Pólo Norte: temperaturas devem bater recorde no final de dezembro
Pólo Norte
Foto: Istock/Getty Images
Sustentabilidade > Na Rua

Pólo Norte: temperaturas devem bater recorde no final de dezembro

Pedro Katchborian em 22 de dezembro de 2016

O verão chegou no Brasil e com isso as temperaturas devem aumentar cada vez mais nas próximas semanas. O clima tropical brasileiro está longe de ser parecido com o do Pólo Norte, é claro, mas a região polar também deve ter semanas mais quentes em breve. Como avisa Mashable, a temperatura do Pólo Norte deve chegar a 0ºC logo, o que já poderia ser suficiente para derreter parte das geleiras.

Parece frio, mas por lá só costuma ter temperaturas que ultrapassam 0ºC a partir de maio, evidenciando mais uma vez o período de mudanças climáticas em que vivemos. Essa onda de calor no ártico é uma combinação de fatores, como tempestades que saem do lado oceânico do Ártico e trazem umidade para a região.

pólo norte

Foto: Istock/Getty Images

Apesar de incomum, a situação também ocorreu em dezembro de 2015. Andrew Freedman, do Mashable, diz que esse aquecimento “traz a discussão de que essas mudanças estão acontecendo mais frequentemente e se tornando mais severas“.

O ano no Ártico já é o mais quente da história, quando as temperaturas começaram a ser medidas, em 1900. Em papéis publicados na última semana no Climate Central, cientistas descobriram que as temperaturas de novembro de dezembro no Ártico seriam “extremamente improváveis” em um mundo sem o aquecimento global causado por humanos.

Um exemplo de uma temperatura que não condiz com a época é a de Dvalbard, na Noruega. Normalmente, em meados de dezembro a temperatura costuma estar abaixo de zero, sendo que o medido foi de 4ºC.

LEIA MAIS
Estudo conecta degelo a aquecimento global de maneira cíclica
LEIA MAIS
Dinamarca estuda taxar a carne para reduzir o aquecimento global

Kent Moore, um professor na Universidade de Toronto, publicou um estudo na Nature em 15 de dezembro, em que investiga o aquecimento do Pólo Norte. A pesquisa descobriu que esses eventos estão associados com sistemas de pouca pressão, ou ciclones, próximas ao pólo. Essa condição também aparece nessa semana.

Outro estudo, feito pelo Journal of Climate, também mostrou que há cada vez mais desses eventos. A pesquisa descobriu que o número desse tipo de evento em dezembro e janeiro dobrou desde 1990.

Pólo Norte: esquentando muito rápido

Segundo Moore, as taxas de aquecimento estão duas vezes mais rápidas do que o convencional. Ele explica que esses eventos não são inéditos, mas o problema é a frequência cada vez maior. “Estamos chegando a um ponto em que o extremo está ficando cada vez mais extremo“, destaca.

Esse aquecimento todo pode causar sérios problemas para a vida que existe no Ártico. Por exemplo: a chuva pode cair por cima da neve, o que dificultaria o acesso a comida.

Andrew, do Mashable, explica um pouco onde foi parar o ar frio do Pólo Norte. E a explicação é simples: da mesma maneira que acontece quando uma geladeira fica com a porta aberta por muito tempo, o ar do Ártico acabou indo para regiões de latitudes médias. Essas anomalias podem fazer o Ártico ficar 10ºC mais quente do que normalmente.

Gostou deste post? Que tal compartilhar:
ESCOLHA DO EDITOR
Últimos
Trend Tags
Array ( [0] => 205 [1] => 76 [2] => 12 [3] => 237 [4] => 97 [5] => 249 [6] => 222 [7] => 62 [8] => 157 [9] => 276 [10] => 259 [11] => 86 [12] => 267 [13] => 94 [14] => 68 [15] => 16 [16] => 167 [17] => 115 [18] => 186 [19] => 17 [20] => 102 [21] => 173 [22] => 238 [23] => 175 [24] => 92 )
Vídeos
Copyright © 2016 Free the Essence