Black Friday: como começou, como funciona e dicas para se dar bem
black friday (2) (1)
Foto: Istock/Getty Images
Nova Economia > Modelos Disruptivos

O que é Black Friday? Tire suas dúvidas sobre a data mais pop da atualidade

Aretha Yarak em 20 de novembro de 2017

Conhecida nos Estados Unidos como a data que marca a abertura das compras de Natal, a Black Friday é um dos dias mais aguardados do varejo. Nessa data, as lojas costumam oferecer altos descontos para limpar os estoques e se preparar para o Natal.

Aqui no Brasil, o evento é organizado oficialmente pelo site Busca Desconto desde 2011 segundo o site Black Friday. No começo, participavam apenas grandes varejistas virtuais, mas hoje as promoções se estendem pelas lojas físicas e pequenos comércios.

Para aproveitar as ofertas da melhor maneira, e não cair em furada, a recomendação é: não comprar por impulso. Antes do início das promoções, faça uma lista com todos os produtos que deseja e com os preços “reais”. Essa é a maneira mais segura de evitar ofertas maquiadas e de gastar mais do que você havia planejado.

O que é a Black Friday?

É uma campanha do varejo organizada no início das compras de final de ano, em que as lojas oferecem descontos relevantes para limpar estoques e se preparar para o Natal. Participam todas as categorias de produtos, de eletrônicos a pequenas papelarias. No Brasil, o evento acontece tanto online quanto nas lojas físicas.

Como começou a Black Friday?

Não se sabe ao certo a origem do termo. Há quem diga que ele foi usado pela primeira vez no final do século 19, quando duas importantes instituições financeiras quebraram no mesmo dia (em uma sexta-feira), trazendo o caos para muitos cidadãos.

Uma outra versão fala que ela passou a ser usada pela polícia no dia seguinte ao feriado de Ação de Graças, que sempre acontece em uma quinta-feira. A data é marcada por confusão e congestionamentos nas ruas, em função do início das compras de Natal.

Nos Estados Unidos, o termo passou a se referir mais oficialmente às promoções de final de ano na década de 70, depois de ser usado por jornais como The New York Times e The Philadelphia Inquirer. Aqui no Brasil, o primeiro evento da Black Friday aconteceu em 2011 e foi organizado pelo portal Busca Desconto.

A versão nacional teve início com vendas apenas pela internet, mas, atualmente, diversos lojistas e pequenos comerciantes aderem à data, mesmo que informalmente.

Como funciona a Black Friday?

A data oficial do evento é a última sexta-feira de novembro — este ano, será no dia 24 de novembro. Algumas empresas, no entanto, optam por começar as promoções já no início da semana, ou mesmo durante todo o mês de novembro. As lojas participantes selecionam alguns produtos para entrar em promoção (preferencialmente, com descontos altos) e os colocam em destaque no site. Elas podem participar por meio de e-commerce ou na própria loja física.

Dicas para se dar bem na Black Friday

LEIA MAIS
O que é a Economia Afetiva e como ela pode nos ajudar a repensar o consumo
LEIA MAIS
Quiz: Qual é o seu nível de consumismo?

Pesquise muito e antes do dia da promoção. O site oficial do evento permite que você se cadastre para receber as ofertas das lojas parceiras por email. Algumas lojas podem começar com descontos progressivos, conforme a data oficial se aproxima. Monitorar as ofertas e comparar preços é a melhor maneira de encontrar o maior desconto.

Algumas ferramentas podem te ajudar a comparar preços e até mesmo a checar a reputação das lojas que você tem interesse. Além do próprio Busca Descontos, é possível acompanhar as promoções em diversos aplicativos, sites e extensões de navegadores, como Buscapé, Zoom, EconoVia (especializado em eletrônicos), Já Cotei, CupoNation, Baixou Agora e Reduza. A maioria desses serviços já começou a monitorar as promoções relacionadas a Black Friday.

