Como trabalhar em casa: dicas para aproveitar o home office
home office (1)
Foto: Istock/Getty Images
Nova Economia > Modelos Disruptivos

Como trabalhar em casa: dicas para aproveitar o home office

Kaluan Bernardo em 19 de junho de 2017

Trabalhar de casa é tendência no mundo. Ao passo em que o trabalho se virtualiza e as ferramentas tecnológicas avançam, cada vez mais pessoas transformam seus quartos, salas e sofás em um pedacinho de escritório — o chamado home office.

Mas, diferente do que muitos pensam, trabalhar de casa exige uma série de cuidados e atenções que, quando não tomados, podem se transformar em caos. E a tal liberdade e flexibilidade prometidas pelo home office (como é conhecido o modelo de trabalho em casa) vão pelo ralo.

Por isso, fizemos esse pequeno guia com números e dicas sobre como trabalhar de casa e aproveitar o melhor dessa possibilidade.

Como aproveitar melhor o home office

Disciplina é o primeiro passo

“A primeira coisa é ter consciência de que você vai precisar de muito mais disciplina do que você tinha antes, principalmente se era empregado e agora vai trabalhar por conta”, explica Márcia Breda, jornalista responsável pelo blog Adoro Home Office. A mudança é sempre mental. Seja qual for seu trabalho e seu espaço, você precisa se comprometer com o trabalho. “Em casa há muita tentação, mas é preciso lembra que você tem compromissos mais sérios e relevantes”, diz.

O lado bom é que, sim, você sai de uma rotina. Mas nem sempre. Você até pode parar no meio do dia para ir ao médico ou passear com o cachorro. Mas não se esqueça que, seja em negócio próprio ou trabalhando para alguém, você terá de lidar com pessoas que estão disponíveis em horário comercial.

Além disso, ainda é necessário ter uma rotina. Não dá para acordar e simplesmente deixar para ver o que acontecerá durante o dia.

Trocar de roupa é importante

Apesar de não ter uma rotina 100% flexível, você ainda tem muito mais liberdade do que teria trabalhando em escritório. Economiza com comida, se concentra mais e evita o trânsito.

Mas, para que o processo continue sendo produtivo, você precisa incorporar o espírito do trabalho. E se vestir apropriadamente é um dos passos.

Não precisa ser a mesma roupa que iria trabalhar, mas ao menos vestir uma roupa que você poderia ir ao mercado, ou realizar uma conferência via Skype de última hora. Uma coisa minimamente organizada. Você nunca sabe o que vai acontecer. E tira um pouco o ranço”, comenta Márcia.

Onde montar o escritório?

Foto: Istock/Getty Images

É claro que cada um irá montar o escritório onde preferir e achar mais adequado, mas o ideal é procurar por algum local bem arejado e iluminado – tanto faz se será sua sala ou quarto.

“Se você mora em espaço compartilhado, é importante ter privacidade. Na sala pode ser um tiro no pé porque as pessoas vão te infernizar o tempo inteiro. E se for no seu quarto tem que ter essa divisão, nem que seja ilusória do que é sua cama e do que é seu espaço de trabalho”, comenta.

Mas é importante que, seja onde for, você invista no espaço de trabalho. Não adianta querer ficar escrevendo do sofá o dia todo ou sentado no banquinho da cozinha. Logo seu corpo irá pedir ajuda.

Defina seus horários

É muito fácil, dentro do home office, não saber mais separar o que é trabalho do que é vida pessoal. Você acaba seus afazeres e, quando vai ver, continua no computador, emenda um freela, assiste Netflix, tudo sem sair do mesmo ambiente. Ou então continua trabalhando por muito mais tempo do que deveria.

LEIA MAIS
5 espaços de coworking gratuitos em São Paulo
LEIA MAIS
Oficina da Mesa oferece coworking de cozinhas para empreendedores

“É importante ter horário para terminar. Eu não tenho email de trabalho no celular. Quando encerro, desligo o computador e vou fazer alguma coisa e não volto mais a olhar para o trabalho. Se eu quero ver Netflix, ver as redes sociais, vejo só do celular. Minha solução é sempre marcar algo no final do dia, como uma atividade física”, conta.

Não saber separar as coisas pode trazer sérias consequências para seu psicológico, além de elevar seu nível de estresse. Há pessoas que não saem do quarto, não veem a luz do dia, não falam com ninguém. “Tem uma coisa que eu gosto de frisar é que se você fez um ano de home office e está deprimido, talvez não seja para você. Não tem problema. O grande lance dos formatos flexíveis é para que você tenha uma vida equilibrada que te faça mais feliz. E se isso te gera mais sofrimento, talvez não seja uma boa opção”, diz.

E os coworkings?

Por fim, há ainda os coworkings – espaços compartilhados que saem por custos menores do que os de um escritório tradicional, mas ainda mais elevados do que ficar em casa.

Apesar dos custos, há algumas vantagens. “Ele permite o crescimento de uma empresa sem riscos. Eu não consigo abrir um negócio de mais de duas pessoas na minha sala, mas consigo em um coworking”, comenta. Além disso ele permite ampliar sua rede de contatos e te dá a possibilidade de conhecer outras pessoas e sair na rua um pouco.

“No fim, é tudo sobre trabalho flexível e formatos novos de trabalho. Eu gosto do coworking e acho que é uma bobagem achar que tudo é disputa”, declara a jornalista.

O home office realmente é uma tendência?

Em meados de junho a Automattic, empresa que gerencia a WordPress, fechou um escritório de 1.400 metros quadrados em San Francisco para deixar seus funcionários partirem para o home office. Segundo o CEO da empresa, Matt Mullenweg, o escritório, por mais bonito que fosse, ficava sempre vazio porque seus colaboradores já optavam por trabalhar de casa. Entre os 550 funcionários, apenas 30 trabalhavam na região – e desses, apenas cinco frequentavam o local.

Foto: Istock/Getty Images

O caso é só mais um entre tantos exemplos que atestam como o home office, como é conhecida a prática de trabalhar de casa, está ganhando cada vez mais força. Uma pesquisa feita no Global Leadership Summit, em Londres, revela que 34% dos líderes acreditam que, até 2020, mais de metade da população estará trabalhando de casa. E 25% chutam ainda mais alto: apostam que 75% não estará mais em escritórios.

No Brasil o número também é alto. Pesquisa feita pela SAP Consultoria em 2016 revela que 37% das empresas permitem trabalhar de casa; enquanto 68% permitem algum nível de trabalho a distância. Dessas que permitem o home office, 85% dizem indicam aumento da satisfação e engajamento dos colaboradores, ao passo em que 89% anunciam a possibilidade de home office como diferencial para atrair os colaboradores.

Embora as empresas mantenham o discurso de que trabalhar de casa é bom para a satisfação do colaborador e utilizem esse argumento para atrair talentos, para que o home office seja realmente um diferencial positivo, é necessário saber separar corretamente as coisas.

Gostou deste post? Que tal compartilhar:
Últimos
Trend Tags
Array ( [0] => 205 [1] => 76 [2] => 237 [3] => 97 [4] => 222 [5] => 62 [6] => 157 [7] => 276 [8] => 12 [9] => 249 [10] => 86 [11] => 94 [12] => 267 [13] => 68 [14] => 16 [15] => 115 [16] => 186 [17] => 17 [18] => 102 [19] => 173 [20] => 175 [21] => 238 [22] => 92 [23] => 236 [24] => 79 )
Vídeos
Copyright © 2016 Free the Essence