Hotéis offline mostram o lado bom de viver desplugado
hotéis offline
Quando estar desplugado se torna luxo: hotéis offline exploram o nosso vício digital. Foto: Istock, Getty Images
Unplug > Corpo e Mente

Hotéis offline de luxo mostram o lado bom de viver desplugado

Redação em 18 de abril de 2016

Quando foi a última vez que você deixou o celular em casa ou ficou um dia inteiro sem acessar as redes sociais? Ficar conectado o tempo todo virou mais do que um costume e, para muitos, parece indispensável.

Na contramão dessa tendência nasceram os hotéis offline. Além de confiscar os aparelhos eletrônicos logo no checkin, esses locais oferecem alternativas luxuosas para ocupar o tempo dos hóspedes, como praias desertas, spas e a prática de atividades físicas ao ar livre. Há, ainda, os que substituem a televisão e a internet por clássicos da literatura.

Ficar desplugado parece difícil, mas esses hoteis mostram que é possível sim se desconectar e que isso pode fazer muito bem à saúde. Viver à espera de uma notificação no celular causa ansiedade. Além disso, estar conectado o tempo todo demanda um tempo que poderia estar sendo empregado em atividades que melhoram a qualidade de vida como ler, correr, nadar ou simplesmente conversar pessoalmente com amigos.

GIF de John Travolta procurando sinal de internet

Gif: Giphy

Veja, abaixo, alguns dos hotéis que oferecem uma desintoxicação digital completa:

Lake Placid

Nas montanhas Adirondacks, no estado de Nova York (EUA), esse hotel meio rústico tem um pacote chamado “Check-In to Check-Out”. São duas noite em um quarto sem televisão. O hóspede deve entregar seus aparelhos eletrônicos na chegada. Como entretenimento há caminhadas pela bela propriedade, passeios de barco e uma aula de culinária. É possível utilizar a biblioteca de best-sellers do hotel. As diárias começam de US$ 699.

Natura Cabana Boutique Hotel & Spa

Os bangalôs ecológicos ficam na República Dominicana, em um local paradisíaco com uma praia privativa. Nos quartos, nada de aparelhos eletrônicos, como TVs, telefones ou Wifi. É possível participar de aulas de ioga e pilates, além desfrutar do spa de luxo. Caso o hóspede se interesse, o hotel pode organizar passeios à cavalo, trilhas ou esportes radicais como kitesurf e windsurf. O preço para um adulto é US$ 130. Caso vá acompanhado, o preço diminui, de acordo com o número de hóspedes.

Petit St. Vincent

Esse hotel luxuoso fica localizado no arquipélago caribenho de Saint Vincent. Não há telefones, televisões, Wifi, checkin formal, carros e nem mesmo chaves. O que você encontra lá? Vinte e dois chalés espalhados ao longo das praias, posicionados de maneira que o hóspede tenha privacidade, isolamento e a melhor vista possível. Há atendentes que fazem um serviço personalizado, praias particulares, quadras de tênis e locais incrível para a prática do mergulho. As diárias começam em US$ 1100.

Jakes Hotel, Villas & SPA

O resort jamaicano diz ser “o barracão mais chique do Caribe”. Conta com 30 chalés coloridos sem internet, TV ou telefone. Os chalés se espalham por uma costa acidentada e, para ir de um a outro, é necessário andar por sinuosas trilhas de pedra de mosaico e azulejos. É possível praticar esportes como basquete, ciclismo, pesca e ioga. O preço dos chalés varia bastante, mas a diária mais barata custa US$ 325.

Pittsburgh Renaissance Hotel

Esse hotel da Pensilvânia (EUA) oferece o pacote “Zen and the Art of Detox” (algo como Zen e a arte da desintoxicação). Todos os aparelhos tecnológicos do hóspede são entregues ao hotel na hora do check-in. No lugar, ele recebe uma pilha de clássicos da literatura. Quem escolhe esse pacote tem direito a um quarto de luxo com vista para o lago e a aulas de caiaque. O resort também oferece jogos de tabuleiro e de cartas para estimular o trato social à moda antiga. Segundo o próprio hotel, esse é um dos seus pacotes mais populares. As diária começam em US$ 179.

Via Yoga

Não é um hotel, mas entra na lista porque é uma empresa de Seattle que oferece um pacote completo de uma semana de desintoxicação digital. A proposta é levar os clientes para hotéis de luxo em países como Costa Rica, México e Islândia, com o objetivo de relaxar, recarregar as energias e aumentar a prática de esporte e condicionamento físico. Há aulas de ioga tanto para quem já praticou, quanto para quem nunca fez um asana ou um pranayama na vida. Os aparelhos tecnológicos, é claro, estão proibidos. Nesse caso, os preços variam de acordo com o destino e pacote escolhido.

Você toparia abrir mão do celular e passar uma temporada em um desses hotéis offline de luxo?

Gostou deste post? Que tal compartilhar:
Últimos
Trend Tags
Array ( [0] => 76 [1] => 222 [2] => 237 [3] => 115 [4] => 17 [5] => 238 [6] => 92 [7] => 125 [8] => 173 [9] => 16 [10] => 276 [11] => 157 [12] => 25 [13] => 66 [14] => 67 [15] => 62 [16] => 153 [17] => 127 [18] => 12 [19] => 19 [20] => 187 [21] => 69 [22] => 154 [23] => 172 )
Vídeos
Copyright © 2016 Free the Essence