ONGs investem na adoção de cães de forma criativa
Cãodulas
Foto: Istock/Getty Images
Sustentabilidade > Na Rua

ONGs investem na adoção de cães de forma criativa

Camila Luz em 17 de maio de 2016

O Brasil tem a segunda maior população de cachorros do mundo, segundo dados do IBGE (Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística). Desses, 52 milhões já têm um lar. Não há informações sobre quantos estão sem casa, mas basta dar uma volta pelas cidades para dar de cara com muitos animais abandonados ou simplesmente de rua. Para incentivar a adoção de cães, ONGs investem em ações criativas que nascem de observações do cotidiano dos animais.

Cachorros gostam de buscar coisas. Qualquer objeto lançado ao longe é suficiente para divertir um cãozinho, que sai correndo para trazê-lo de volta ao humano que se propõe a brincar. Pensando nisso, a empresa especialista em alimentos para animais PremieR pet levou um time de cães gandulas para o Brasil Open de Tênis 2016.

CãoDulas:  adoção de cães de forma criativa

O Brasil Open de Tênis é um torneio que reúne nomes importantes da modalidade. Em 2016, aconteceu entre os dias 22 e 28 de fevereiro, em São Paulo. Atletas como Fabio Fognini e Thomaz Belluci participaram da disputa. Mas essas não foram as únicas estrelas que brilharam no torneio. Frida, Costa, Mel e Isabelle são quatro cachorras que ficaram responsáveis por buscar as bolinhas perdidas durante os jogos.

foto dos cachorros que foram cãodulas

Foto: Reprodução/Premier Pet

Os cães foram resgatados pela ABEAC (Associação Bem Estar Animal Amigos da Célia), uma ONG que atua no amparo de bichos de rua. Ela é responsável por 257 canis que abrigam quase mil cachorros.

A ONG fez parceria com a PremieR pet para levar as quatro cadelas ao aquecimento entre o espanhol Roberto Carballes Baena e o português Gastão Elias, e à cerimônia de premiação do torneio.  A proposta da ação era conscientizar as pessoas sobre a importância da adoção de cães de rua.  

De acordo com o site da PremieR pet, a participação dos Cãodulas foi notícia em veículos de notícia internacionais, como The New York Times, CNN e TIME. “Eles [os cãodulas] provaram ao mundo que os cães que aguardam a chance de um lar, quando amados, bem cuidados e alimentados corretamente, podem ser grandes companheiros do homem, aprender coisas novas e realizar grandes feitos”, disse Madalena Spinazzola, diretora de marketing corporativo e planejamento estratégico da empresa.

Assista ao vídeo promocional do CãoDulas:

Na Nova Zelândia, cães viraram motoristas

A ONG SPCA Auckland, localizada na cidade de Auckland, na Nova Zelândia, provou que é possível ensinar novos truques a animais de rua. No final de 2012, cada um dos cães resgatados pela associação aprendeu a dirigir.

Amarrados no banco do motorista, os cães são capazes de usar suas patas para ligar o carro e trabalhar aceleração e freio. O veículo foi modificado para se adaptar a motoristas com necessidades especiais.

Os cães não foram treinados para dirigir na rua, é óbvio. Foi apenas uma demonstração de como animais de rua podem ser inteligentes e dóceis, independente de como foram parar no lar de ação.

Veja o vídeo promocional:

Como ajudar animais de rua?

A ONG World Animal Protection preparou um guia que explica como ajudar animais abandonados. O primeiro passo é tirá-los da rua. É preciso se aproximar com cuidado e oferecer comida ou a mão para o cachorro ou gato cheirar.

Depois, a ONG aconselha a encontrar um espaço para o bicho em casa. Abrigos costumam ser superlotados e não possuem tantos recursos. Por isso, basta reservar um cantinho com água, comida e um local para o animal dormir, protegido do calor ou  do frio, que logo tudo fica bem.

Antes de tentar doá-lo, ou de decidir adotá-lo de vez, tente procurar pelo dono. Nem todos os bichinhos foram abandonados. Alguns estão apenas perdidos. Converse com vizinhos e publique uma foto do animal nas redes sociais. Divulgue em grupos especializados e deixe o post público no Facebook, por exemplo, para que mais pessoas possam ver e compartilhar.

É preciso tratar da saúde do gato ou cão. Leve-o ao veterinário e dê as vacinas necessárias. Se estiver sem dinheiro para cuidar do animal, faça uma vaquinha com amigos ou procure soluções criativas para convidar pessoas a ajudar.

Se decidir pela doação, procure feiras ou ONGs de confiança. Caso vá doar diretamente para um interessado, converse com ele para entender se tem condições de cuidar bem do animal. Pegue seus dados e faça com que assine um termo de responsabilidade. Com todos esses cuidados, a chance de você voltar a encontrar aquele animal na rua de novo será mínima.

Gostou deste post? Que tal compartilhar:
Últimos
Trend Tags
Array ( [0] => 76 [1] => 222 [2] => 237 [3] => 115 [4] => 17 [5] => 238 [6] => 92 [7] => 125 [8] => 173 [9] => 16 [10] => 276 [11] => 157 [12] => 25 [13] => 66 [14] => 67 [15] => 62 [16] => 153 [17] => 127 [18] => 12 [19] => 19 [20] => 187 [21] => 69 [22] => 154 [23] => 175 )
Vídeos
Copyright © 2016 Free the Essence