Ayurveda: o que são os doshas e como afetam a saúde física e emocional
ayurveda
Foto: Istock/Getty Images
Unplug > Corpo e Mente

Ayurveda: o que são os doshas e como afetam a saúde física e emocional

Camila Luz em 1 de fevereiro de 2017

O Ayurveda, um dos sistemas medicinais mais antigos da humanidade, foi criado na Índia há cerca de sete mil anos. Foi desenvolvido através da observação profunda da natureza e reúne uma série de práticas que permitem ao ser humano viver em plenitude. Hoje, profissionais de diversas áreas estudam suas técnicas para aprimorar a saúde e qualidade de vida de seus pacientes.

ayurveda

Ana Paula Russo Schwantes Foto: Arquivo Pessoal

A fisioterapeuta especialista em Ayurveda Ana Paula Russo Schwantes explica que o sistema não é só uma medicina preventiva e curadora. “Ele dá todo um suporte de vida, de como viver na sua plenitude, no máximo de sua potência, usando todos os recursos possíveis, como alimentação e prática de exercícios respiratórios”, diz. “Dá muita ênfase no aprender a respirar e no entender como funciona a mente e nosso metabolismo”, completa.

Se você faz yoga ou práticas espirituais como a Vedanta, provavelmente identificou pontos em comum com o Ayurveda. Ana Paula explica que são ciências irmãs. “O propósito do Ayurveda é buscar a saúde e ponto final. Quando entramos em aspectos mais psicológicos e emocionais, utilizamos outros recursos, como ciências que falam a mesma linguagem e acreditam nos processos humanos”, afirma.

Os cinco elementos

O Ayurveda diz que o universo é formado por cinco elementos: fogo, água, ar, terra e éter (espaço). Tudo o que está dentro dele também é regido dessa forma, como plantas, animais e os próprios seres humanos.

Assim, tudo o que existe no universo estaria dentro de nós, e nós seríamos um reflexo do universo. A medicina milenar acredita que os cinco elementos presentes no organismo determinam como ele funciona e devem estar em equilíbrio para que o ser humano viva bem e seja saudável.

O Ayurveda diz que nós temos condições absolutas de viver 100 anos com saúde plena, em pleno vigor, utilizando os recursos que o Ayurveda traz: autoconhecimento, saber o que é bom e o que não é e conhecer a própria natureza.

Todos os indivíduos possuem os cinco elementos em sua natureza, mas em proporções diferentes, o que determina suas características biológicas. Ao longo da vida, processos podem causar desequilíbrios, levando a excessos na quantidade.

O que são os doshas da Ayurveda

De acordo com a proporção de elementos no organismo, os seres humanos são classificados em três principais grupos, chamados doshas: Vata (ar e éter), Pitta (fogo e água) e Kapha (água e terra). 

“Na verdade, o significado da palavra dosha é aquilo que encobre, que esconde nossa verdadeira natureza”, diz. “Quando pacientes chegam para a avaliação, pode ser difícil identificar sua verdadeira natureza. Os distúrbios ou disfunções, que são os doshas, estão a encobrindo. Então fazemos uma ‘limpeza’ para trazê-la à tona. Quando percebemos que aquela é a natureza, mantemos o equilíbrio”, explica.

Hoje, no entanto, o dosha já é usado para definir como a pessoa é. Mesmo na Índia, quando um indivíduo fala “meu dosha é pitta”, por exemplo, entende-se que aquilo faz parte de sua natureza, mesmo que seja provisória. Quando fizer a “limpeza” e adotar as práticas do Ayurveda, talvez sua natureza (e seu dosha) mudem.

Identificar o dosha é importante pois cada um traz certas habilidades e propensões a doenças. Quem tem dosha Pitta agravado (como se estivesse em excesso) está mais propenso a ter pressão alta, enquanto o Vata pode sofrer de osteoporose.

O profissional Ayurveda identifica qual dosha predomina naquela pessoa e se está agravado ou não. Assim, pode sugerir práticas e ajustes em seu estilo de vida para evitar o desenvolvimento de doenças e alcançar a plenitude.

Os doshas

Vata

Ar e éter predominam no metabolismo da pessoa Vata. Ela tem musculatura fina, corpo magro, biotipo longilíneo e articulações ressecadas, unhas quebradiças e cabelos secos e finos. Tem menos apetite, dificuldade para evacuar, agitação mental e dificuldades para dormir e se concentrar.

O Vata também tem a mente muito criativa, é ágil, dinâmico e tem boa capacidade de envolvimento. Esse dosha é o que pode desenvolver maior número de doenças, principalmente relacionadas ao sistema nervoso ou ao intestino. No entanto, tem ótima capacidade de recuperação.

Pitta

No seu organismo há a predominância de fogo e um pouco de água. “É como se fosse um vapor quente a todo instante”, diz Ana Paula. Seu corpo tem musculatura saliente e é um pouco mais forte do que o Vata.

Tem a pele quente e reativa. Por isso, desenvolve problemas dermatológicos, como brotoejas, erupções e acne. O Pitta, por outro lado, tem boa digestão, sente mais fome e tem boa capacidade de metabolização. Além disso, tem capacidade de resolver problemas rapidamente, boa memória e boa compreensão — aprende muito rápido.

