Consumo responsável: app Responsa mostra onde encontrar orgânicos
consumo responsável
Foto: Istock/Getty Images
Sustentabilidade > Negócios

App Responsa: encontre orgânicos e grupos de consumo responsável

Camila Luz em 27 de outubro de 2016

O consumo responsável envolve alimentação orgânica, relações diretas de compra e economia solidária. Quem vive na cidade pode achar difícil encontrar alimentos saudáveis e produtos artesanais por preços acessíveis e não muda de atitude, por maior que seja sua vontade. O aplicativo Responsa, desenvolvido pelo Instituto Kairós em parceria com a Cooperativa Eita, pretende ajudar quem deseja adquirir novos hábitos.

“O Responsa é um aplicativo que funciona em todo o Brasil e agrega uma base de dados que traz experiências que promovem agroecologia e segurança alimentar”, explica Juliana Gonçalves, do Instituto Kairós.

A ferramenta reúne feiras de produtos orgânicos ou veganos, hortas comunitárias, grupos de consumo responsável, restaurantes que usam ingredientes orgânicos, lojas de comércio justo e solidário e experiências de educação alimentar e nutricional.

Como funciona o Responsa

mapa com todos os locais onde vende organicos

Foto: Divulgação

Segundo Juliana, o aplicativo já tem três mil iniciativas listadas. O Responsa foi lançado no dia 13 de outubro e, para liberá-lo ao público com o maior número possível de empreendimentos, os desenvolvedores se uniram a outros projetos. Utilizaram, por exemplo, o mapa de feiras orgânicas do Idec e o mapa dos grupos de consumo responsável do próprio Kairós.

Usar o app é fácil. “Com o GPS ligado, o aplicativo alerta o usuário sobre as iniciativas de consumo responsável que estão próximas de onde ele estiver”, explica Juliana. “Ele permite filtrar por região, cidade e categoria. As iniciativas têm descrições resumidas”, completa.

O Responsa também disponibiliza um fórum para que usuários possam compartilhar dificuldades e encontrar soluções. Quem usa o serviço pode lançar um desafio, que pode ser comentado por qualquer pessoa. Na medida em que a questão se torna relevante, ela vai aparecendo antes no feed. Se muita gente se engajar, o desafio vira uma descoberta.

Consumo responsável colaborativo

A colaboração dos usuários também será importante para alimentar o mapa. É possível enviar sugestões de iniciativas de economia responsável para alimentar o mapa. Daniel Tygel, da Cooperativa Eita, revelou que desde o lançamento, mais de 200 iniciativas já foram sugeridas e o serviço já tem mais de 5.000 usuários. “Isso está totalmente fora do esperado. Pensamos que teríamos entre 1.500 e 2.000 usuários na primeira semana”, conta.

LEIA MAIS
Tribo Viva: orgânicos e consumo colaborativo para mudar a cara do País

Daniel acrescenta que a questão colaborativa está dentro do mote do Responsa, que é “dar passos rumo ao bem viver individual e coletivo”. Quando uma única pessoa sugere iniciativas, ela caminha alguns passos. Mas não caminha sozinha, e sim coletivamente”, explica.

Daniel acredita que quando uma pessoa sugere um novo empreendimento em São Paulo, toda a população da cidade se beneficia dessa sugestão, e por isso todos caminham uma quantidade de passos juntos. “As pessoas não estão sozinhas, há muita gente querendo mudar seus hábitos de consumo”, opina. “E esse sentimento de não estar sozinha te motiva a mudar. Queríamos trazer o sentimento de pertencimento, de consumir algo que faça bem para todos e que não agrida o planeta. E ninguém estará fazendo isso sozinho”, diz.

Mudança de atitude

O consumo responsável realmente está ganhando espaço na sociedade e se tornando relevante. Mas ainda há pouca gente mudando de atitude. Segundo Juliana, o Instituto Kairós trabalha com o conceito há mais de 15 anos.  “Como conhecemos muitos produtores de agroecologia e economia solidária, muitas pessoas nos perguntavam onde comprar orgânicos ou onde encontrar presentes diferentes, como um artesanato da economia solidária”, diz.

O Kairós e a Cooperativa Eita querem trazer informação para quem já tem consciência sobre consumo responsável, mas não sabe como transformar suas ideias em ações. Além disso, querem conectar produtores e consumidores, para que o rural e o urbano extrapolem a esfera digital.

Queremos que as pessoas se envolvam com os produtores, que os apoiem, que conheçam a horta comunitário do bairro e ajudem a oferecer processos coletivos para que multipliquem atitudes.

Para chegar a esse objetivo, Daniel e Juliana explicam que foi preciso criar linguagem lúdica e fácil de usar. No quesito desenvolvimento, o primeiro desafio foi encontrar uma forma clara e didática de organizar tantas informações. O segundo passo foi investir na usabilidade. “O aplicativo deveria ser gostoso de usar. O Facebook, por exemplo, já é conhecido e todo mundo já faz parte dele, então pessoas se dão ao trabalho de aprender seus detalhes”, argumenta. “O Responsa, como seria algo novo e lançado sem uma grande organização por trás, deveria ser realmente muito simples e prático”, explica.

Por enquanto, o Responsa está disponível apenas para Android, mas a versão para iOS já está nos planos do Instituto Kairós e da Cooperativa Eita. Enquanto a versão para iPhone não chega, é possível acessar todas as iniciativas pelo site Portal do Consumo Responsável.

Gostou deste post? Que tal compartilhar:
Últimos
Trend Tags
Array ( [0] => 76 [1] => 222 [2] => 237 [3] => 115 [4] => 17 [5] => 238 [6] => 92 [7] => 125 [8] => 173 [9] => 16 [10] => 276 [11] => 25 [12] => 66 [13] => 67 [14] => 157 [15] => 62 [16] => 153 [17] => 127 [18] => 12 [19] => 19 [20] => 187 [21] => 69 [22] => 154 [23] => 175 )
Vídeos
Copyright © 2016 Free the Essence