Cuidados para não cair em cilada

A maneira mais segura de não comprar gato por lebre é pesquisar bastante antes do início das promoções, e fazer uma lista com todos os produtos desejados e seus preços. No dia das promoções, será preciso apenas comparar os valores e saber o que realmente está com desconto atrativo.

O site Busca Desconto, organizador oficial do evento no Brasil, se responsabiliza apenas pelas lojas que estão cadastradas oficialmente na campanha.

Além disso, o Procon divulgou recentemente a “lista suja” das lojas que devem ser evitadas pelo consumidor. A relação contém 518 estabelecimentos, que reúnem reclamações como: atrasos nas entregas, produtos danificados e fretes muito caros.

Golpes de internet são mais comuns durante a Black Friday

Na época que antecede a Black Friday é bastante comum aumentar o número de emails que chegam com ofertas e anúncios de descontos nos mais variados tipos de produtos. É muito importante, no entanto, ficar atento para não cair em armadilhas da internet. Um golpe que se tornou bastante conhecido é chamado de phishing. Ele acontece quando criminosos enviam mensagens que parecem de organizações legítimas, como PayPal ou de um banco, pedindo validações de informações porque houve algum tipo de problema, mas na verdade tudo naquele e-mail é falso.

A tática é usada para roubar dados financeiros e pessoais e podem resultar em roubos de identidade. A melhor forma de evitar cair nesse golpe é nunca revelar informações pessoais via e-mail. Na dúvida, ligue na empresa ou instituição que, supostamente, está encontrando em contato com você.

Uma dica do site Reclame Aqui é sempre verificar se aparece o desenho de um cadeado fechado na barra onde se digita o endereço do site. Nos pagamentos em boleto, o nome do favorecido deve ser o mesmo da empresa em que está comprando. Além disso, é possível verificar a reputação da empresa e até mesmo checar se ela consta na “lista suja” do Procon.

Horários diferenciados lojas físicas em dia de Black Friday

Normalmente, as lojas físicas trabalham em horários diferenciados durante a Black Friday. Nos últimos anos, as lojas de shopping abriram às 9h e as de rua, às 7h da manhã, e fecharam apenas após a saída do último cliente. Alguns estabelecimentos começam a trabalhar em horário diferenciado já na quinta-feira que antecede a data — e podem fechar mais tarde.

Embora os horários sejam estendidos, eles não são suficientes para evitar episódios frequentes de tumulto. A confusão ainda é mais comum nos Estados Unidos, país em que a data já é tradicional. Mas por aqui eles não deixam de acontecer, provocando congestionamento, discussões com a presença da polícia, e correria dentro das lojas.

Black Friday se torna o principal dia de vendas

Em 2011, a data se tornou oficialmente o maior dia de compras entre os americanos. O sucesso de vendas é tamanho que o evento começou a ser copiado por outros países. No Canadá, por exemplo, ele acontece um mês antes, também acompanhando o feriado de Ação de Graças do país. No México, foi batizado de ‘El Buen Fin’ (bom fim de semana). Por lá, a comemoração é associada ao aniversário da revolução de 1910, que, às vezes, cai na mesma data do Dia de Ação de Graças americano.

Aqui no Brasil, embora não existe um feriado parecido com o de Ação de Graças, os varejistas acabaram incluindo a data no calendário comercial do país em função do seu potencial de vendas. Ela é agendada sempre na última sexta-feira de novembro.

Gostou deste post? Que tal compartilhar:
Últimos
Trend Tags
Array ( [0] => 205 [1] => 76 [2] => 157 [3] => 12 [4] => 237 [5] => 97 [6] => 249 [7] => 222 [8] => 62 [9] => 276 [10] => 259 [11] => 86 [12] => 267 [13] => 94 [14] => 68 [15] => 16 [16] => 167 [17] => 115 [18] => 186 [19] => 17 [20] => 102 [21] => 173 [22] => 238 [23] => 175 [24] => 236 )
Vídeos
Copyright © 2016 Free the Essence