Como diminuir o gap de gênero na indústria da tecnologia
gap de gênero
Foto: Istock/Getty Images
Nova Economia > Modelos Disruptivos

Como diminuir o gap de gênero na indústria da tecnologia

Pedro Katchborian em 14 de outubro de 2016

Nós já mostramos que há um gap de gênero gigante na tecnologia. Nos Estados Unidos, país que concentra grande parte das empresas desse setor, as mulheres representam 47% de todos os trabalhadores. Na área de tecnologia esse número cai para 22%.

Algumas empresas já  implementaram medidas para reverter esse cenário. Além disso, iniciativas tentam empoderar mulheres através da tecnologia, dando cursos de programação e games voltados ao público feminino.

Segundo Todd Thibodeaux, do CIO, não há um milagre para corrigir esse gap de gênero na indústria da tecnologia, mas a mudança precisa começar de cima. Ele listou algumas atitudes que podem contribuir para o aumento da diversidade:

4 dicas para diminuir o gap de gênero

Pare de espalhar mulheres em toda a organização

Parece contraditório, mas a ideia aqui é impedir que as mulheres sejam colocadas em times de homens apenas para dizer que há alguma diversidade.

Todd sugere criar times mistos e sustenta seu argumento mostrando uma pesquisa. No estudo, mulheres demonstraram se sentirem mais produtivas e confiantes com suas habilidades em grupos em que há uma boa divisão entre homens e mulheres. “É melhor ter cinco times bem divididos do que ter 10 com apenas uma mulher em cada”, explica.

LEIA MAIS
Garotas que programam: iniciativas que empoderam mulheres pela tecnologia

Não apenas garotas, mas também mulheres

Algumas campanhas tem como principal mote investir em garotas para que elas possam se aventurar no mundo da tecnologia. Só que às vezes as jovens demoram para descobrir a paixão pela tecnologia, querendo ingressar na carreira na fase adulta.

Portanto, o foco deve ir além das garotas, lembrando que deve acontecer equidade em todas as fases da vida.

Isso significa que, além de medidas que integrem as mulheres, as empresas devem ter uma cultura que promova a estabilidade delas no emprego. Pesquisas mostram que as mulheres têm 45% mais chances de desistir do trabalho no primeiro ano do que os homens.

“As organizações não podem apenas contratar as mulheres, elas também precisam ter uma cultura de trabalho e normas que não as espantem”, afirma.

Focar em referências

Uma maneira bem-sucedida de incentivar mulheres e garotas a perseguirem uma carreira na tecnologia é com referências de mulheres que alcançaram sucesso na área. Um estudo da CompTIA mostrou que 37% das garotas que estão no ensino fundamental e médio conhecem alguém que estão no ramo da tecnologia. Entre garotas que já estão buscando uma carreira em TI esse número sobe para 60%.

“Essas referências são a chave para quebrar uma das primeiras barreiras que impedem o interesse das mulheres no campo da tecnologia: a maioria simplesmente não sabe o que são as carreiras de tecnologia da informação“, explica Todd.

Uma nova estratégia de recrutamento

“Resolver o gap de gênero vai muito além de soltar relatórios de diversidade e proclamar o apoio a equidade de gênero”, diz o autor. Para ele, as empresas deveriam criar uma cultura que investe em mulheres e criem uma cultura positiva e autossustentável. “Conseguir superar o gap de gênero na tecnologia requer sair da zona de conforto antes de pedir para as mulheres fazerem o mesmo”, completa.

Gostou deste post? Que tal compartilhar:
Últimos
Trend Tags
Array ( [0] => 76 [1] => 222 [2] => 237 [3] => 115 [4] => 17 [5] => 238 [6] => 92 [7] => 125 [8] => 173 [9] => 16 [10] => 276 [11] => 25 [12] => 157 [13] => 66 [14] => 67 [15] => 62 [16] => 153 [17] => 127 [18] => 12 [19] => 19 [20] => 187 [21] => 69 [22] => 154 [23] => 175 )
Vídeos
Copyright © 2016 Free the Essence