Em parceria com a 99, Didi Chuxing deve chegar ao Brasil
didi chuxing
Foto: Istock/Getty Images
Nova Economia > Modelos Disruptivos

Com parceria com a 99, Didi Chuxing, concorrente do Uber, chega ao Brasil

Pedro Katchborian em 9 de janeiro de 2017

Assine nossa newsletter

Com o mercado de aplicativos de táxi e carona em alta no Brasil, a companhia chinesa Didi Chuxing deve desembarcar no país em breve. A empresa, considerada o “Uber da China”, chega em uma parceria com a 99 — antes conhecida como 99Taxis. Segundo o TechCrunch, a Didi Chuxing vai investir cerca de US$ 100 milhões, que serão suficientes para expandir o serviço da 99 para outros lugares na América do Sul. O dinheiro injetado também vai dar uma cadeira no conselho de administração da 99 para a Didi.

“China e Brasil são dois mercados emergentes com enormes oportunidades para a indústria de compartilhamento de carros”, disse Cheng Wei, CEO da Didi Chuxing, em comunicado. Segundo a empresa chinesa, são mais de 400 milhões de usuários cadastrados no serviço, disponível em mais de 400 cidades.

O investimento da Didi em outra empresa não é novidade: ela injetou dinheiro no Lyft nos Estados Unidos, no Ola na India e no Grap em outros países da Ásia, no que o TechCrunch chama de aliança “anti-Uber”.

Tudo isso faz parte de uma estratégia da Didi de expandir para todos os cantos do mundo. Em entrevista à Bloomberg, Jean Liu, presidente da empresa, disse que “definitivamente” se tornaria global. E isso se deve também às novas regulamentações da China, que banem que qualquer pessoa que não seja residente na China possa ser motorista no app.

O Technology Review explica que a relação entre Uber e Didi é estranha: no ano passado, o Uber vendeu as operações na China para a Didi. Ou seja, diretores da Didi podem opinar sobre os rumos do Uber e vice-versa, já que ambos têm cadeiras no conselho de administração do outro.

LEIA MAIS
Cabify, WillGo, Televo e EasyGo: as diferenças dos concorrentes do Uber

Vale lembrar que a 99 anunciou uma grande mudança em agosto de 2016. Na época, a empresa lançou a 99Top, uma modalidade parecida com o Uber, em que qualquer pessoa pode ser motorista.

A diferença entre Uber, Cabify e 99 Top é que, na última, muitos táxis estão cadastrados. Ou seja, as viagens em táxis podem ser mais rápidas, já que os veículos podem trafegar na faixa de ônibus.

Didi Chuxing: mais concorrência para o Uber

A tal “aliança anti-Uber” vem em momento oportuno no Brasil. O investimento da Didi Chuxing deve aquecer ainda mais o mercado de locomoção de pessoas no país. Enquanto a 99 deve expandir os seus negócios, outras empresas mostram crescimento, como é o caso do Cabify.

O Cabify surgiu em 2011 na Espanha e chegou ao Brasil em junho. Inicialmente em São Paulo, o serviço já expandiu os seus serviços para Porto Alegre, Pelo Horizonte e Rio de Janeiro só em 2016.

Depois de um começo lento, o Cabify começa, aos poucos, a bater de frente ao Uber, que tem recebido muitas críticas em relação à qualidade. Os resultados já começam a aparecer para o Cabify: segundo Renata Masseroni, gerente de marketing do Cabify, o serviço cresceu 200% em Porto Alegre, desde que chegou em setembro. “O nosso foco não é estar em todos os lugares a qualquer custo”, disse ao Jornal do Comércio.

Vale lembrar que o Cabify acredita que o Brasil pode ser um grande mercado. Segundo Ricardo Weder, presidente da operação do Cabify na América Latina, em entrevista ao Valor Econômico, o Brasil pode se tornar a maior operação do app no mundo.

Gostou deste post? Que tal compartilhar:

Assine nossa newsletter e receba nossas novidades em primeira mão.

Últimos
Trend Tags
Array ( [0] => 76 [1] => 222 [2] => 237 [3] => 205 [4] => 94 [5] => 97 [6] => 115 [7] => 17 [8] => 238 [9] => 92 [10] => 157 [11] => 276 [12] => 153 [13] => 62 [14] => 125 [15] => 25 [16] => 173 [17] => 16 [18] => 66 [19] => 67 [20] => 12 [21] => 69 [22] => 127 [23] => 187 )
Vídeos
Copyright © 2016 Free the Essence

Assine nossa newsletter

e receba nossas novidades em primeira mão.