Biomimética: conheça 5 produtos que imitam a natureza
biomimetica
Foto: Istock/Getty Images
Inovação > Tecnologia

Biomimética: conheça 5 produtos que imitam a natureza

Pedro Katchborian em 5 de novembro de 2016

Aqui no Free The Essence já detalhamos o que é a biomimética. Resumidamente, é o ato de observar e estudar a natureza e, através da ciência, reproduzir os processos que nela ocorrem. Ou seja: a natureza serve de inspiração para a criação de produtos, métodos de gestão de empresas e até na construção de prédios.

Segundo Giane Cauzzi Brocco, uma das co-fundadoras do Instituto de Biomimética no Brasil, o estudo é “imitar a vida”. “Não é uma imitação barata. É aprender com a natureza“, define. Segundo Giane, a biomimética faz da natureza uma mentora e não uma simples fonte de extração. “Criamos tecnologias, produtos, sistemas e serviços com base em como a natureza faz”, explica.

Para ilustrar melhor o que é a biomimética aplicada, separamos cinco exemplos de produtos que imitam a natureza:

A biomimética aplicada

Velcro e as plantas

velcro azul

Foto: Istock/Getty Imahes

Quem diria que aquele tênis de velcro que você usou na 4ª série tem inspiração na natureza? Inventado em 1948 pelo eletricista suíço Georges de Mestral, o velcro nada mais é do que microganchos que se conectam com ganchos menores.

A inspiração de Georges veio ao observar como algumas plantas grudavam em pelos de cachorros. Ao observar no microscópio, ele reproduziu a ideia com um material feito de algodão — o que não deu certo. Posteriormente, teve êxito ao fazer o material com nylon e poliéster.

Speedo Fastskin e o tubarão

A linha de maiôs Speedo Fastskin para a natação se envolveu em diversas polêmicas, mas tem um preceito da biomimética. Um modelo dessa linha foi até banido em 2009, pois melhorava consideravelmente o desempenho do atleta. A grande questão é que esse maiô é inspirado na pele do tubarão, que contém pequenos dentículos cutâneos que facilitam a movimentação do animal na água.

Essas pequenos dentículos foram imitados no maiô. Segundo George Lauder, um pesquisador de Harvard, apesar do produto trazer vantagens para os atletas, nada tem a ver com essa propriedade baseada no tubarão. Lauder fez estudos e afirma que esses dentículos só fazem diferença em um corpo flexível como o tubarão — não há benefícios no corpo humano. Para ele, o maiô cria benefícios ao melhorar a circulação dos nadadores.

Lâmpada de LED e o vagalume

A radiação da luz dos vagalumes é ampliada pela sua anatomia, de acordo com uma pesquisa feita por cientistas da Bélgica, França e Canadá. Baseado nessa conclusão, cientistas construíram uma estrutura de LED similar. O resultado foi uma luz com 55% mais brilho.

E-readers e borboletas

A Qualcomm MEMS Technologies usou uma inspiração bem peculiar para fazer a tela do seu e-reader: baseada na maneira que a asa de uma borboleta brilha, o gadget reflete a luz, tornando possível a leitura na luz do dia.

Água e o besouro da namíbia

O besouro do deserto da Namíbia tem um truque daqueles pra beber água. Ele consegue carregar gotículas da neblina em suas costas, juntando-as até virar gotas de água para então bebê-las.

 

Pesquisadores do MIT desenvolveram um material feito de vidro e plástico que imita o besouro. Esse material pode ser usado para coletar água e outros líquidos. Uma garrafa que coleta água da neblina também está sendo desenvolvida.

Gostou deste post? Que tal compartilhar:
Últimos
Trend Tags
Array ( [0] => 76 [1] => 222 [2] => 237 [3] => 115 [4] => 17 [5] => 238 [6] => 92 [7] => 125 [8] => 173 [9] => 16 [10] => 276 [11] => 25 [12] => 66 [13] => 67 [14] => 157 [15] => 62 [16] => 153 [17] => 127 [18] => 12 [19] => 19 [20] => 187 [21] => 69 [22] => 154 [23] => 175 )
Vídeos
Copyright © 2016 Free the Essence