Como os caminhões autônomos deverão mudar o mercado
caminhoes
Caminhão Daimler. Foto: Divulgação
Nova Economia > Modelos Disruptivos

Como os caminhões autônomos deverão mudar o mercado

Kaluan Bernardo em 6 de setembro de 2016

“Siga Bem Caminhoneiro”, “Carga Pesada” e tantas outras obras que fizeram o imaginário do caminhoneiro — aquele ser solitário que cruza o país em sua boleia — estão prestes a se tornar obsoletas. O caminhão do futuro será dirigido por máquinas.

Os caminhões autônomos já estão nas estradas há um tempo. Em 2005, o Terramax, o primeiro modelo, foi testado em um concurso da DARPA — o departamento de pesquisas militares dos EUA. Hoje, marcas como a Mercedes já testam em estradas seus caminhões sem motoristas. No último mês, caminhões da Daimler, Volvo e Scania (da Volkswagen) circularam por mais de 2.000 km na Europa.

Veja no vídeo abaixo um caminhão autônomo rodando pelo estado de Nevada, nos EUA:

A área é uma das que mais podem se beneficiar da automação. Mais do que baixar custos, caminhões no piloto automático podem garantir segurança — visto que a rotina de muitos caminhoneiros é cansativa e repleta de riscos de acidentes.

Os caminhões autônomos, no entanto, ainda demorarão um tempo para se tornar realidade. O que deveremos ver nos próximos anos, segundo a revista Wired, são veículos semi-autônomos. Nesse caso, ainda teremos motoristas para garantir a segurança do caminhão, mas quase todo o trajeto será feito no piloto automático.

Leia mais:
Dez anos depois, os planos da Tesla para os próximos dez anos
Por que a Tesla é a grande promessa dos carros elétricos

Mas se o caminhão está no piloto automático e o motorista está lá apenas parado esperando uma possível situação de emergência, o que ele fará com todo esse tempo dentro do veículo? Relatórios, atendimento de clientes ou tarefas relacionadas à logística. “Automação reduz os custos de oportunidade para motoristas e suas empresas ao permitir que eles façam, legalmente e mais consistentemente, várias tarefas”, diz Dan Siciliano, professor de Direito com especialização em robótica na universidade de Stanford, em entrevista à Wired.

Startups para caminhões autônomos chamam atenção

Em maio de 2016, percebendo o grande mercado que os caminhões autônomos poderiam trazer para o mundo da logística, 40 funcionários de empresas como Google, Apple, Tesla e outras, saíram para criar uma startup chamada Otto.

Dois dos fundadores da empresa são figuras conhecidas no mercado de tecnologia. Lior Ron é um dos criadores do Google Maps, enquanto Anthony Levandowski era um dos principais executivos da equipe de carros autônomos do Google.

A ideia deles é justamente transformar caminhões comuns em autônomos. A ideia deles não é desenvolver um veículo do zero, mas criar kits para serem instalados nos automóveis para automatizá-los.

A tecnologia é desenvolvida para funcionar apenas em estradas. Nas ruas das cidades quem toma a direção é o próprio motorista. Mais do que inovação, um dos grandes desafios que os fundadores da Otto enfrentarão é a regulação. Ainda há poucas leis que aprovem ou mesmo abordem regras para veículos autônomos.

Veja o vídeo de apresentação da empresa logo abaixo:

Gostou deste post? Que tal compartilhar:
Últimos
Trend Tags
Array ( [0] => 76 [1] => 222 [2] => 237 [3] => 115 [4] => 17 [5] => 238 [6] => 92 [7] => 125 [8] => 173 [9] => 16 [10] => 276 [11] => 157 [12] => 25 [13] => 66 [14] => 67 [15] => 62 [16] => 153 [17] => 127 [18] => 12 [19] => 19 [20] => 187 [21] => 69 [22] => 154 [23] => 172 )
Vídeos
Copyright © 2016 Free the Essence