Orgânicos podem ser mais baratos do que alimentos convencionais
00076462191_organicos mais baratos (1)
Foto: Istock/Getty Images
Sustentabilidade > Na Rua

Orgânicos custam menos em feiras e grupos de consumo responsável

Camila Luz em 25 de maio de 2016

O alto preço não pode ser desculpa para evitar o consumo de orgânicos. Em supermercados, alimentos naturais costumam custar mais caro do que convencionais. Mas uma pesquisa feita pelo Instituto Kairós em 2015 mostra que é possível comprar comida saudável barata em locais que se baseiam na venda direta entre produtor e consumidor, como feiras e grupos de consumo responsável (GCR).

Arpad Spalding, gestor de projetos do Instituto Kairós, afirma que a comida orgânica não é mais cara em todos os pontos de venda. “No supermercado, é mais cara pois ele lucra com a revenda. Mas há lugares onde é possível comprar orgânicos por preços mais baratos do que convencionais”, revela. “Por exemplo, no Instituto Chão ou em outros grupos de compra onde consumidores se organizam para comprar direto do produtor. Em feiras, também é possível comprar mais barato ou pelo mesmo preço dos alimentos comuns”, conclui.

Leia mais:
Mercado de orgânicos pode incentivar pequenos produtores
Instituto Chão e a economia solidária: revender produtos pelo preço do produtor

Para o gestor de projetos, a  média de preços é mais alta hoje por que supermercados dominam boa parte do comércio, e eles vendem orgânicos como produtos “raros”.

Preço de cestas de produtos orgânicos

Foto: Instituto Kairós/Reprodução

Além disso, quem lucra é o supermercado, e não o agricultor. “É preciso analisar o seguinte: quanto o supermercado ganha com o produto? E quanto o agricultor ganha? Quem eleva o preço é o ponto de revenda, e não o fazendeiro”, afirma Arpad.

Onde os alimentos orgânicos são mais baratos

Segundo o estudo feito pelo Instituto Kairós, o alto custo do orgânico realmente varia em função do ponto de revenda, e não por diferenças nos processos de produção. Produtos naturais na venda direta costumam ser mais baratos do que convencionais em supermercados.

O Instituto levantou preços de 22 alimentos: ovo e 21 tipos de hortaliças, como alface americana, alface crespa, cenoura, brócolis, abacate e quiabo.

Veja os gráficos que comparam preços de produtos orgânicos em supermercados, feiras orgânicas e grupos de consumo responsável:

preços de orgânicos

Imagem: Instituto Kairós/Reprodução

preços de orgânicos 2

Imagem: Instituto Kairós/Reprodução

Em todos os casos, a média de preços é sempre mais alta nos supermercados. Já os grupos de consumo responsável são os que apresentam os custos mais baixos. Apenas ovo, cenoura e brócolis são mais baratos nas feiras orgânicas.

O Idec (Instituto Brasileiro de Defesa do Consumidor) mapeou locais que vendem alimentos naturais no Brasil. É possível filtrar a busca optando por grupos de consumo responsável, feiras orgânicas ou agroecológicas, associações, cooperativas e produtores. Também dá para escolher dia e horário de funcionamento.

Alimentos orgânicos X Alimentos convencionais

Como os grupos de consumo responsável apresentaram os preços mais baixos, o Instituto Kairós os comparou aos dos supermercados e das feiras que vendem produtos convencionais.

Veja os gráficos abaixo:

orgânicos e convencionais

Imagem: Instituto Kairós/Reprodução

 

orgânicos e convencionais

Imagem: Instituto Kairós/Reprodução

Metade dos orgânicos vendidos nos grupos de consumo responsável são mais baratos do que convencionais repassados por supermercados. Um sexto dos preços são equivalentes e apenas um terço apresenta médias maiores nos GCR.

No entanto, quando orgânicos vendidos por grupos de consumo responsável são comparados aos convencionais vendidos por feiras, dois terços dos preços são mais altos nos GCR.

A pesquisa também concluiu que supermercados vendem orgânicos e convencionais por preços altos. Alimentos comuns vendidos por esses pontos custam mais caro do que nas feiras – com exceção da alface crespa.

O consumidor está disposto a pagar mais por produtos orgânicos?

Há locais para comprar orgânicos por preços baixos, mas poucos consumidores sabem disso. Segundo Arpad, quem está disposto a pagar mais caro por naturais entende todas as vantagens incluídas na sua produção e consumo. “Para produzir alimentos convencionais, a água é poluída, o solo é maltratado e a saúde humana é afetada. Eles podem causar alergias e outros problemas graves de saúde”, afirma.

Esses riscos não estão embutidos no preço final de produtos convencionais revendidos pelo supermercado. “Na produção orgânica, por outro lado, tudo está internalizado no custo do alimento. São mais saudáveis e prejudicam menos a natureza”, explica.

A agricultura convencional utiliza agrotóxicos, fertilizantes químicos e até mesmo sementes transgênicas, em busca de maiores lucros e redução da mão de obra. Essas ações trazem efeitos negativos para meio ambiente e sociedade. Já a agricultura orgânica não faz uso de nenhum insumo químico e utiliza práticas que respeitam o meio e a saúde.

Cada consumidor deve refletir sobre a importância de buscar centros de distribuição que vendam orgânicos por preços justos. Caso não exista nenhum perto de casa, pagar um pouco mais caro por alimentos naturais também acaba valendo a pena. Concorda? Dê a sua opinião sobre o assunto.

Gostou deste post? Que tal compartilhar:
Últimos
Trend Tags
Array ( [0] => 76 [1] => 222 [2] => 237 [3] => 115 [4] => 17 [5] => 238 [6] => 92 [7] => 125 [8] => 173 [9] => 16 [10] => 276 [11] => 157 [12] => 25 [13] => 66 [14] => 67 [15] => 62 [16] => 153 [17] => 127 [18] => 12 [19] => 19 [20] => 187 [21] => 69 [22] => 154 [23] => 172 )
Vídeos
Copyright © 2016 Free the Essence