Por que e como criar purpurina e glitter ecológicos em casa
glitter ecologico
Foto: Istock/Getty Images
Sustentabilidade > Em Casa

Por que e como fazer glitter ecológico em casa

Kaluan Bernardo em 1 de fevereiro de 2017

Você sabia que glitter e purpurina, sempre tão comuns no Carnaval, podem ser perigosos para o meio ambiente? Isso porque, assim como esfoliantes, eles são feitos de microplástico. Assim que acabam as festas e lavamos o rosto ou o corpo, o glitter desce pelo ralo e entra no sistema de esgoto. Por ser muito pequeno, ele e a purpurina passam direto pelos processos de filtragem e chegam a oceanos, rios e lagos.

glitter ecológico

Foto: Istock/Getty Images

O site Refinery29, que discute o tema, diz que, na Califórnia (EUA), por exemplo, um quarto dos peixes havia ingerido microplástico. Além de ser propriamente perigoso para os animais, também é danoso para os humanos, que consumirão esses peixes. As microesferas absorvem pesticidas e metais pesados, substâncias tóxicas que acabam inseridas em nossas dietas.

“O plástico também é feito com produtos químicos, e esses produtos mergulham nos tecidos de organismos que comem as partículas de plástico e, em seguida, fazem seu caminho na cadeia alimentar até chegarem em nossos pratos”, explica Anna Cummins, diretora executiva e co-fundadora da ONG 5Gryes, ao Refinery29.

LEIA MAIS
São Paulo: veja a programação dos blocos de carnaval 2017
LEIA MAIS
9 receitas para fazer seu próprio esfoliante caseiro

Há quem argumente que, no caso do glitter, o impacto não é relevante por se tratar de pequenas quantidades e em uma situação sazonal como é o Carnaval. Mas especialistas alertam que ainda assim os danos são consideráveis.

“Embora sejam substâncias muito pequenas, devemos considerar que elas aparecem em grande quantidade, especialmente na zona litorânea. Quando temos uma contingente enorme de plásticos, até a fotossíntese das algas pode ser prejudicada. O glitter e a purpurina não têm tamanho para provocar o mesmo efeito, mas chegam com muita facilidade ao mar, até porque muitos banhistas vão para o oceano tomar banho”, comenta Cláudio Gonçalves Tiago, pesquisador do Centro de Biologia Marinha (Cebimar-USP), ao jornal O Globo.

Caso você queira continuar a curtir o Carnaval com glitter e purpurina, mas sem deixar de lado sua consciência ecológica, saiba que há saídas. Nós aqui em Free The Essence te ensinamos a fazer seu glitter em casa e sem utilizar plástico.

Como fazer glitter ecológico em casa

1) Coloque sal em um saco Zip Lock . Será necessário um para cada cor de glitter. Despeje a quantidade desejada, mas sem exagerar. Pode ser sal comum, porém os mais grossos como o kosher e o marinho, costumam funcionar melhor.

2) Coloque corante alimentício no sal. Você pode adicionar o quanto quiser, mas quanto mais sal estiver usando, obviamente precisará colocar mais corante precisará colocar. Quanto mais denso, mais escuro ficará.

3) Feche o saco e agite-o bem para misturar o sal e o corante. Caso ainda esteja mais claro do que desejava, basta adicionar mais cor.

4) Abra o saco e deixe o sal secar em um local quente e seco. Na maioria dos casos, a purpurina só precisa secar por duas a três horas.

Gostou deste post? Que tal compartilhar:
  • Radha

    Mas no calor, sal na pele? Não acho boa idéia, não. O que a galera da dermatologia diz?

Últimos
Trend Tags
Array ( [0] => 76 [1] => 237 [2] => 205 [3] => 97 [4] => 222 [5] => 62 [6] => 157 [7] => 276 [8] => 12 [9] => 249 [10] => 86 [11] => 94 [12] => 267 [13] => 68 [14] => 16 [15] => 115 [16] => 186 [17] => 17 [18] => 102 [19] => 173 [20] => 175 [21] => 238 [22] => 92 [23] => 236 [24] => 79 )
Vídeos
Copyright © 2016 Free the Essence