7 erros comuns quando se tenta fazer reciclagem em casa
reciclagem
Foto: Istock/Getty Images
Sustentabilidade > Em Casa

7 erros comuns na hora de fazer a sua parte na reciclagem

Kaluan Bernardo em 27 de outubro de 2016

O Brasil gera 79,9 milhões de resíduos sólidos urbanos por ano. Disso tudo, apenas 4,7 mil toneladas vão para reciclagem. É um índice de apenas 3%, quando a capacidade de material que tem potencial para ser reciclado é de 30%.

Boa parte desse material não é reciclado porque, apesar de terem boas intenções, muitas pessoas não sabem como separar corretamente os resíduos para coleta seletiva. Por isso, separamos alguns dos principais erros quando o assunto é separar material para reciclagem.

Erros mais comuns na reciclagem

1) Misturar papel higiênico ou papelão sujo com o resto dos materiais. Basta um pouquinho para contaminar o resto e impedir que sejam reciclados. Isso serve para tudo: caixa do McDonalds engordurada, caixa de pizza com queijo etc.

2) Achar que dá para reciclar sacolas plásticas. Infelizmente, é muito raro conseguir reciclá-las. Elas precisariam estar completamente limpas, secas e vazias – o que é difícil quando elas vão parar no lixo. A melhor solução ainda é evita-las e usar sacolas retornáveis.

3) Descartar lixos eletrônicos no lixo comum. Pilhas, baterias, lâmpadas fluorescentes e outros tipos de eletrônicos são tóxicos e podem contaminar o meio ambiente. Eles precisam passar por um processo de logística reversa e, portanto, serem enviados a lugares específicos que trabalhem com reciclagem de eletrônicos. Nesse texto damos mais instruções de como tratá-los corretamente.

4) Não proteger objetos cortantes, pontiagudos ou contaminados. Esquecer de dar essa atenção é uma tremenda falta de respeito com os catadores e recicladores, que podem se ferir por uma imprudência sua. Até mesmo animais, que costumam revirar lixos, podem se machucar. Portanto, proteja esses materiais com jornal, caixas de papelão ou o que for necessário para que não ofereçam riscos.

5) Achar que vidro é tudo igual. Não, não é. Jarras, lâmpadas, pratos, copos, porcelana… cada um é diferente do outro. Quando for jogar fora, separe o que é translúcido e o que é opaco.

6) Não separar todos os materiais. Se no seu bairro a coleta seletiva pede para separar papel de alumínio, de vídeo, de plástico, faça isso. Facilita bastante a vida dos recicladores. Mas em alguns lugares é permitido colocar esses materiais juntos. Aí a única atenção é para não misturar com eletrônicos ou materiais tóxicos. Inclusive, faça nosso quiz e veja se você sabe identificar quais tipos de objetos são recicláveis.

7) Picar papel. Muita gente pica o papel achando que está fazendo uma boa ação e facilitando a reciclagem, mas a verdade é que não está. A maioria das recicladoras não dá conta do papel muito pequeno e aquele material que você picou com tanto carinho não serve para nada.

Reciclagem também é economia

Reciclar objetos pode ajudar nas contas. Em São Paulo, por exemplo, uma startup chamada Triciclo tem uma máquina que oferece desconto nas contas de luz e no transporte público em troca de itens recicláveis.

Além disso, você pode reciclar seus pods de Drinkfinity (que são feito de PET) levando-os a uma loja. Isso te dá desconto de 25% em compras futuras e ainda ajuda no trabalho de cooperativas sociais.

Gostou deste post? Que tal compartilhar:
Últimos
Trend Tags
Array ( [0] => 76 [1] => 222 [2] => 237 [3] => 115 [4] => 17 [5] => 238 [6] => 92 [7] => 125 [8] => 173 [9] => 16 [10] => 276 [11] => 25 [12] => 157 [13] => 66 [14] => 67 [15] => 62 [16] => 153 [17] => 127 [18] => 12 [19] => 19 [20] => 187 [21] => 69 [22] => 154 [23] => 175 )
Vídeos
Copyright © 2016 Free the Essence