UberPool: entenda como funciona o sistema de compartilhamento
UberPool
Foto: Istock, Getty Images
Nova Economia > Consumo Colaborativo

Entenda como funciona o UberPool

Kaluan Bernardo em 3 de maio de 2016

Desde abril de 2016, o UberPool está funcionando na capital de São Paulo. É um recurso que permite aos usuários do Uber dividirem o carro e os custos da viagem com outros usuários.

O Uber nunca foi exatamente empresa de Economia Compartilhada, mas o Pool é uma sacada que resolve esse e outros problemas:  permite os passageiros dividirem o rolê, economizarem na viagem e ainda aumenta a receita do motorista.

Funciona assim: quando você escolhe um carro na categoria UberX, o aplicativo pergunta de quantos assentos você precisa para essa viagem. Ao selecionar, ele mostra duas estimativas de preço: uma do UberPool e outra da corrida solo. Se, no meio do caminho, outro usuário estiver procurando um carro que vá para a mesma região, ele poderá entrar no seu carro e dividir a viagem. Os custos não são totalmente rateados, mas dividir a viagem pode gerar descontos entre 10% e 40% aos passageiros.

Veja no vídeo abaixo:

Por enquanto, São Paulo é a única cidade brasileira com o serviço. O Uber não diz quando as próximas terão o recurso. Eles inauguram a funcionalidade apenas onde há muitos passageiros e motoristas usando o aplicativo. No mundo, são poucas as regiões que contam com o Pool: apenas 34 das 413 onde o Uber funciona.

Leia também: Uber testa rede de carros para entregar comida em tempo recorde

A empresa diz ainda que o UberPool, além de ajudar a economizar, tira alguns automóveis da rua colaborando para reduzir níveis de poluição e tráfego. “Por ser uma opção econômica de se locomover pela cidade, isso também afeta a necessidade de ter um carro – se com o toque de um botão você consegue uma viagem barata a qualquer hora, qual é o motivo de ter um carro?”, diz o Uber em comunicado.

gif ensinando como usar o uberpool

Foto: Divulgação Uber

Regulação do Uber em São Paulo

São Paulo, assim como diversas outras grandes capitais ao redor do mundo, é palco de intensas disputas pela regulamentação, liberação ou proibição do Uber. O aplicativo coloca em pauta discussões novas sobre modelos de transporte coletivo e individual bem como questões trabalhistas. O ponto de tensão é com os taxistas, que muitas vezes alegam que o serviço disputa ilegalmente o mercado.

Entre as megacidades (as que contam com mais de 8 milhões de habitantes), 62% optaram por aplicar regulações ao Uber. No início de janeiro, o prefeito de São Paulo, Fernando Haddad, também anunciou proposta de “regulação da exploração econômica do uso do viário urbano” que dita as regras tanto para o serviço quanto para outros semelhantes.

A proposta ficou disponível para consulta pública e envolve medidas flexíveis e adaptáveis, como a possibilidade da prefeitura vender quilometragem para as empresas. É como se fossem créditos de celular pré-pagos: se o Uber comprar 500 mil quilômetros em uma semana, seus motoristas só poderão circular essa distância. Além disso, há propostas para que o serviço só possa cobrar 15% das corridas dos motoristas (hoje é 25%) e os motoristas precisem ser licenciados.

No momento, o projeto de lei está barrado na Câmara dos Vereadores, em São Paulo. No entanto, Fernando Haddad ainda pode regulamentar o serviço por meio de decretos. Segundo a revista Exame, ele pretende tomar a medida até junho.

O que você acha sobre o Uber? Deve ser liberado, proibido ou regulamentado? Usaria o UberPool? Comente abaixo.

Gostou deste post? Que tal compartilhar:
Últimos
Trend Tags
Array ( [0] => 76 [1] => 222 [2] => 237 [3] => 115 [4] => 17 [5] => 238 [6] => 92 [7] => 125 [8] => 173 [9] => 16 [10] => 276 [11] => 157 [12] => 25 [13] => 66 [14] => 67 [15] => 62 [16] => 153 [17] => 127 [18] => 12 [19] => 19 [20] => 187 [21] => 69 [22] => 154 [23] => 175 )
Vídeos
Copyright © 2016 Free the Essence