Dia dos pais: Como a tecnologia ajuda a relação de pais e filhos
pais (1) (1)
Foto: Istock/Getty Images
Inovação > Tecnologia

Como a tecnologia se tornou uma aliada de pais e filhos

Rafael Nardini em 31 de julho de 2017

Pintada como origem de muitos problemas, a revolução tecnológica quase nunca é lembrada quando o assunto é paternidade. Poucas são as vezes que alguém pensa quanto a nova fluidez das vidas conectadas está presente na relação entre pais e filhos.

Estima-se que as crianças passem seis horas ou mais diárias em frente de uma tela. Isso inclui televisão, redes sociais, tablets, smartphones, computadores e outros eletrônicos como consoles. E, vamos combinar, é muito tempo. Mas você é capaz de fazer pior que seus filhos, pode acreditar. Se por um lado pode soar como preocupante, por outro lado, pode ser uma ótima oportunidade para jogar FIFA por horas e ensinar um pouco sobre competir sem perder a esportividade, sobre ganhar e como saber perder. Essa porção de situações que seus filhos vão enfrentar durante a vida toda podem.

Numa era em que os adultos sofrem para criar relacionamentos saudáveis até com os smartphones, os pais podem escolher se essas experiências serão boas ou ruins com seus próprios rebentos. Podem – e devem – escolher entre embarcar na onda tecnológica ou ficar para trás e distantes dos seus filhos.

Foto: Istock/Getty Images

Segundo pesquisa do Instituto Brasileiro de Geografia de Estatística (IBGE) divulgada em 2013, a chamada “geração Z” – população de 0 até 18 anos – corresponde a cerca de 29% da nossa população (cerca mais de 59 milhões de brasileiros). E essa massa enorme de brasileirinhos já não enxerga barreiras entre online e offline. E, bem, os pais desses filhos ultraconectados podem ficar tranquilos, já que eles devem trabalhar e ganhar mais dinheiro que as gerações que os antecederam mesmo passando tanta tempo na frente de uma tela.

O levantamento “TIC Kids Online Brasil” de 2015 aponta para cerca de 23,6 milhões de internautas entre 9 e 17 anos. Desses, 85% faziam uso da internet via smartphone. Mais de 80% também acessa a internet diariamente. Ou seja: a internet está na mão dos filhos, disponível, e isso não vai mudar. E aí a relação muitas vezes se inverte, quando os filhos é quem são os principais “professores” dos pais. Ou ainda rolam aquelas conversas hilárias de pais e filhos no WhatsApp.

Em entrevista ao UOL Tab, o produtor musical Pedro Nicolas, 46, pai de Hugo e Tomas, 10 e 12 anos, deu o tom do que parece ser a realidade de boa parte dos pais da geração Z. “Muitas vezes, quando me pergunto se meus filhos sabem de uma coisa, é como se eu estivesse indo com o fubá e eles voltando com o bolo”. Tem algo mais saboroso que aprender com os próprios filhos?

Novos brinquedos

Os brinquedos da velha guarda que os pais e os filhos desfrutaram juntos por décadas podem nunca sair de moda — vide o Lego (que falamos mais adiante) –, mas a verdade é que os jogos eletrônicos estão cada vez mais complexos e interessantes para todos as idades. Pense num carrinho de controle remoto dos anos 1990. E agora veja o que não deve ser ver seu filho mandando ver com um drone? Ok, os custos não são dos mais baratos, mas a tecnologia tem o poder de encurtar esse caminho. E quando você menos esperar, os drones vão custar R$ 100 ou R$ 200.

A tecnologia também parece ter acabado com o advento da desculpa “mas o pai não sabe fazer”. Quer montar um castelo de Lego? O YouTube ensina. Não sabe montar um balanço? O YouTube ensina. Então, bora colocar as mangas de fora?

Para completar a festa, nada melhor que guardar e compartilhar memórias. E as crianças adoram vídeos, fotos, câmeras e qualquer tipo de tela, certo? E está ao seu alcance agora, para fazer tudo da forma mais criativa, com a ajuda dos filhos, direto no smartphone.