O organismo do Pitta funciona muito bem: dorme bem e evacua bem, por exemplo. No entanto, quem tem esse dosha agravado pode desenvolver ardência para urinar, queimação no estômago, hipertensão e problemas de circulação sanguínea.

Kapha

Com predomínio de terra e água em sua composição, o Kapha é lento. Sua digestão demora mais, mas pode passar o dia comendo, pois tem boa capacidade de armazenamento. Tem boa lubrificação, flexibilidade e alongamento, além de personalidade tranquila.

Tem boa estrutura e cabelo, pele e unhas de boa constituição. No entanto, o Kapha agravado pode apresentar diabetes e obesidade. “O Kapha agravado é muito ruim, é o dosha que mais tem dificuldade de se recuperar quando fica doente”, diz Ana Paula.

Como classificar

Há testes disponíveis na internet e em revistas que ajudam o indivíduo a ter uma percepção de seu dosha. “Quando você começa a auto-observação, a auto-análise, chega mais perto de sua natureza, de suas características principais. Ninguém melhor para te dizer como você é do que você mesmo”, diz Ana Paula.

No entanto, um profissional que tenha formação em Ayurveda tem certos caminhos para identificar o dosha do indivíduo. “A apalpação abdominal, por exemplo, dá uma ideia do que está acontecendo internamente. Tem gente que acha que não tem nada, mas ao apalpar percebemos alguns acúmulos, como dores, gases ou obstruções”, explica. “Aí conseguimos dizer se algum dosha está agravado”, completa.

LEIA MAIS
9 segredos da Ayurveda para melhorar a digestão e o bem-estar apos as refeições
LEIA MAIS
As principais linhas de meditação

O exame de língua é outra técnica utilizada pelo profissional para identificar o dosha do paciente e entender se há distúrbios e agravamentos. Segundo Ana Paula, esse órgão muscular funciona como um mapa do corpo e dá inúmeras respostas sobre seu funcionamento.

O profissional Ayurveda também faz uma série de perguntas pessoais, com o objetivo de entender o que é natural para aquele paciente. Certos indivíduos podem ter intestino preso hoje, mas nem sempre foi assim. No passado, ou quando crianças, apresentavam funcionamento normal. Segundo Ana Paula essa informação pode trazer a pessoa para mais perto de sua verdadeira natureza.

O conjunto de exames realizados pelo profissional Ayurveda o ajuda a identificar características naturais e momentâneas. O pulso, por exemplo, apresenta vários níveis. Dependendo de onde você apalpa, encontra características mais profundas ou superficiais. “Isso dá uma diretriz de tudo — desde sua natureza, até seu estado de momento”, afirma a fisioterapeuta.

Ayurveda, doenças e alimentação

Assim que o especialista em Ayurveda identifica as características naturais e momentâneas do indivíduo, pode sugerir mudanças sutis em seu estilo de vida. Muitas delas estão ligadas à alimentação. Quem tem dosha Pitta agravado, por exemplo, deve evitar alimentos apimentados. Por outro lado, deve optar pelos adocicados, que contêm terra em sua composição, como a beterraba.

Inúmeros fatores, como predisposição genética, ambiente de trabalho, clima e questões ambientais podem desencadear distúrbios. Para o Ayurveda, toda doença se inicia no sistema digestivo. “Até as emoções são metabolizada no trato intestinal”, diz Ana Paula.

Diferente da medicina tradicional, o conhecimento milenar acredita que uma doença se desenvolve em cinco fases. A primeira fase é a de acúmulo, no trato intestinal. Depois há o agravamento e, posteriormente, a disseminação para o órgão que estiver mais fragilizado, onde irá ocorrer a manifestação e a erupção.

Ana Paula afirma que a vantagem do Ayurveda possibilitar a identificação de distúrbios antes que se manifestem. Os doshas são indicativos do que pode ocorrer com o organismo, de acordo com sua natureza e com os fatores externos que vivencia. A medicina tradicional, por outro lado, ainda é mais focada no tratamento da doença em si.

De acordo com os desequilíbrios, o profissional sugere mudanças adaptadas para a rotina do paciente, garantindo que será mais fácil adotá-las.

 “O Ayurveda reconhece e entende que existem muitos antídotos e recursos para neutralizar a problemática do estilo de vida atual. Ninguém é obrigado a se manter em certo tipo de trabalho ou situação prejudicial”, afirma. “Mas queremos que as pessoas sejam mais saudáveis e, também, mais felizes. Não adianta sugerir que mudem radicalmente, sendo que isso será impraticável. A ideia é que também traga felicidade”, finaliza.

Gostou deste post? Que tal compartilhar:
ESCOLHA DO EDITOR
Últimos
Trend Tags
Array ( [0] => 205 [1] => 76 [2] => 12 [3] => 237 [4] => 97 [5] => 249 [6] => 222 [7] => 62 [8] => 157 [9] => 276 [10] => 259 [11] => 86 [12] => 267 [13] => 94 [14] => 68 [15] => 16 [16] => 167 [17] => 115 [18] => 186 [19] => 17 [20] => 102 [21] => 173 [22] => 238 [23] => 175 [24] => 92 )
Vídeos
Copyright © 2016 Free the Essence