As melhores cidades do mundo para a mulher empreendedora
empreendedora
Foto: Istock/Getty Images
Nova Economia > Criativos

As melhores cidades do mundo para a mulher empreendedora

Camila Luz em 9 de setembro de 2016

A Dell divulgou recentemente um ranking com as 25 cidades do mundo que dão mais suporte para a mulher empreendedora. Para elegê-las, baseou-se em cinco quesitos: tecnologia, cultura, capital, mercado e talento. Nova York é a que melhor atende todos os pontos, enquanto São Paulo ficou com a 19ª posição.

A pesquisa feita pela Dell em 2016 analisou as cidades que seriam mais favoráveis aos “altos potenciais de mulheres empresárias”. Afinal, elas estão construindo negócios que podem ter uma receita que ultrapasse US$ 1 milhão por ano.

Infelizmente, a maioria das cidades ainda têm um longo caminho a percorrer para apoiar plenamente a mulher empreendedora. Mesmo a melhor delas, Nova York, marcou uma pontuação medíocre: 58 pontos. Elizabeth Gore, executiva da Dell, acredita que é hora desse quadro mudar. “Mulheres empreendedoras são a melhor aposta do nosso país [os Estados Unidos] para o crescimento econômico. É hora de as mulheres serem politicamente engajadas para garantir que os ecossistemas corretos estejam prontos para elas”, afirmou, segundo o site Virgin.

Melhores cidades para a mulher empreendedora

Nova York ficou em primeiro lugar por ser capaz tanto de atrair empreendedoras, quanto por ter capacidade de dar suporte a elas enquanto constroem suas companhias. São Francisco, também no Estados Unidos, ocupa a segunda posição, por financiar empresas fundadas e dirigidas por mulheres. Além disso, concentra grande número de executivas talentosas.

Londres, Estocolmo e Cingapura completam o Top 5. Veja o ranking completo:

  1. Nova York
  2. Baía de São Francisco
  3. Londres
  4. Estocolmo
  5. Cingapura
  6. Toronto
  7. Washington, DC
  8. Sidney
  9. Paris
  10. Seattle
  11. Munique
  12. Austin
  13. Beijing
  14. Hong Kong
  15. Taipei
  16. Shangai
  17. Tóquio
  18. Cidade do México
  19. São Paulo
  20. Seul
  21. Milão
  22. Nova Deli
  23. Joanesburgo
  24. Jakarta
  25. Istambul

São Paulo cultural

No quesito cultural, a capital paulista ficou entre as 10 melhores. Esse item avalia como os aspectos culturais da cidade apoiam o empreendedorismo feminino. Políticas que diminuem diferenças de gênero, assim como organizações de mulheres empresárias, contam a favor do município.

Leia mais:
Por que refugiados podem ser grandes empreendedores
Seis mulheres negras que lideram a revolução digital na África
Programaria empodera mulheres ao ensinar tecnologia

A cidade brasileira ficou em 19º lugar principalmente pela falta de capital investido em empreendedoras. Além disso, São Paulo não aparece entre as cinco melhores em nenhum dos quesitos analisados separadamente. O acesso ao capital também foi apontado como principal desafio para mulheres de Munique, Istambul, Milão e Joanesburgo.

Por um mundo com mais mulheres empreendedoras

As 25 localidades avaliadas foram escolhidas a partir da lista de 50 cidades globais prontas para a economia do futuro, também feita pela Dell. A empresa explica que elegeu municípios, e não países, para demonstrar o impacto de políticas e programas locais, além de leis e costumes nacionais.

mulher mexendo em computador e anotando em papel

Foto: Istock/Getty Images

Dentro dos cinco quesitos escolhidos (cultura, tecnologia, talento, capital e mercado), foram selecionados 70 indicadores, 44 deles contêm componentes de gênero. O objetivo da Dell é destacar a importância de empoderar mulheres dentro do mercado de trabalho, além de identificar no que as principais cidades do mundo precisam melhorar.

“A inovação e a criação de emprego por mulheres empreendedoras é fundamental para uma economia global próspera. Mas nossa pesquisa mostra que algumas cidades e países estão fazendo muito mais do que outros para incentivar e apoiar este pequeno subconjunto da comunidade de startups”, defendeu a vice-presidente e diretora de marketing da Dell, Karen Quintos, ao Virgin.

“Nosso índice fornece insights para mover a conversa com os líderes e políticos responsáveis pela conscientização para ação e, por sua vez, capacitar mulheres empreendedoras a ter maior impacto econômico no mundo”, conclui.

Gostou deste post? Que tal compartilhar:
Últimos
Trend Tags
Array ( [0] => 76 [1] => 222 [2] => 237 [3] => 115 [4] => 17 [5] => 238 [6] => 92 [7] => 125 [8] => 173 [9] => 16 [10] => 276 [11] => 25 [12] => 157 [13] => 66 [14] => 67 [15] => 62 [16] => 153 [17] => 127 [18] => 12 [19] => 19 [20] => 187 [21] => 69 [22] => 154 [23] => 175 )
Vídeos
Copyright © 2016 Free the Essence