Quanto seu emprego está ameaçado pela automação?
automação
Foto: Istock/Getty Images
Nova Economia > Modelos Disruptivos

Quanto seu emprego está ameaçado pela automação?

Kaluan Bernardo em 8 de fevereiro de 2017

O que era tema de escritores de ficção científica hoje é realidade. Os robôs estão tomando empregos. E tomarão cada vez mais. A automação pode trabalhar mais rápido, cometendo menos erros e, muitas vezes, fazendo tarefas que os humanos não conseguem. E está apenas no início da sua revolução.

Otimista pensando que o seu emprego está seguro, só o dos outros está ameaçado? Pense de novo. Dois terços dos estadunidenses acreditam que os robôs vão tomar a maioria dos empregos. Mas quando olham para os próprios umbigos, são paradoxalmente otimistas: 80% acreditam que os seus trabalhos não estão ameaçados.

O Fórum Econômico Mundial estima que os robôs vão tomar 5 milhões der empregos em 15 nações desenvolvidas até 2020 — um cálculo considerado conservador. A Organização Internacional do Trabalho acredita que serão 137 milhões em países como Indonésia, Filipinas, Tailândia e Vietnã. Nesses locais, quase 56% da força de trabalho será automatizada. Já cientistas da Universidade de Oxford calculam que, nos EUA, 47% dos empregos serão substituídos pela automação. Enquanto no Japão, estima-se que, nos próximos 20 anos, 49% dos trabalhos serão substituídos por máquinas.

Há um outro lado a ser considerado: a produção industrial crescerá mais do que nunca. A consultoria McKinsey produziu um estudo de 148 páginas sobre o tema. Ela diz que na época do vapor a produtividade crescia 0,3% ao ano; no início da robótica crescia 0,4% ao ano; e na era da tecnologia da informação crescia 0,6% ao ano. Entre 2015 e 2065, graças à automação, crescerá de 0,8% a 1,4% ao ano. Veja na imagem abaixo (em inglês):

automação

Foto: Reprodução

Onde a automação pode substituir os humanos?

A McKinsey diz que o debate é um pouco complexo. Nem todos os empregos sumirão completamente. Na verdade, empregos que serão completamente automatizados representam apenas 5% do total. Em todos os outros casos, os robôs farão apenas parte do trabalho das pessoas.

No entanto, mesmo a automação parcial ameaça muitos trabalhadores. A consultoria estima que adaptando as tecnologias, os robôs poderão “roubar” mais de US$ 15 trilhões em salários. Os empregos mais suscetíveis são os físicos e que não demandam alta atividade intelectual. Nos Estados Unidos, eles são 51% dos postos de trabalho e representam quase US$ 2,7 trilhões em salários.

LEIA MAIS
Futuro do trabalho: com população idosa, Japão vê salvação na tecnologia
LEIA MAIS
Futuro do trabalho: em breve teremos múltiplos empregos

A boa notícia é que esse processo não acontecerá do dia para a noite. A estimativa deles é que metade dos empregos serão automatizados em 2055. Dependendo do avanço da tecnologia e das políticas de trabalho, isso poderá acontecer 20 anos antes ou depois.

Apesar disso, a McKinsey acredita que, tal como aconteceu no campo, as pessoas encontrarão novas funções. A automação não necessariamente significará desemprego em massa. É apenas questão de adaptação.

Se você acha que já é hora de pensar em uma mudança de carreira e se preocupar com o assunto, saiba que as áreas que mais correm risco de serem automatizadas são “Acomodações e Serviços de comida” (73%), “Manufatura” (60%), “Transporte e armazenamento” (60%), “Agricultura” (57%), “Varejo” (53%) e “Mineração” (51%). Confira na imagem abaixo, em inglês:

automação

Foto: Reprodução

Gostou deste post? Que tal compartilhar:
Últimos
Trend Tags
Array ( [0] => 76 [1] => 237 [2] => 205 [3] => 97 [4] => 222 [5] => 62 [6] => 157 [7] => 276 [8] => 12 [9] => 249 [10] => 86 [11] => 94 [12] => 267 [13] => 68 [14] => 16 [15] => 115 [16] => 186 [17] => 17 [18] => 102 [19] => 173 [20] => 175 [21] => 238 [22] => 92 [23] => 236 [24] => 79 )
Vídeos
Copyright © 2016 Free the Essence