Printare, a empresa que fornece serviços de impressão 3D sob demanda
impressão 3D
Foto: Istock/Getty Images
Inovação > Tecnologia

Printare, a empresa que fornece serviços de impressão 3D sob demanda

Pedro Katchborian em 26 de agosto de 2016

A Printare é uma empresa que tem um objetivo interessante: em um mundo em que a impressão 3D vai, aos poucos, popularizando-se, a startup tem um modelo de negócio diferente ao fornecer o serviço de impressão 3D para estudantes e empresas.

maquete de casa impressa em impressora 3D

Foto: Reprodução/Facebook Printare

A ideia foi do CEO da empresa, Ricardo Stary, estudante de engenharia aeroespecial na Universidade Federal de Minas Gerais. O projeto nasceu quando Ricardo foi mexer com a impressora 3D de sua faculdade para um projeto, mas notou que o equipamento ficava quase em desuso, trancado em uma sala. “Eu pensei: poxa, tem tanta gente que poderia usar essa impressora e ela fica trancada nessa sala”, comenta.

Então, ele foi aos Estados Unidos para estudar e se especializar no tema. Na volta, fundou a Printare em julho de 2016 com a ajuda de amigos. “Temos essa impressão de que tudo aqui é muito caro. A ideia é mostrar que é algo bem acessível“, completa.

O preço varia bastante, já que os serviços fornecidos pela Printare são os mais variados. Ricardo garante que o “preço é competitivo e que só trabalham com o custo do material e um valor baixo pela impressão”. Há também um desconto para estudantes.

pokemons impressos em impressora 3D

Foto: Reprodução/Facebook Printare

Os principais trabalhos feitos pela Printare têm sido entre estudantes de arquitetura, embora eles também estejam fazendo projetos com construtoras. Apesar do mercado nichado até agora, Ricardo diz que não há limites para o tipo de trabalho que a empresa pode fazer. “Na impressão 3D tudo é possível, basta a ideia“, conta. O site reforça o argumento: “traga sua ideia, seja ela um colecionável, brinde, joia, maquete, protótipo, miniatura, brinquedo, utensílio doméstico ou criações próprias”, diz a página.

Outros detalhes chamam a atenção na produção da empresa: a Printare trabalha com equipamentos nacionais: as impressoras são da Cliever, companhia do Rio Grande do Sul. Além disso, o material que a empresa trabalha é totalmente biodegradável.

Printare: o futuro da impressão 3D?

Para o futuro, a empresa deseja levar a Printare para centros universitários. Além disso, há um interessante projeto que estão trabalhando para pessoas com deficiência visual. A ideia é adaptar materiais escolares, como tabelas periódicas, com o braile. “Nossa intenção é focar na interação cliente-empresa”, explica.

Leia mais:
Qual será o impacto da impressora 3D de comida na alimentação
Urban3D, a empresa que quer imprimir casas populares

O modelo de negócio da empresa segue a tendência atual das pessoas não serem mais donas de hardware ou software. “A ideia é que os prestadores de serviço forneçam preços competitivos para que a pessoa possa focar no trabalho dela e não se preocupar em comprar uma impressora 3D”, diz. ” A pessoa pode contratar um serviço paralelo e ficar preocupada somente com a marca dela. Eu vejo esse futuro do desapego das pessoas sobre os bens”, completa.

Um exemplo de plataforma que é product-as-a-service é o Uber: o carro e o motorista se juntam para fornecer uma carona. Quem solicita um Uber não é dono do carro. A principal vantagem desse mercado é que tem um alto potencial de fidelizar o usuário, enquanto para o cliente normalmente é bem mais barato do que adquirir o produto em si.

Gostou deste post? Que tal compartilhar:
Últimos
Trend Tags
Array ( [0] => 76 [1] => 222 [2] => 237 [3] => 115 [4] => 17 [5] => 238 [6] => 92 [7] => 125 [8] => 173 [9] => 16 [10] => 276 [11] => 25 [12] => 157 [13] => 66 [14] => 67 [15] => 62 [16] => 153 [17] => 127 [18] => 12 [19] => 19 [20] => 187 [21] => 69 [22] => 154 [23] => 175 )
Vídeos
Copyright © 2016 Free the Essence