Conheça 6 startups voltadas ao universo LGBTQ
lgbt_startups
Foto: Istock/Getty Images
Nova Economia > Modelos Disruptivos

Conheça 6 startups voltadas ao universo LGBTQ

Kaluan Bernardo em 30 de junho de 2016

Hoje há gays assumidos à frente de grandes empresas de tecnologia — tal como é o caso de Tim Cook, CEO da Apple, considerada a marca mais valiosa do mundo. Esse protagonismo é importante, é claro, mas não resolve todas as questões de representatividade. É por isso que o mercado de inovação também propõe produtos e negócios que ajudam a promover a inclusão LGBTQ. Conheça abaixo algumas das startups que estão fazendo do mundo um lugar mais colorido e de todos.

Startups voltadas ao público LGBTQ:

Gay Homestays

A rede social é voltada ao acolhimento de gays — que podem ser tanto de sua cidade quanto viajantes. Você pode disponibilizar um sofá, um quarto ou sua casa toda e ainda ganhar uma grana com isso. Sim, é uma espécie de Airbnb para o público gay.

A startup foi criada em 2010 e funciona no Brasil (apenas Rio de Janeiro), Espanha, Estados Unidos, República Tcheca, Itália, Reino Unido, Austrália, Turquia, França, Alemanha e Holanda. A ideia é oferecer locais seguros e amigáveis para um público que nem sempre encontra hospitalidade em um mundo com preconceitos.

Strapping

Clube de assinatura de produtos gays. No site você cria o seu perfil, mostrando que tipo de produtos te interessam. Todos os trimestres, o usuário poderá pagar US$ 40 por uma caixa, que virá com produtos LGBTQ escolhidos de acordo com seus interesses — podem ser calças, camisetas, bottons, o que quiser. Ele testa os que gostar ante de ficar e o restante poderá devolver. O que o cliente decidir ficar será cobrado. Os preços variam de  US$ 25 e US$ 200.

My Gay Trip

Site voltado ao turismo para o público LGBTQ. Criada em 2010 por empreendedores franceses, a página traz dicas de viagem com roteiros que passam por locais gay-friendly, lojas onde podem comprar produtos específicos ou ainda as baladas LGBTQ mais procuradas de cada região.

MyGWork

Uma espécie de LinkedIn para LGBTQ no Reino Unido. A ideia é promover inclusão no mercado de trabalho, que muitas vezes fecha as portas por razões homofóbicas. Além de ajudar a promover empregos, eles também destacam as políticas inclusivas das empresas e oferecem serviços específicos, como coaching.

Grindr e Her

O Grindr e o Her são o “Tinder para LGBTQs”. O primeiro é mais voltado ao homens enquanto o segundo é voltado a mulheres. Ambos funcionam por geolocalização e estão disponíveis tanto para Android quanto iOS. Servem tanto para quem procura seu par romântico quanto uma aventura casual.

Leia também:
Editoras apostam em livros LGBTQ voltados para público jovem
Projeto fotográfico mostra que existe diversidade no Vale do Silício

Semana do Orgulho LGBTQ

Em junho, o mundo todo celebra a Semana do Orgulho LGBTQ, por conta do dia 28 de junho, Dia Internacional do Orgulho LGBTQ.  A data é relacionada ao episódio de 28 de junho de 1969, quando policiais entraram no bar Stonewall Inn, nos Estados Unidos, para repreenderem gays, lésbicas, bisexuais e transexuais. O acontecimento causou uma reação intensa da sociedade, marcando uma nova fase na luta por direitos e equidade.

Boa parte dessa luta rendeu conquistas. Hoje, os mesmos Estados Unidos onde policiais repreendiam gays, permite, em todos os seus estados, o casamento homoafetivo No entanto, ainda há muito a se conquistar. Em 73 países manter relacionamento homossexual é considerado crime — em 13 países, tais relações ainda são passíveis de pena de morte.

Gostou deste post? Que tal compartilhar:
Últimos
Trend Tags
Array ( [0] => 76 [1] => 222 [2] => 237 [3] => 115 [4] => 17 [5] => 238 [6] => 92 [7] => 125 [8] => 173 [9] => 16 [10] => 276 [11] => 157 [12] => 25 [13] => 66 [14] => 67 [15] => 62 [16] => 153 [17] => 127 [18] => 12 [19] => 19 [20] => 187 [21] => 69 [22] => 154 [23] => 172 )
Vídeos
Copyright © 2016 Free the Essence