As tecnologias e tendências para o futuro da alimentação
futuro da alimentação
Foto: Istock/Getty Images
Nova Economia > Modelos Disruptivos

As tecnologias e tendências para o futuro da alimentação

Pedro Katchborian em 28 de julho de 2016

Buscando uma forma de entender o futuro da alimentação e da fome, a Envisioning, empresa que analisa tecnologias emergentes e tendências futurísticas, lançou o ZeroHunger, um infográfico desenvolvido para o Programa Alimentar Mundial, da ONU.

A Envisioning analisou 128 tecnologias e tendências diferentes no campo da alimentação e as dividiu por seções. Na plataforma, é possível filtrar por impacto e a prontidão de cada tecnologia, visando analisar em quanto tempo ela pode se tornar realidade. É possível navegar pela ferramenta interativa clicando aqui. O Free the Essence aponta os principais destaques do estudo.

O futuro da alimentação: o que se tornará realidade em breve?

No filtro por prontidão foi dado uma nota de 0 a 5. Quanto maior a nota mais próxima a tendência ou tecnologia está de virar realidade, sendo que algumas delas já existem de fato no mercado. Confira as cinco tendências mais próximas de se tornarem realidade globalmente, segundo o ZeroHunger.

Reaproveitamento de alimentos

A que é considerada mais pronta é o mercado de alimentos de segunda linha, com uma nota de 4.35. Resumidamente, a tendência consiste no reaproveitamento de alimentos considerados “danificados”. Grande parte das frutas e vegetais cultivadas ao redor do mundo acabam sendo descartados pela aparência. O papel desses mercados de alimentos de “segunda linha” é fornecer alimentos para restaurantes e mercados em preços competitivos.

tomates feios

Aproveitamento de alimentos feios e danificados. Foto: Istock/Getty Images

Um exemplo que já está no mercado é a Cerplus, empresa que funciona como um Tinder dos alimentos indesejados. O foco é fornecer alimentos a pequenos produtores e negócios com o objetivo de diminuir as toneladas de frutas e vegetais que acabam indo para o lixo. Na plataforma, usuários recebem as ofertas de alimentos que sobraram e podem fazer o pedido, normalmente 30% mais baratos do que o preço convencional. O Cerplus fica com uma pequena taxa de cada negócio. Outras empresas como a Food Cowboy e a Copia também fazem serviços parecidos, mas lidam mais com doação de alimentos para quem precisa.

Agricultura mobile

homem no meio de plantação com tablet na mão

Foto: Istock/Getty Images

A onda de aplicativos que oferecem soluções alternativas, mais baratas e mais organizadas também chegou ao mercado da agricultura e deve impactar o futuro da alimentação. Com uma taxa de prontidão que chega a 4.17 pontos, essa tendência está presente em diferentes plataformas. Esses apps permitem que agricultores consigam comparar preços, evitar golpes e conectar consumidores que precisam de frutas e vegetais, entre outras funções.

Leia mais:
O que é blockchain e como os negócios podem se beneficiar da tecnologia
CSA Brasil: consumidores e agricultores unidos para a produção de orgânicos

No Brasil, já existem alguns aplicativos que oferecem o serviço: lançado em 2015, o Agrosmart é um app desenvolvido por uma brasileira que tem como objetivo ajudar agricultores a gerenciar suas plantações, oferecendo o que é chamado de “cultivo inteligente”. O app usa informações meteorológicas e processamento de imagens para facilitar o trabalho do agricultor. Outro aplicativo brasileiro que impacta o mercado é o Farmsquare, plataforma para conectar agricultores urbanos e consumidores.

Blockchain

A taxa de prontidão do Blockchain é de 4.11 e, apesar da tecnologia ser usada principalmente na bitcoin, esse mercado descentralizado em que nenhuma companhia ou pessoa é dona do negócio também vai afetar o futuro da alimentação, segundo a Envisioning. No futuro, o sistema blockchain vai ajudar as pessoas a abrirem companhias que são geridas por algoritmos e que ajudam a proteger as nossas identidades online.

Insetos como nutrientes

Comparados com animais de fazenda, insetos crescem mais rápido e precisam de menos espaço para sobreviver. Com uma previsão de que em 2050 existirão nove bilhões de pessoas no mundo, a alimentação com insetos seria uma saída viável, já que eles possuem proteínas, vitaminas e aminoácidos para os humanos. A tendência recebeu 4.03 pontos na taxa de prontidão.

Feminilização da agricultura

mulher ajoelhada na frente de horta com tablet na mão

Foto: Istock/Getty Images

A Envisioning aponta a tendência da feminilização da agricultura como algo importante para o futuro da alimentação. O número de mulheres trabalhando na agricultura aumentou, principalmente nos países em desenvolvimento. Com esse crescimento, algumas iniciativas buscam democratizar o acesso a tecnologia para mulheres que trabalham no ramo.

Em um fórum chamado Empoderando mulheres para a administração de recursos naturais, realizado no Quênia em março de 2016, discutiu-se o tema das mulheres na agricultura. Um exemplo são algumas tecnologias que podem ajudar a diminuir o uso de força física durante o cultivo, o que é uma desvantagem para as mulheres.

Gostou deste post? Que tal compartilhar:
Últimos
Trend Tags
Array ( [0] => 76 [1] => 222 [2] => 237 [3] => 115 [4] => 17 [5] => 238 [6] => 92 [7] => 125 [8] => 173 [9] => 16 [10] => 276 [11] => 157 [12] => 25 [13] => 66 [14] => 67 [15] => 62 [16] => 153 [17] => 127 [18] => 12 [19] => 19 [20] => 187 [21] => 69 [22] => 154 [23] => 175 )
Vídeos
Copyright © 2016 Free the Essence