5 dicas essenciais para evitar o desperdício de alimentos
Woman scraping food leftovers into bin
Foto: iStock/GettyImages
Sustentabilidade > Em Casa

5 dicas para desperdiçar menos alimentos

Kaluan Bernardo em 6 de novembro de 2016

A cada três quilos de comida produzida no mundo, um vai para o lixo. O desperdício acontece no plantio, no transporte, no armazenamento, nos mercados e, é claro, no prato. Na Europa, por exemplo, 42% desse descarte acontece nas residências.

Além dos aspectos éticos e morais do desperdício, há também os impactos econômicos. Segundo a World Resources Institute, WRI, todo o descarte de comida no mundo equivale a aproximadamente US$ 750 milhões nos lixos todos os anos. Se só a África Subsaariana, uma das regiões mais pobres do mundo, conseguisse evitar o descarte em 1% reduziria o desperdício em US$ 40 milhões ao ano. Com um detalhe importante: a maior parte dessa verba voltaria aos pequenos agricultores.

Há ainda o impacto ambiental. A Organização das Nações Unidas de Comida e Agricultura diz que desperdício de comida gera ao menos 3,3 mil toneladas de gases de efeito estufa lançados na atmosfera todos os anos. Se tudo isso fosse emitido por um país, ele seria o terceiro mais poluente do mundo.

Mais um motivo para você se preocupar com o desperdício de alimentos: o futuro. Em 2050, quando deverão existir mais de 9 bilhões de pessoas no mundo, precisaremos de 70% mais de comida do que temos hoje. Diminuir essa discrepância exige que desperdicemos menos alimentos.

Mas como? O que nós, na posição de cidadãos comuns, podemos fazer para reduzir o desperdício dentro de casa e, com isso, contribuir para um cenário diferente do que vemos hoje? Conversamos com Thabata Neder, cozinheira e consultora de gastronomia, para pegar algumas dicas.

Como evitar o desperdício de alimentos

Foto: iStock/GettyImages

Foto: iStock/GettyImages

 

1) Pense antes de comer

Ela defende que o primeiro passo para mudar essa mentalidade é pensar antes de comer. “Saibamos sempre que o processo envolve milhares e trilhares de pormenores em relação ao planeta e aos seres vivos que o habitam, de todos os tipos”, diz. Defende ainda que precisamos entender melhor a origem e o destino de nosso alimento e como influenciamos a cadeia. “O não consumido, o excedente e o estragado não somem, mas consomem — principalmente nossa camada de ozônio”, lembra. E finaliza:

O desperdício de uns é a falta de outros nessa maluca realidade atual de fome e obesidade entre humanos.

2) Plante o máximo que puder

Thabata defende que, quanto maior a autonomia, maior a economia — tanto energética quanto de recursos naturais. “Além da providência maravilhosa de encontrar seu temperinho fresco na hora ‘pá-pum’ ou o orgulho de apresentar seus próprios tomates na refeição da família”, diz. E aí vale tudo: canteiro na varanda, horta comunitária e até vasos na cozinha.

3) Cozinhe mais e mais

Conseguir tempo para isso é importante. “Desenvolver técnicas de culinária rápida, aproveitamento integral e congelamento são as bases pra iniciar a jornada da sustentabilidade dentro da cozinha”, defende Thabata. Ainda é necessário colocar atenção na compra do alimento. “Um fator crucial e determinante para o frescor dos alimentos é a distância de onde ele foi plantado e o tempo que ele foi colhido — quanto mais local melhor”, comenta.

4) Dê preferência para alimentos frescos e integrais

“Quanto menor a interferência sofrida pelo alimento, menor o lixo que foi gerado durante sua viagem da terra até o prato”, defende. Caso você coma carne e vegetais, vale equilibrar os pratos — reduzir o consumo de carne vermelha, aumentar o consumo de frutas, legumes e vegetais, acertar no consumo de açúcar e gorduras. “O desperdício acontece muito mais nos extremos das escolhas alimentares. De tudo um pouco e um pouco de tudo”, diz.

5) Evite o “olho maior que barriga”

“No fundo, o maior vilão ainda é “o olho maior do que a barriga”, defende Thabata. “Sabe quando vamos ao mercado com fome e acabamos com a sacola mais pesada que o necessário? Acontece também quando aquele empresário cresce o olho no lucro e não liga bulhufas para seus excedentes – principalmente se esse ‘lixo’ elevará o custo em qualquer centavo”, diz.

Gostou deste post? Que tal compartilhar:
Últimos
Trend Tags
Array ( [0] => 76 [1] => 222 [2] => 237 [3] => 115 [4] => 17 [5] => 238 [6] => 92 [7] => 125 [8] => 173 [9] => 16 [10] => 276 [11] => 25 [12] => 66 [13] => 67 [14] => 157 [15] => 62 [16] => 153 [17] => 127 [18] => 12 [19] => 19 [20] => 187 [21] => 69 [22] => 154 [23] => 175 )
Vídeos
Copyright © 2016 Free the Essence