Mulheres negras que lideram a revolução digital na África
revolucao-digital
Foto: Istock/Getty Images
Nova Economia > Criativos

Seis mulheres negras que lideram a revolução digital na África

Camila Luz em 3 de julho de 2016

Tecnologia e inovação finalmente estão ganhando força na África. Celulares e a internet têm conquistado mais adeptos em países como África do Sul, Gana, Quênia e Tanzânia, abrindo espaço para que a revolução digital aconteça no continente. Protagonistas dessa mudança são, muitas vezes, mulheres.

A tecnologia conecta cidadãos e cria uma nova cultura nos países africanos mais populosos. A conferência #Afrobytes, realizada em junho, em Paris, teve como objetivo reunir pessoas que desejam entender como a revolução digital está acontecendo na África e como é possível fazer parte dela.

O site The Root preparou uma lista com seis mulheres negras que se apresentaram na conferência. Elas estão liderando a revolução digital na África por meio de investimento direto, orientação e outras atitudes.

Mulheres negras que lideram a revolução digital na África

1 – Tayo Akinyemi

foto de Tayo Akinyemi

Tayo Akinyemi Foto: Reprodução/LinkedIn

Tayo mora nos Estados Unidos e é consultora no InfoDev World Bank Group, um banco mundial que dá suporte a empreendedores de países em desenvolvimento. O papel da profissional é apoiar regiões africanas com o programa “Pan-African accelerator”.

Mas Tayo não merece destaque apenas por seu trabalho na InfoDev. Antes de entrar para o grupo, ajudou a estabelecer 40 centros de tecnologia em 20 países africanos.

A consultora é formada em artes pela Universidade de Princeton (Estados Unidos) e possui um mestrado em administração de empresas pela Universidade de Cornell (Estados Unidos).

2 – Sheila Birgen

foto de Sheilah Birgen

Sheilah Birgen Foto: Reprodução/LinkedIn

Sheila leva estratégias de sustentabilidade e crescimento para a m:Lab África Oriental, um centro de tecnologia e empreendedorismo digital que oferece serviços para ajudar empreendedores e empresas do Quênia.

Além disso, conduz a iHub, cujo objetivo é conectar empreendedores digitais africanos ao governo, empresários, investidores e agências de desenvolvimento.

Leia mais:
Techfugees, o projeto que apoia refugiados por meio da tecnologia
O futuro da tecnologia segundo grandes investidores
5 séries sobre tecnologia que você não pode perder

 3 – Maya Horgan Famodu

foto de Maya Horgan

Maya Horgan Foto: Reprodução/LinkedIn

Em 2014, a estadunidense com raízes nigerianas fundou a Ingressive, uma empresa que direciona capital global para empreendedores africanos. Esses financiamentos são feitos por mais de 2.000 membros e investidores.

Antes de fundar a Ingressive, Maya trabalhou para o banco multinacional JPMorgan. Hoje, além de comandar sua própria empresa, organiza eventos no mundo todo para reunir empreendedores digitais africanos e investidores que os apoiam.

4 – Ashley Lewis

foto de Ashley Lewis

Ashley Lewis Foto: Reprodução/LinkedIn

Mais uma mulher negra que fundou sua própria empresa para incentivar a revolução digital na África. Ashley criou a Ongeza Fund em 2015, para auxiliar acionistas na fase inicial de empreendimentos de alto impacto em mercados emergentes.

Nos últimos cinco anos, trabalhou para expandir empreendimentos sociais em toda a África subsaariana, nas áreas de agricultura, energia, saúde e tecnologia da informação. Já trabalhou em organizações como Goldman Sachs, Vanguard e até mesmo no Banco Mundial.

5 – Lucy Mbabazi

foto de Lucy M Babazi

Lucy M Babazi Foto: Reprodução

Lucy trabalha para a Visa, onde comanda as operações dos países Ruanda, Burundi e Malawi. Defende o ponto de vista de que o crescimento econômico e tecnológico da região deve acontecer através da educação do consumidor feitas por bancos, que devem orientá-los a optar preferir o banco online e adotar a tecnologia para transações menores.

6 – Haweya Mohamed

foto de Haweya Mohamed

Haweya Mohamed Foto: Reprodução/LinkedIn

Haweya Mohamed é francesa, co-fundadora e chefe de comunicação da Afrobytes, primeiro hub dedicado ao desenvolvimento tecnológico da África na Europa. Ela é responsável por organizar conferências, como a ocorrida em Paris em junho.

Além disso, gerencia uma agência de comunicação independente onde aconselha executivos e líderes de investimento.

Gostou deste post? Que tal compartilhar:
Últimos
Trend Tags
Array ( [0] => 76 [1] => 222 [2] => 237 [3] => 115 [4] => 17 [5] => 238 [6] => 92 [7] => 125 [8] => 173 [9] => 16 [10] => 276 [11] => 157 [12] => 25 [13] => 66 [14] => 67 [15] => 62 [16] => 153 [17] => 127 [18] => 12 [19] => 19 [20] => 187 [21] => 69 [22] => 154 [23] => 172 )
Vídeos
Copyright © 2016 Free the Essence