Por que Tim Berners-Lee, criador da web, está descontente
tim-berners-lee
Foto: Istock/Getty Images
Nova Economia > Modelos Disruptivos

Por que Tim Berners-Lee, criador da internet, quer uma web diferente

Kaluan Bernardo em 30 de junho de 2016

Há 27 anos Tim Berners-Lee, um cientista da computação inglês, criava a World Wide Web, nossa internet. Hoje ela é usada para derrubar governos, ver memes no Facebook, ter acesso à ciência avançada, comentar futebol no Twitter, trocar conhecimento com gente do mundo inteiro, ou arrumar um encontro no Tinder. A web é incrível e poderosa, mas também contém uma série de falhas sociais. E Tim Berners-Lee está incomodado com isso.

Ele não poupa críticas à internet moderna:

Ela controla o que as pessoas veem, cria mecanismos sobre como as pessoas interagem. Ela tem sido incrível, mas espiar, bloquear sites, ressignificar o conteúdo das pessoas, levando-as para os sites errados — isso destrói completamente o espírito de ajudar as pessoas a criarem.

Berners-Lee teceu essa e outras contundentes críticas em um evento chamado Decentralized Web Summit, que aconteceu em São Francisco, Califórnia (EUA), um dos principais polos tecnológicos do mundo. Financiado por empresas como Ford, Google e Mozilla, o debate ainda reuniu outros pioneiros da internet, como Vint Cerf (hoje vice-presidente do Google), e por Brewster Kahle, fundador do Internet Archive, uma espécie de museu da web.

Leia também:
O que é blockchain e como negócios podem se beneficiar da tecnologia
5 iniciativas da democratização da internet em grandes cidades

Tim Berners-Lee quer uma internet mais descentralizada

Para o pai da internet, o maior problema é que ela está concentrada na mão de poucos — e é necessário criar algo descentralizado. “Aquele nível utópico de sociedade, a reinvenção dos sistemas de debate e governo… o que aconteceu com tudo isso?”, perguntou. “Esperávamos que todos fizessem seus próprios sites, mas parece que as pessoas têm medo”, provocou.

O engenheiro falou sobre o modelo vigente de trocar privacidade por acesso na internet. “É um mito que tenha que ser assim, é um mito que todos estejam felizes com isso, é um mito que isso é bom”, comentou. “Estou frustrado pela metade que as pessoas estejam usando a web assim. Mas estou empolgado com o fato de que podemos realmente descentralizar a internet”, concluiu.

O site IEEE Spectrum diz ainda que ele criticou a natureza efêmera da rede, com páginas aparecendo e desaparecendo o tempo todo, tornando a rede menos confiável. Ele também comentou sobre os esquemas obscuros de controle de privacidade, que não permitem aos usuários saberem quem e o quê está monitorando suas atividades e dados. Kahle concorda e diz que a internet descentralizada pode ser tão agradável quanto essa. Ao IEEE Spectrum ele comentou:

É uma selva lá fora, mas é uma selva divertida para você ir se divertir. Podemos dar um tiro, fazer a web confiável, com privacidade e ainda divertida. Crédito extra se você puder criar um jeito em que as pessoas ganhem dinheiro publicando sem dependerem de um terceiro.

De acordo com o jornal The New York Times, Berners-Lee não culpa a tecnologia. “A internet já é descentralizada. O problema é a dominação de uma ferramenta de buscas, uma grande rede social, um Twitter para microblogging. Nós não temos um problema de tecnológico, temos um problema social”.

Gostou deste post? Que tal compartilhar:
Últimos
Trend Tags
Array ( [0] => 76 [1] => 222 [2] => 237 [3] => 115 [4] => 17 [5] => 238 [6] => 92 [7] => 125 [8] => 173 [9] => 16 [10] => 276 [11] => 25 [12] => 157 [13] => 66 [14] => 67 [15] => 62 [16] => 153 [17] => 127 [18] => 12 [19] => 19 [20] => 187 [21] => 69 [22] => 154 [23] => 175 )
Vídeos
Copyright © 2016 Free the Essence