Belas e assustadoras fotos mostram o degelo das calotas polares
degelo das calotas polares7
Foto: Timo Lieber Photography/ Reprodução The Guardian
Sustentabilidade > Na Rua

Belas e assustadoras, fotos mostram o degelo das calotas polares

Camila Luz em 7 de fevereiro de 2017

Se você olhar uma foto aérea atual dos extremos do planeta, onde imensidões de gelo cobrem os pólos Sul e Norte, verá grandes manchas azuis que nunca estiveram lá. São lagos que vêm se formando verão após verão nos últimos ano, como resultado do degelo das calotas polares.

Por mais belas e admiráveis que as novas imagens sejam, elas funcionam como um alerta de que as mudanças climáticas estão afetando a Terra a olhos vistos.

LEIA MAIS
Planeta verde: plantas se proliferam por causa das mudanças climáticas
LEIA MAIS
Before The Flood: filme de Leonardo DiCaprio fala sobre mudanças climáticas

O fotógrafo britânico Timo Lieber é apaixonado por neve e, em anos de profissão, reparou que as calotas polares estavam mudando de aparência. “Sempre tive uma paixão por gelo”, conta, em artigo no site The Guardian. “Eu fui à Islândia sete ou oito vezes, para a Noruega e para a Groelândia. A contribuição da Groelândia para o aumento global do nível do mar é cerca de três vezes superior à da Antártida. Eu vi o quão rápido a paisagem está mudando e queria colocá-la em um trabalho”, diz.

Lieber fez uma parceria como o Scott Polar Research Institute (Reino Unido), que forneceu imagens de satélites do Ártico, no extremo norte do planeta, destacando onde os lagos tendem a aparecer. O fotógrafo se planejou para visitar os locais e capturar imagens. Quando chegou lá, o que viu foi assustador: há tantos lagos que não seria necessário marcar os pontos antes de ir. Ele afirma:

Uma paisagem que você esperaria ser branco imaculada está permeada de azul.

O fotógrafo passou cerca de uma semana no Ártico sobrevoando as calotas polares sempre que o tempo permitia. “Naquela época do ano o sol quase nunca se põe, então você pode voar às três ou quatro da manhã e a luz é perfeita”, revela. Para capturar as imagens, usou um helicóptero sem portas e um avião bimotor que só tinha um pequeno buraco na janela. Para que Lieber pudesse fotografar, o piloto precisava inclinar a aeronave em um ângulo de quase 60 graus.

O risco valeu a pena e pode ser conferido nas imagens abaixo. Mas não se engane pela sua beleza: as grandes manchas azuis que cortam a superfície branca revelam o quanto devemos nos preocupar com o degelo das calotas polares. “A beleza desmente as terríveis implicações. A capa de gelo se fragmenta em minúsculos pedacinhos. Um rio atravessa a calota gelada da Groenlândia. Mais e mais rios estão se formando”, finaliza.

degelo das calotas polares1

Foto: Timo Lieber Photography/ Reprodução The Guardian

degelo das calotas polares2

Foto: Timo Lieber Photography/ Reprodução The Guardian

degelo das calotas polares3

Foto: Timo Lieber Photography/ Reprodução The Guardian

degelo das calotas polares4

Foto: Timo Lieber Photography/ Reprodução The Guardian

degelo das calotas polares5

Foto: Timo Lieber Photography/ Reprodução The Guardian

degelo das calotas polares6

Foto: Timo Lieber Photography/ Reprodução The Guardian

degelo das calotas polares7

Foto: Timo Lieber Photography/ Reprodução The Guardian

degelo das calotas polares8

Foto: Timo Lieber Photography/ Reprodução The Guardian

Gostou deste post? Que tal compartilhar:
Últimos
Trend Tags
Array ( [0] => 76 [1] => 237 [2] => 205 [3] => 97 [4] => 222 [5] => 62 [6] => 157 [7] => 276 [8] => 12 [9] => 249 [10] => 86 [11] => 94 [12] => 267 [13] => 68 [14] => 16 [15] => 115 [16] => 186 [17] => 17 [18] => 102 [19] => 173 [20] => 175 [21] => 238 [22] => 92 [23] => 236 [24] => 79 )
Vídeos
Copyright © 2016 Free the Essence