Tecnologia e moda: vestidos high-tech que você pode usar
3d-tendenciastv-nervous-system-impressao-3d
Foto: divulgação/Steve Marsel Studio
Inovação > Tecnologia

Moda e tecnologia: vestidos high-tech que você realmente pode usar

Diana Assennato em 7 de abril de 2016

As novidades da tecnologia se aproximam cada vez mais da moda. Hoje, é possível, por exemplo, criar vestidos em uma impressora 3D. E uma das principais empresas à frente dessa tendência é a Nervous, que, em 2014, lançou sua primeira peça completamente feita na máquina aliando tecnologia e moda.

Este ano a empresa criou um novo modelo, desenvolvido com tecnologia chamada Kinematics Dress. Ela imprime pedaços de plástico, unidos por fios de nylon, que são colocados em camadas que parecem pétalas. Nem parece que a roupa é feita de plástico – de tão fluído que é o caimento.

Um dos fatores que mais chama a atenção na tecnologia é a possibilidade de personalizar o vestido completamente. Os designers tiram, virtualmente, todas as medidas do corpo da pessoa e conseguem modelar a roupa para ter as melhores medidas possíveis. A peça é feita em apenas duas impressões: uma para a parte da saia e outra para a da blusa.

Tecnologia e moda: o futuro

Em 2014, quando a Nervous criou seu primeiro modelo de vestido feito em impressora 3D, ela causou tanto frisson que o MoMA (Museu de Artes Modernas) resolveu deixa-lo em Nova York na exposição “This is For Everyone: Design Experiments for the Common Good” (“Isso é para todos: experimentos de design para o bem comum”, em tradução livre).

Ele tem algumas diferenças para a versão de 2016. Enquanto o novo parece feito de pétalas e é mais flexível; o de 2014 foi feito de milhares de painéis triangulares, impressos todos de uma vez. Veja abaixo como foi criado:

Apesar da proposta de design democrático do MoMA, o preço dos vestidos (tanto o de 2014 quanto o de 2016) ainda estão longe de serem acessíveis. Ambos custam US$ 3 mil para serem produzidos.

Os desenvolvedores acreditam que, em um futuro próximo, o preço irá reduzir. “Nosso objetivo final não é fazer costura de luxo criada em impressora 3D, mas sim encontrar maneiras de integrar essas tecnologias no vestiário do dia a dia”, diz Jessica Rosenkrantz, co-fundadora da empresa à revista Wired.

Imprimindo vestidos em casa

Se um dia os valores caírem consideravelmente e a impressão 3D se popularizar, a ideia é que qualquer pessoa possa produzir suas roupas em casa. Será possível até imprimir a roupa na hora, em um hotel, enquanto se viaja, por exemplo.

Quão longe esse futuro está? Ainda não sabemos. Mas, se depender do mundo fashion, moda e tecnologia irão ficar cada vez mais próximos. A designer israelense Danit Peleg, por exemplo, já imprimiu uma coleção inteira em sua casa.

5 mulheres posam com looks feitos em impressoras 3D moda e tecnologia

Foto: divulgação/Daria Ratiner

Ela conta que a linha foi inspirada no quadro “Liberdade Liderando as Pessoas”, de Eugène Delacroix. Todas peças foram criadas no Blendr, um famoso software de modelagem 3D.

O problema, novamente, foi o preço. Segundo o jornal Folha de S.Paulo, uma jaqueta não sai por menos de US$ 3 mil; e uma saia midi custa US$ 14 mil. Vale lembrar que a jaqueta demorou 100 horas para ser impressa. E a saia mais 500.

E você? Acredita que, em breve, imprimiremos roupas em casa? Você usaria uma peça feita de plástico?

Gostou deste post? Que tal compartilhar:
Últimos
Trend Tags
Array ( [0] => 76 [1] => 222 [2] => 237 [3] => 115 [4] => 17 [5] => 238 [6] => 92 [7] => 125 [8] => 173 [9] => 16 [10] => 276 [11] => 25 [12] => 157 [13] => 66 [14] => 67 [15] => 62 [16] => 153 [17] => 127 [18] => 12 [19] => 19 [20] => 187 [21] => 69 [22] => 154 [23] => 175 )
Vídeos
Copyright © 2016 Free the Essence