Estamos mais perto do fim? entenda o que é o relógio do apocalipse
relógio do apocalipse
Foto: Istock/Getty Images
Sustentabilidade > Na Rua

Estamos mais perto do fim? Entenda o que é o relógio do apocalipse

Pedro Katchborian em 19 de abril de 2017

O relógio do apocalipse — também chamado de relógio do juízo final — foi criado por uma comissão do Bulletin of the Atomic Scientists, formado por cientistas da Universidade de Chicago em 1947. O motivo eram as ameaças nucleares da época. No relógio do apocalipse, quanto mais perto da meia-noite, mais perto do fim do mundo. Quando ele foi desenvolvido, o medo era de uma guerra nuclear, mas hoje existem vários outros motivos que podem acabar com a nossa existência sob a Terra.

LEIA MAIS
Animais ameaçados de extinção: quais são e como salvá-los
LEIA MAIS
Como parar o aquecimento global? Livro reúne todas alternativas

Alguns membros da comissão que criou o relógio estavam envolvidos no Projeto Manhattan, que foi responsável por desenvolver as primeiras armas nucleares. Desde a criação, o relógio tem variado entre 17 minutos para a meia-noite, em 1991, e 2 minutos para a meia-noite, em 1953. No final de janeiro de 2017, o ponteiro foi ajustado para 2 minutos e meio para a meia noite.

Mas o que o relógio do apocalipse leva em consideração?

A comissão observa alguns fatores na hora de designar onde está o ponteiro. São eles: ameaças nucleares, mudanças climáticas, bioterrorismo, biossegurança e outras ameaças como inteligência artificial. O último ajuste do relógio mostra que atualmente estamos vivendo o momento de maior risco do apocalipse desde 1953.

Confira uma linha do tempo com as principais alterações no relógio nos últimos 70 anos. Aqui você consegue ver a lista completa.

1947 – 7 minutos para meia-noite: o relógio ficou em sete minutos para meia-noite, devido aos perigos nucleares;

1949 – 3 minutos para meia-noite: o ponteiro do relógio ficou mais perto da meia-noite logo depois que a União Soviética fez o primeiro teste nuclear;

1953 – 2 minutos para a meia-noite: os EUA criaram a bomba de hidrogênio;

1963 – 12 minutos para meia-noite: os testes nucleares acabaram;

1984 – 3 minutos para meia-noite: as relações entre Estados Unidos e União Soviética ficaram tensas novamente;

1991 – 17 minutos para meia-noite: o fim da Guerra Fria levou o relógio para longe da meia-noite;

2015 – 3 minutos para meia-noite: o relógio do apocalipse voltou para 3 minutos para meia-noite por causa das mudanças climáticas e risco de ataques nucleares, todos uma “inegável ameaça para humanidade”;

2016 – 2 minutos e meio para meia-noite: fatores como discussões de grandes líderes sobre ameaças nucleares ajustaram o relógio para mais próximo do apocalipse;

Críticas ao relógio do apocalipse

Anders Sandberg, do The Conversation, nega a precisão do relógio. “A estimativa não é só inadequada, mas enganosa“, diz. Para ele, a probabilidade de 1,4% por ano de guerra nuclear soa muito exata e a estimativa é baseada em uma lista “suspeita“. “A chance de estar errado é alta. Poderia ser melhor reconhecer explicitamente a incerteza”, diz.

Mas como afirma a Wired, vale lembrar que o relógio não deve ser encarado com tanta precisão assim. “A ideia é informar o público sobre as ameaças à sobrevivência e desenvolvimento da humanidade”, afirma a publicação.

Gostou deste post? Que tal compartilhar:
Últimos
Trend Tags
Array ( [0] => 237 [1] => 205 [2] => 97 [3] => 76 [4] => 222 [5] => 157 [6] => 276 [7] => 12 [8] => 249 [9] => 94 [10] => 267 [11] => 68 [12] => 16 [13] => 115 [14] => 186 [15] => 17 [16] => 173 [17] => 175 [18] => 238 [19] => 62 [20] => 92 [21] => 236 [22] => 25 [23] => 153 [24] => 125 )
Vídeos
Copyright © 2016 Free the Essence