Conheça algumas das principais linhas de meditação
meditação
Foto: Istock/Getty Images
Unplug > Corpo e Mente

As principais linhas de meditação

Kaluan Bernardo em 6 de janeiro de 2017

Você já deve ter ouvido falar dos vários benefícios que a meditação traz. Mas por onde começar? Há vários tipos de meditação que podem ser mais ou menos eficientes para diferentes pessoas, além de terem objetivos diferentes.

Há, literalmente, centenas de linhas de meditação. E você pode até adaptar um e criar um novo que combine com seu estilo de vida. Tudo depende de quais técnicas você pretende usar e que tipo de resultado pretende alcançar. Embora todas sejam voltadas a seu desenvolvimento mental, algumas focam em aspectos mais objetivos do que outros.

Os principais tipos de meditação

O blog Live and Dare, referência no tema, diz que especialistas costumam dividir os linhas de meditação em três tipos: meditação com atenção focada, percepção aberta e presença espontânea.

No caso da atenção focada, o objetivo é se atentar a um único objeto o tempo todo. Pode ser a respiração, um mantra, uma visualização, alguma parte do corpo, um objeto externo etc. Conforme o praticante evolui sua habilidade se torna mais intensa e a distração mais rara em sua vida.

Já no caso da meditação de percepção aberta, em vez de focar em um único objeto você tenta sentir e viver cada aspecto da experiência de viver, sem julgamentos. Todas as percepções devem ser reconhecidas pelo que de fato são. Você precisa perceber momento a momento, mas sem entrar neles.

Por fim, na presença espontânea, o foco não é em nada em específico. O olhar é para dentro, quando você se introverte e ouve o silêncio. Esse é um estado que pode ser procurado por qualquer tipo de meditação – afinal, o objeto contemplado em qualquer exercício mental é o autoconhecimento.

Algumas das principais linhas de meditação

Nesses três grandes tipos podemos encontrar centenas de linhas diferentes. Embora partam de princípios semelhantes e tenham, muitas vezes, o mesmo objetivo, essas meditações contam com diferenças na técnica e que podem mudar bastante a experiência de quem pratica. Veja algumas delas, como explica o Live and Dare.

Zazen

Do japonês, “Zen sentado”, tem suas origens no Budismo Zen Chinês e relações com o monge indiano Bodhidharma. Nela você pode sentar-se no chão com as pernas cruzadas ou em uma cadeira com a coluna ereta.

Há duas formas de conduzir sua atenção. Na primeira, foque completamente em sua respiração, com o ar entrando e saindo lentamente pelas narinas. Vá contando de dez a um, do maior para o menor. Cada vez que expirar, diminua um número. Quando chegar em um, comece novamente. Se você se distrair, recomece a contagem.

Ou então você pode usar Shikantaza, que em português significa algo como “apenas sentar”. Nesse caso, você não precisa focar em nada específico, apenas curtir o momento presente e observar o que se passa em sua mente.

Vipassana

Outra um tanto conhecida e tradicional no budismo. Do idioma pali, a palavra significa algo como “ver claramente”. Muitas vezes considerada apenas mindfulness, essa meditação começa com o processo de focar sua atenção na respiração até você estar plenamente consciente dela.

Perceba os movimentos do seu abdômen e os detalhes de sua respiração. Na sequência, sua atenção se expandirá e você começará a perceber outros objetos, como o som ambiente. Se algo puxar sua atenção e você distrair, classifique esse objeto, como “pensamento”, “memória”, “audição” ou algo do tipo, mas sem especificar muito. É uma forma de cortar o fluxo de pensamentos.

Quando você desenvolver bastante a meditação, você terá marcas de existência, como “impermanência” (annica), insatisfação (dukkha) e esvaziamento de si (annata).

Meditação hindu com mantra

Um mantra é uma frequência sonora que pode ser usada com objetivos específicos para a mente. Há uma vibração, pronúncia e sonoridade correta. Por isso, é sempre importante procurar alguém para te ensinar da melhor forma.

Nesse caso você também precisa se sentar com a coluna ereta e os olhos fechados. Em certas correntes você pode repetir o mantra mentalmente durante toda a seção, em outras pode pronunciá-lo. Em alguns casos o praticante também precisa voltar sua atenção à respiração e tentar sincroniza-la com o mantra.

Meditação taoísta

Baseado no Taoísmo, uma famosa filosofia chinesa que dá ênfase à vida em harmonia com a natureza e tem como um de seus principais livros o Tao Te Ching.

Foto: Istock/Getty Images

Foto: Istock/Getty Images

Essa meditação se caracteriza pela geração, transformação e circulação de energia interna. O propósito é acalmar o corpo e a mente, unificar o corpo e o espírito e harmonizar com o Tao.

Há diferentes formas de praticá-la. Uma é sentar-se e tentar livrar-se de quaisquer imagens mentais e sentimentos. Se surgirem sentimentos ou pensamentos, você simplesmente deixa-os passar e não os segue.

Outra forma é também focar na respiração até que ela se torne completamente leve. Você pode fazer isso apenas usando a atenção ou seguindo técnicas específicas de inalação.

Por fim, há uma outra forma que inclui olhar para dentro e visualizar seus órgãos, entidades internas, sua energia, e processos de pensamento. Há uma série de técnicas específicas que te ajudam com isso e tem o objetivo de torna-lo consciente de si.

Gostou deste post? Que tal compartilhar:
Últimos
Trend Tags
Array ( [0] => 237 [1] => 205 [2] => 76 [3] => 222 [4] => 12 [5] => 249 [6] => 94 [7] => 97 [8] => 267 [9] => 115 [10] => 17 [11] => 173 [12] => 175 [13] => 238 [14] => 62 [15] => 92 [16] => 157 [17] => 276 [18] => 153 [19] => 25 [20] => 236 [21] => 125 [22] => 16 [23] => 66 [24] => 67 )
Vídeos
Copyright © 2016 Free the Essence