Micro hotéis concorrem com Airbnb e hostels
Hotéis
Foto: iStock/GettyImages
Nova Economia > Modelos Disruptivos

Micro hotéis são tendência e concorrem com Airbnb e hostels

Diana Assennato em 26 de abril de 2016

Os hostels e o Airbnb, serviço de aluguel de quartos e imóveis para curtas estadias, ganhou novos concorrentes: os micro hotéis. Eles são funcionais, pequenos e oferecem diárias acessíveis.

A rede Pod Hotel, por exemplo, cobra cerca de US$ 100 (aproximadamente R$ 370) para quem deseja se hospedar em Nova York. Um hotel tradicional que fica na mesma região de um dos micro-hotéis, por exemplo, pode custar o dobro do preço.

Os micro hotéis oferecem quartos compactos, podendo medir menos de 10m². Dentro deles, há tudo o que o hóspede precisa: televisão, WiFi, ar condicionado, aquecimento, cofres e, é claro, cama. Há opções de beliches, camas de casal ou camas de solteiro.

O que oferecem os micro hotéis

Assim como os tradicionais, os micro hotéis oferecem acomodações para todos os bolsos e necessidades. Há quartos com banheiro privado, escrivaninha e secador de cabelo. Quem estiver com o orçamento apertado pode optar por uma versão mais básica, com banheiro compartilhado e menos comodidades.

Quarto Studio Pod no Poh Hotel 51, em Nova York

Foto: Divulgação

Esses estabelecimentos também costumam oferecer restaurantes, estacionamento e um amplo espaço de convivência. O hóspede pode usar esse ambiente para trabalhar, sem precisar ficar dentro do quarto o tempo todo.

As redes de micro hotéis começaram sua expansão na Europa, com marcas como CitizenM e Yotel. Os prédios ficam em regiões centrais ou perto de aeroportos. Para empresários do ramo de hotelaria, o grande atrativo é a possibilidade de colocar mais quartos em um mesmo espaço físico. O potencial de lucro acaba sendo muito maior.

Para manter os cômodos sempre cheios, as redes investem na tecnologia. Os hotéis da CitizenM possuem tablets para controlar persianas, luzes e televisão. Já as acomodações da Pod oferecem um sistema para acoplar iPods.

O sucesso da categoria impulsionou redes tradicionais de hotéis a investir nos micros. A Hilton Hotels & Resorts, por exemplo, está lançando a rede Tru, com quartos com cerca de 20 m².

Leia mais: Muji vende casas pré-fabricadas com design japonês

A Marriot International já lançou a cadeia Moxy, em Milão, e pretende lançar unidades nos Estados Unidos com quartos de 16 m².

Os concorrentes: Airbnb e hostels

Os micro hotéis têm o mesmo público-alvo de hostels e do Aribnb: viajantes com a cabeça a aberta e menos interessados em gastar grana.

O Airbnb é uma plataforma onde qualquer pessoa pode oferecer o seu imóvel para viajantes. O preço varia de acordo com a localização e as comodidades. É possível alugar um apartamento inteiro ou apenas um quarto.

Hostels são alternativas conhecidas, principalmente pelos mochileiros. Os quartos e banheiros costumam ser compartilhados, mas há opções individuais. Mais simples do que os micro-hotéis, eles também oferecem o básico, como WiFi e cofres para guardar pertences de valor.

Um dos principais atrativos dos hotels é a possibilidade de entrar em contato com viajantes de outras nacionalidades. Nos micro hotéis, isso também pode acontecer, caso o hóspede esteja disposto a confraternizar nas áreas comuns.

Você se hospedaria em um micro hotel, ou prefere o Airbnb ou hostel? Conte para a gente.

Gostou deste post? Que tal compartilhar:
Últimos
Trend Tags
Array ( [0] => 76 [1] => 222 [2] => 237 [3] => 115 [4] => 17 [5] => 238 [6] => 92 [7] => 125 [8] => 173 [9] => 16 [10] => 276 [11] => 157 [12] => 25 [13] => 66 [14] => 67 [15] => 62 [16] => 153 [17] => 127 [18] => 12 [19] => 19 [20] => 187 [21] => 69 [22] => 154 [23] => 172 )
Vídeos
Copyright © 2016 Free the Essence