Fruta Imperfeita reduz o desperdício de alimentos
iStock_000073931481_Large fruta imperfeita
foto: iStock/Getty Images
Nova Economia > Modelos Disruptivos

Delivery de frutas e legumes imperfeitos reduz o desperdício

Camila Luz em 19 de abril de 2016

Fruta Imperfeita é um serviço que evita o desperdício de alimentos ao entregar, na sua casa, uma cesta de frutas e legumes. Os produtos entregues são os que, normalmente, seriam descartados por não se encaixar nos padrões estéticos exigidos por supermercados e quitandas.

Os brasileiros Roberto Fumio Matsuda e Nathalia Inada viram nesse desperdício a oportunidade de montar um negócio sustentável. O casal pensou em beneficiar tanto os produtores, quanto os clientes. “Pensei em um projeto que ligasse o produtor ao consumidor final, otimizando os custos para os dois lados”, conta Matsuda.

Segundo a Organização das Nações Unidas para a Alimentação e a Agricultura (FAO), cerca de 1,3 bilhão de toneladas de alimentos são desperdiçados todos os anos. O descarte de “frutas feias” entra nessa conta. Apesar de serem próprias para consumo, apresentam imperfeições no formato, no tamanho ou na cor. O Fruta Imperfeita garante que os produtos são tão frescos e saborosos quanto os que estão nos grandes mercados.

Como Funciona o Delivery

Os pedidos são feitos no próprio site da empresa, por telefone ou por WhatsApp. É possível optar por cestas mistas ou que contenham só frutas ou só legumes. O tamanho e o preço variam com a quantidade e a variedade de espécies.

É possível, ainda, escolher a entrega semanal, mensal ou bimestral. Em todos os casos, o preço é bem amigo. A solução mais barata (Cesta Mista PP, com 500g de 6 tipos de legumes e frutas variadas) custa R$ 15, já com R$ 3 da taxa de entrega. A mais cara (Cesta Mista G, pesando 10kg com 10 variedades de frutas e legumes) custa R$ 33. As assinaturas mensais e bimestrais não cobram frete.

frutas imperfeitas como maçã, laranja, goiaba e tomate

Foto: divulgação

As frutas são oferecidas de acordo com a sua sazonalidade: abacate, abacaxi, ameixa, banana, caqui, carambola, goiaba, laranja, limão, maçã, mamão, manga, melão, mexirica, pera, pêssego e uva. Os legumes também respeitam a época do ano: abóbora, abobrinha, batata-doce, berinjela, beterraba, cebola, cenoura, chuchu, milho, pepino, pimentão e tomate.

Cada cesta contém, no mímino, seis opções de frutas ou legumes. A oferta depende do que sobrou dos produtores parceiros. Em uma semana, a cesta pode contar com pêssego, por exemplo. Na outra, só com mamão. Por isso, não é possível selecionar o conteúdo. Matsuda explica:

 

Alguns clientes reclamam, mas trabalhamos apenas com o que seria desperdiçado. Não podemos subverter o nosso foco, que é reduzir o desperdício.

Como surgiu o Fruta Imperfeita

Roberto Matsuda é formado em engenharia e sempre trabalhou em empresas tradicionais. Em 2014, fez pós-graduação em gestão de negócios com foco em sustentabilidade.

Como sempre teve vontade de empreender, uniu o útil ao agradável e elaborou o projeto que tem tudo a ver com suas origens. Sua família trabalhou com plantações e, por isso, o empresário sabia dos problemas reais dos produtores. Um deles era o dinheiro perdido com os produtos fora de padrão. Pesquisou sobre o assunto e descobriu cases de negócio interessantes, como o Fruta Feia, de Portugal.

Como o Brasil ainda não tinha um projeto como o português, que também revende frutas e legumes fora de padrão, Matsuda bolou a sua versão. “Nosso objetivo vai além de ser um delivery. Queremos ser um ponto de referência de consumo consciente”, afirma. “Nas nossas redes postamos conteúdo que fala sobre o assunto. Além disso, procuramos estar em contato com a comunidade, instingando as pessoas a tomarem consciência sobre a forma como consomem”, conclui.

O desperdício de alimentos em ritmo desacelerado

O Fruta Imperfeita começou a funcionar em novembro do ano passado, na própria casa dos donos. As entregas eram todas feitas por eles. Hoje, o delivery já tem carro de carga e entregador contratado. Por semana, vende 350 cestas. Até fevereiro, o número era bem menor, entre 100 e 150. “No começo do ano, fomos notícia em alguns veículos de mídia. Depois disso, o número de pedidos aumentou bastante”, conta Matsuda.

Por enquanto, o delivery entrega apenas em alguns bairros da Zona Sul de São Paulo. O site conta com uma página onde consumidores de outras áreas da capital paulistana podem se inscrever para mostrar interesse em outras regiões.

Matsuda também afirma que o próximo passo é inaugurar um food truck, que irá funcionar como uma feira itinerante. Para concretizar o projeto, ele e a esposa estão bolando um crowdfunding, que deve ir ao ar em breve.

E você? O que faz para reduzir o desperdício de alimentos na sua casa? Compartilha com a gente as suas dicas.

Gostou deste post? Que tal compartilhar:
Últimos
Trend Tags
Array ( [0] => 76 [1] => 222 [2] => 237 [3] => 115 [4] => 17 [5] => 238 [6] => 92 [7] => 125 [8] => 173 [9] => 16 [10] => 276 [11] => 25 [12] => 157 [13] => 66 [14] => 67 [15] => 62 [16] => 153 [17] => 127 [18] => 12 [19] => 19 [20] => 187 [21] => 69 [22] => 154 [23] => 175 )
Vídeos
Copyright © 2016 Free the Essence