Pais e filhos no mundo digital

Usada com equilíbrio, a tecnologia é uma forma incrível de encorajar a educação e fortalecer relacionamentos dentro da própria família. Como? É com a tecnologia que os pais são capazes de se comunicarem com seus filhos sem se desesperar. Basta uma mensagem de WhatsApp e lá estará a relação restabelecida.  Viagem a trabalho constantemente? Pode não ser o ideal, mas acredite: sem o Skype seria muito pior.

Foto: Istock/Getty Images

Sem contar a imensa quantidade de tempo que pais de todas as idades dispensavam antes para equilibrar trabalho, compromissos presenciais — que agora podem ser substituídos pela internet — com tempo para dar aquela forcinha na lição de casa dos filhos.

Já sabemos que a presença dos pais é muito mais positiva para os filhos, que ganham maiores chances de crescerem emocionalmente estáveis ​​e se tornarem mais bem-sucedidas. De outro lado, um pai ausente é capaz de causar um grande impacto, inclusive no tempo que as crianças passam em frente a um gadget, para dizer o mínimo.

A Sociedade Internacional de Tecnologia na Educação recomenda que as crianças possuam habilidades tecnológicas básicas até a idade de 5 anos, mas o tempo de tela para as crianças deve ser o menor possível até os 2 anos. Duas horas por dia é a quantidade máxima de tempo que crianças e adolescentes. Pode parecer pouco, mas é tempo suficiente para muita “Peppa Pig”, “Hora de Aventura” e montão de desenhos infantis que são mais do que adorados pelos próprios pais. Aproveite a viagem.

5 aplicativos para pais e filhos

Lego App

De geração para geração. Se os pais montaram castelos, naves e toda sorte de empreendimentos com pecinhas de plástico, agora é a hora de enfrentar os desafios virtuais. Feito especialmente para que pais e filhos construam objetos e imagens em conjunto. Há ainda a possibilidade de “competir” com os filhos.

Kid Mode

Muito importante para você saber o que seu filho não deve acessar. Com ele, o smartphone passa a ser adaptado apenas para as crianças, impossibilitando qualquer problema. Há ainda uma série de sugestões de jogos educativos e materiais específicos para os pequenos.

Skype

As crianças adoram interações virtuais com os pais. Aquele tempo de apenas matar a saudade com a voz pelo telefone passou. É incrível como a sensação de proximidade se amplia com a simples exposição às imagens dos pais.  Perfeito para pais que trabalham viajando e não podem estar presentes todo o tempo.

Tellme School

Espécie de agenda especial para você acompanhar o desenvolvimento dos pequenos na escola. Pais e filhos prontinhos para os desafios de uma educação cada vezes mais multidisciplinar e interconectada. No Tellme, pais e filhos ganham uma agenda eficiente entre escola, alunos e pais. Para tudo correr certo, o app depende de ser adotado também pela escola.

YouTube Kids

Lançado em abril de 2016, o aplicativo especial da gigante de vídeos garante que seus filhos terão acesso apenas a conteúdos feitos para eles. É a festa da criançada separada em quatro canais “Entretenimento”, “Saiba”, “Procurar” e “Music”. E o melhor com segurança.

Tecnologia demais estraga

Lembre-se sempre: todo hábito ruim tem um peso do comportamento dos próprios pais. Se não fosse assim, o que explicaria a relação entre pais que fazem uso excessivo de computadores e smartphones e o comportamento, digamos, birrento de seus filhos? Quem levanta a lebre é a Universidade de Illinois, nos Estados Unidos, que comprova que a birra do seu filho pode ser fruto das maratonas infinitas na Netflix.

Após analisar o comportamento de 170 pais e mães norte-americanos em relações estáveis, os resultados indicaram que pais que não desgrudam dos aparelhos com telas deixam os filhos impacientes e frustrados com mais facilidade. Ou seja, dê o exemplo e use a tecnologia com moderação. O relacionamento real com seu filho, agradece.

Gostou deste post? Que tal compartilhar:
Últimos
Trend Tags
Array ( [0] => 205 [1] => 76 [2] => 237 [3] => 97 [4] => 222 [5] => 62 [6] => 157 [7] => 276 [8] => 12 [9] => 249 [10] => 86 [11] => 94 [12] => 267 [13] => 68 [14] => 16 [15] => 115 [16] => 186 [17] => 17 [18] => 102 [19] => 173 [20] => 175 [21] => 238 [22] => 92 [23] => 236 [24] => 79 )
Vídeos
Copyright © 2016 Free the Essence