Casa Causa quer estimular o bom uso dos recursos naturais
recursos naturais_casa causa
Foto: Istock/Getty Images
Sustentabilidade > Negócios

Casa Causa, uma curadoria para estimular o bom uso dos recursos naturais

Camila Luz em 13 de junho de 2016

Quem deseja transformar os entornos da própria residência em um ambiente sustentável pode não saber por onde começar. A Casa Causa quer ajudar, trazendo soluções para que pessoas e empresas façam um bom uso dos recursos naturais. A curadoria começa a atuar efetivamente em setembro e já tem parceiros que vão contribuir com ideias, produtos e projetos.

A Casa Causa vai trazer melhorias em seis áreas: água, energia, áreas verdes, materiais, resíduos e educação.  Flavia Lemes, fundadora da curadoria, diz que se fazemos parte do impacto negativo, devemos participar da solução para reduzi-lo. “Você já parou para pensar no que a sua casa causa no ambiente?”, diz a sócia, em entrevista ao Free the Essence. “Qual é o seu 1%? O que você pode fazer agora para começar a ter uma atitude mais sustentável, mais verde?”, indaga.

No Brasil, onde a sustentabilidade ainda não é parte da formação básica dos indivíduos, é imprescindível que cada pessoa tome pequenas atitudes conscientes, pelo menos na região onde vive. Flavia acredita que, de pouquinho em pouquinho, é possível transformar o planeta.

Bom uso dos recursos naturais

A Casa Causa pretende ajudar clientes a racionar água e energia, destinar melhor seus resíduos, usar materiais sustentáveis e criar áreas verdes de forma consciente. Projetos educacionais também entram em pauta, como forma de auxiliar escolas, condomínios e comunidades a aplicar a sustentabilidade em suas vidas.

Quem tiver interesse em transformar os entornos de sua residência, condomínio ou pequena empresa, deverá entrar no site da Casa Causa, que será interativo. A plataforma online terá uma casa que vai apresentar soluções para todos os cômodos. “Nessa primeira fase, o cliente já vai aprender a substituir lâmpadas, por exemplo”, explica Flavia. Caso a solução esteja de acordo com o que deseja, o interessado será encaminhado para uma loja online, onde poderá comprar dos solucionadores, empresas associadas que fornecem serviços e produtos.

Demandas mais complexas também serão atendidas pela Casa Causa. “Há pessoas que querem fazer tudo, mas não sabem por onde começar. Vamos fazer uma visita presencial para realizar um trabalho mais interativo e entregar orçamento e solução”, conta a sócia.

Flavia ainda explica que nem todos as soluções estão disponíveis no Brasil. Por isso, sua equipe está buscando inovações que ainda não haviam sido mapeadas. Pesquisam pelo que acontece fora do país, para entender se há produtos ou sistemas diferentes de cuidados com os recursos naturais. O projeto já têm uma área de importação.

Para Flavia, o grande diferencial da Casa Causa é a curadoria pela qual também passam os solucionadores. “Estamos trabalhando com um tema que deve ser levado a sério. Por isso, nossos parceiros devem fazer e entregar produtos de qualidade”, explica.

Alguns serviços exigem processos cirúrgicos, como reformas na casa e transformações que podem demandar a quebra de paredes, por exemplo. Por isso, é importante que o serviço a ser entregue seja refinado segundo Flavia.

Leia mais:
Pague Verde incentiva a economia de energia em troca de prêmios
MateriaBrasil, o design sustentável e a biblioteca de materiais conscientes
Engenheiros criam chuveiro econômico para “banhos infinitos”

 Trabalhar com sustentabilidade no Brasil

foto de flávia cunha

Flávia Cunha Foto: Divulgaçao

Flavia e sua sócia, Luciana Annunziata, trabalharam com inovação de processos e produtos para grandes empresas por mais de 15 anos. Há cerca de oito anos, começaram a pegar projetos com foco em sustentabilidade. “O problema é que as pessoas querem fazer, mas não sabem. É um processo que não é levado tão a sério”, explica.

Luciana Annunziata

Luciana Annunziata Foto: Divulgação

Flavia conta que a ideia de fundar a Casa Causa surgiu enquanto ela a Luciana trabalhavam com uma empresa de Santa Catarina que fazia produtos para reduzir o consumo de água. Chuveiros, torneiras e descargas inteligentes deveriam ter feito sucesso há três anos, quando a crise hídrica em São Paulo já era uma realidade. Mas a companhia catarinense enfrentou dificuldades para entrar no mercado paulistano. A fundadora teve um insight quando descia do avião após uma viagem:

Precisamos trazer as soluções para mais perto das pessoas. Precisamos ensiná-las a consumir os recursos naturais com respeito.

Decidiu, então, fundar a curadoria para aproximar o público comum dos detentores de conhecimento, que podem viabilizar um melhor manejo dos recursos naturais.

Flavia revela que ela e sua equipe chegaram a entrevistar cerca de 200 pessoas, perguntando o que é sustentabilidade. “Elas acham que já têm iniciativas sustentáveis, como separar o lixo”, revela. A questão do resíduo parece ser a mais evidente na vida do brasileiro hoje, já que indivíduos ficam incomodados com a grande quantidade gerada.

Na sequência, vem a água, nos locais onde houve crise hídrica. “Fora de São Paulo, isso não é percebido, pois não há escassez”, explica. Em seguida, vem a questão da energia, pois o preço aumentou nos últimos anos.

Pessoas só começam a buscar soluções quando são afetadas de forma direta pela falta de recursos naturais. Para que esse quadro mude e a conscientização seja mais ampla, o Brasil precisa passar por um novo processo educacional, na opinião de Flavia.

Por mais que a gente sinta o calor absurdo, o acúmulo de lixo e a falta de água, o risco dos impactos negativos ainda não são levados a sério.

Em fase de testes, a Casa Causa já trabalha com projetos em escolas e condomínios para educar cidadãos a respeito do consumo responsável. “Trabalhamos com a formação de professores e geramos planos de ação sustentáveis como hortas, reciclagem e compostagem”, explica. “De dentro da escola, vamos para o bairro. O adubo produzido pela compostagem pode ser utilizado em canteiros, por exemplo”, revela.

O objetivo da curadoria é trazer soluções para todos os tipos de bolso. Elas querem trabalhar tanto com projetos de maior poder aquisitivo, quanto com comunidades carentes.

Gostou deste post? Que tal compartilhar:
Últimos
Trend Tags
Array ( [0] => 76 [1] => 222 [2] => 237 [3] => 115 [4] => 17 [5] => 238 [6] => 92 [7] => 125 [8] => 173 [9] => 16 [10] => 276 [11] => 157 [12] => 25 [13] => 66 [14] => 67 [15] => 62 [16] => 153 [17] => 127 [18] => 12 [19] => 19 [20] => 187 [21] => 69 [22] => 154 [23] => 172 )
Vídeos
Copyright © 2016 Free the Essence