encontrado nas plantas do gênero Gossypium.

Apesar do nível de contagem no esperma ter diminuído de maneira satisfatória, os efeitos colaterais foram muito intensos: 66 homens demonstraram pouca taxa de potássio no sangue, enquanto a contagem de esperma em muitos outros não voltou ao normal. Depois, pesquisadores conduziram outros testes em ratos e comprovaram que o gossipol não era a melhor opção.

Mesmo assim, Coutinho continuou a sua busca e ainda acredita no poder do gossipol. Depois de se juntar com uma equipe de cientistas internacionais, o brasileiro publicou os resultados das pesquisas em 2000 e mostrou que o problema de potássio era relacionado a dieta dos homens.

Leia mais: Startups inovam com produtos para aliviar os sintomas da menstruação

Foi então que ele pensou em lançar o contraceptivo no Brasil e trabalhou com a farmacêutica Hebron em 2001. O fundador da farmacêutica, Josimar Henrique da Silva, disse a Elsimar que tentou conversar com José Serra, Ministro da Saúde na época, mas não obteve resposta. Para Elsimar, o problema no caso foi o machismo.

Nós trabalhamos por muitos anos e percebemos que os homens têm muito medo de perder a virilidade.

Ainda assim, interesse não falta: uma pesquisa de 2005 feita com nove mil homens em nove países diferentes mostrou que metade deles estavam dispostos a usar um método contraceptivo capaz de acabar com a produção de esperma.

Será que o anticoncepcional masculino vai funcionar?

Com tantos testes e interessados, o Quartz explica os motivos pelos quais a pílula só saiu agora. Para Andy Extance, são vários: a pressão da igreja, a dificuldade de lançar medicamentos na indústria farmacêutica e o machismo são os principais.

homem segurando ampola com gel transparente

Vasalgel tem previsão de chegar ao mercado em 2017. Foto: Divulgação

É aí que chega o Vasalgel: em fase avançada de testes, o método não envolve hormônios. Desenvolvido pela Parsemus Foundation, uma ONG americana, o método é um gel de polímeros que é aplicado nos vasos deferentes do órgão reprodutor masculino, formando uma barreira semipermeável em que os espermatozóides não conseguem passar. É como se fosse uma vasectomia facilmente reversível, em que o homem pode simplesmente tirar o gel dos vasos caso queira ter filhos. Testes indicam que o Vasalgel vai funcionar e não deve trazer efeitos colaterais para os homens.

O RISUG é outro anticoncepcional masculino desenvolvido com um gel injetável. Criado na Índia, os testes do RISUG mostram que o efeito de uma dose pode prevenir a gravidez por até 10 anos. A grande diferença entre o RISUG e Vasalgel é a fórmula. O RISUG está em fase de testes desde 2010 e deve chegar ao mercado da Índia e dos Estados Unidos nos próximos anos.

Gostou deste post? Que tal compartilhar:
  • Mergulho Mergulhão

    “Para Elsimar, o problema foi o machismo.”
    Mentira deslavada. Elsimar disse em uma entrevista que havia sim muitos homens desejando e que havia lobby feminista envolvido pra boicotar. Eu mato a cobra e mostro ela morta. FAKE news

  • Mergulho Mergulhão
  • Mergulho Mergulhão

    Óbvio que esse lobby não representa às mulheres. Até porque sempre se colocou como porta-voz em toda a história. Alegavam que não podiam confiar na decisão do homem porque ele “poderia mentir” se usou, e tiraria da mulher o “poder” de exclusividade.

Últimos
Trend Tags
Array ( [0] => 237 [1] => 205 [2] => 76 [3] => 222 [4] => 157 [5] => 12 [6] => 249 [7] => 94 [8] => 97 [9] => 267 [10] => 68 [11] => 115 [12] => 186 [13] => 17 [14] => 173 [15] => 175 [16] => 238 [17] => 62 [18] => 92 [19] => 276 [20] => 236 [21] => 25 [22] => 153 [23] => 125 [24] => 16 )
Vídeos
Copyright © 2016 Free the Essence