Marcelo Rosenbaum apresenta seu novo projeto: A Gente Transforma
A-gente-transforma-Marcelo-Rosenbaum
Foto: Tatiana Cardeal
Sustentabilidade > Negócios

Novo projeto de Marcelo Rosenbaum coloca o design a serviço de pessoas

Diana Assennato em 28 de junho de 2016

Marcelo Rosenbaum é uma figura pública que sempre lutou para que o design e a beleza fizessem parte de todas as realidades sócio-econômicas do Brasil. De forma resumida, acredita-se que ricos amam o belo e pobres só podem comprar o feio. Mas quem disse que a mesma beleza e o mesmo design não podem estar a serviço de todos?

Este é um dos propósitos do seu novo empreendimento, o Instituto A Gente Transforma, uma incubadora de projetos de transformação social a partir do design e do artesanato que passa a funcionar paralelamente ao Escritório Rosenbaum.

Este é o seu manifesto:

Manifesto A Gente Transforma RESPEITAR o aprendizado que há nos saberes profundos ENTENDER que a beleza é resultado de um processo APRENDER com a sabedoria que habita as memórias MANTER o design a serviço de pessoas HONRAR a intuição da cooperação criativa TER clareza sobre impacto e consequência NUTRIR negócios que respeitem o indivíduo, o processo e o objeto “UM OLHO para ver a natureza UM CORAÇÃO para sentir a natureza CORAGEM para seguir a natureza” *

O design social de Marcelo Rosenbaum

O A Gente Transforma é a materialização de um trabalho que já vinha tomando grande parte do corpo e da alma do escritório há algum tempo. Projetos sociais sempre estiveram presentes no DNA da empresa que, por sinal, não faz “só” design, arquitetura e decoração há muito tempo.

Em 2010, em seu primeiro projeto social patrocinado por grandes marcas, Marcelo voou alto e fez um trabalho de reconquista de autoestima da comunidade do Parque Santo Antônio, periferia de São Paulo, usando cores como ferramenta de diferenciação social.

Em 2012, ele e seu time fizeram a primeira viagem à Várzea Queimada, comunidade de 900 habitantes no sertão do Piauí que transformou o escritório e foi transformada por eles de forma profunda, usando o design como ferramenta de empoderamento sócio-econômico.

Em 2014 foi a vez da aldeia Yawanawá, onde Marcelo e sua equipe foram recebidos por uma carga ancestral indígena potente, transformada em produtos de visibilidade global.

índios reunidos ao redor de uma fogueira no meio de uma floresta

Parte da coleção de luminárias criadas no projeto Yawanawás – A Força da Floresta. Foto: Lucas Moura

Conteúdo social e uma nova plataforma

O lançamento do Instituto inaugura também uma nova plataforma de conteúdo, A Gente Transforma, um espaço que reúne os projetos de transformação que fizeram a história do time Rosenbaum de 1996 até hoje.

Após anos trabalhando intuitivamente com uma metodologia sem forma e sem nome nos primeiros projetos do A Gente Transforma, Marcelo entendeu que aquilo que conecta todo o seu trabalho é o Design Essencial.

E o que é o Design Essencial? O que não é acessório. Aquilo que é útil e acessível para o maior número de pessoas. Para Marcelo, o essencial está em objetos com função e história, mantendo o design a serviço de pessoas como ferramenta de transformação. Ele mesmo explica no video abaixo:

Além do Instituto, hoje, o escritório continua desenvolvendo projetos de arquitetura, conteúdo, decoração e design, fundamentados na metodologia do Design Essencial, que enxerga o potencial de transformação a partir dessa essência.

Acreditamos que o design é uma ferramenta que conecta objetos a narrativas. Peças que contam a história de um coletivo, uma comunidade.

Corpo e espírito em negócios sociais

Existe uma espiritualidade presente na metodologia do time Rosenbaum que permeia todos os seus empreendimentos. O A Gente Transforma é uma manifestação dessa espiritualidade: um projeto que usa o design para expor a alma brasileira, resgatando histórias ancestrais de comunidades através do artesanato de subsistência para recriar um presente livre e sustentável em todos os aspectos.

Leia também:
Rede Asta promove o artesanato sustentável pelo empoderamento de mulheres
Tecidos africanos e o negócio social da brasileira Julia Pinheiro
Materiabrasil, o design sustentável e a biblioteca de materiais conscientes

No site, Marcelo explica: “Os nossos projetos são fundamentados em elementos de expressão e identidade cultural, com objetivo de conectar indivíduos às suas memórias e raízes ancestrais.”

O Instituto tem a responsabilidade de ser uma rede de transformação, através de instituições, associações e parceiros que viabilizam a transformação de comunidades.

um grupo de pessoas na parte de trás de um caminhão em estrada de terra

Turismo social e sustentável no projeto de Várzea Queimada. Foto: Tatiana Cardeal

Um novo Marcelo Rosenbaum

Marcelo Rosenbaum reforma residências antigas da alta classe paulistana e puxadinhos de favelas no Rio de Janeiro com o mesmo entusiasmo. Cria produtos para a Oppa e tece cestos de palha sentado no chão com pessoas que ele nunca viu. Apresenta por anos um quadro na TV de maior audiência do país e transcende espiritualmente na fumaça das fogueiras no meio da Amazônia e seus pajés.

O seu trabalho é fruto desse caos, dessa intensidade. E é dessa catarse que nasce esta nova etapa de sua vida profissional. 

 

Gostou deste post? Que tal compartilhar:
Últimos
Trend Tags
Array ( [0] => 76 [1] => 222 [2] => 237 [3] => 115 [4] => 17 [5] => 238 [6] => 92 [7] => 125 [8] => 173 [9] => 16 [10] => 276 [11] => 157 [12] => 25 [13] => 66 [14] => 67 [15] => 62 [16] => 153 [17] => 127 [18] => 12 [19] => 19 [20] => 187 [21] => 69 [22] => 154 [23] => 172 )
Vídeos
Copyright © 2016 Free the Essence