6 fatos para você lidar racionalmentecom o medo de avião
medo de avião
Foto: Istock/Getty Images
Unplug > Corpo e Mente

6 fatos para você lidar melhor com o seu medo de avião

Kaluan Bernardo em 20 de novembro de 2016

Diferente do cantor Belchior, você não precisa tomar um gole de conhaque e segurar na mão de alguém por medo de avião. Na verdade, o que você precisa é tentar ser o mais racional possível para reduzir a ansiedade e o temor desse meio de transporte, que se torna cada vez mais comum em nossas vidas.

Seis fatos que te ajudarão a lidar com o medo de voar:

Avião ainda é a forma mais segura de viajar

Esse você já pode transformar em mantra. E é verdade. As chances de você morrer em um acidente de carro é de um para 5 mil. Já em um acidente de avião as chances são de um para 11 milhões. A sensação que temos de que mais pessoas morrem voando é porque a mídia tende a noticiar acidentes de aeronaves, enquanto os de carros, por serem vários, normalmente são ignorados.

Nos Estados Unidos, entre 1982 e 2010, por exemplo, morreram 3.288 pessoas em causas relacionadas a aviões. A média é de 110 pessoas por ano — incluindo aeronaves particulares.

E os índices estão diminuindo. Enquanto na década de 1950 e 1960 a média de um acidente fatal era de uma a cada 200 mil voos. Hoje é de uma para cada 2 milhões. Dificilmente será com você.

Aviões comerciais são testados à exaustão antes de serem vendidos

O site Business Insider mostra alguns desses testes no vídeo abaixo:

Para testar a flexibilidade da asa, por exemplo, eles a dobram em até 90 graus e testam cada ponto e descobrir se não há nada que a quebraria. Eles ainda fazem uma série de análises para garantir que pássaros e água não irão prejudicar os motores. Os materiais são testados dezenas de vezes para garantir que aguentam altas atitudes e mudanças de temperaturas. Enfim, qualquer potencial ameaça a um avião é averiguada e testada para garantir que ele não oferece riscos.

As máscaras de oxigênio funcionam, mesmo quando parece que não

Quando estão voando a 40 mil pés de altitude (cerca de 12 mil metros), aviões contam com um complexo sistema de refrigeração e pressurização que permite as pessoas continuarem a respirar. No entanto, qualquer interferência externa ou problema pode ser fatal.

Estima-se que, sem pressurização a uma altura de 40 mil pés, as pessoas têm apenas 18 segundos para agir. O importante, nesse momento, é manter a calma e seguir as instruções dadas pelos comissários de bordo em todo voo: priorize, antes de tudo, colocar a máscara em si.

LEIA MAIS
Google Trips e outros aplicativos para organizar e curtir melhor sua viagem

Embora não estejam ligadas a grandes tanques de oxigênio, as máscaras têm um sistema que desencadeia uma reação química capaz de produzir a substância em quantidade suficiente para te manter consciente até o piloto estabilizar a situação.

Aviões podem voar só com um motor e pousar sem nenhum

Muita gente teme que, se o motor falhar, o avião irá cair. Não é bem assim. Um artigo no site Lifehacker explica que, mesmo se um motor falhar, a aeronave é capaz de continuar voando apenas com um.

Ainda se ficar sem nenhum, o piloto poderá tentar planar por um bom tempo até encontrar um local onde possa pousar, como explica o piloto Lim Khoy em seu blog. O Air Transat Fligh 236, por exemplo, já ficou sem os dois motores e conseguiu voar 120 quilômetros para pousar.

Se a ideia ainda te parece assustadora, relaxe: as chances de ambos os motores falharem é menos de um para 1 bilhão de horas.

O ar dos aviões são mais limpos do que parecem

Se o seu problema com aviões é a ideia de que eles estão cheio de germes, relaxe. Apenas metade do ar lá dentro é reciclado. Além disso, ele é filtrado entre 20 e 30 vezes por hora — índice semelhante a de uma UTI de hospital.

Turbulência não são tão perigosas

Por fim, as turbulências que incomodam tanta gente. O Piloto Patrick Smith diz que elas são mais um incômodo do que um risco real. “As condições podem ser irritantes e desconfortáveis, mas o avião não vai bater. Turbulências são um incômodo agravante para todos, incluindo a equipe, mas, na falta de um termo melhor, são também normais. Da perspectiva de um piloto é uma questão um problema normal de conveniência, não de segurança”, escreve em seu blog.

Gostou deste post? Que tal compartilhar:
Últimos
Trend Tags
Array ( [0] => 76 [1] => 222 [2] => 237 [3] => 115 [4] => 17 [5] => 238 [6] => 92 [7] => 125 [8] => 173 [9] => 16 [10] => 276 [11] => 25 [12] => 66 [13] => 67 [14] => 157 [15] => 62 [16] => 153 [17] => 127 [18] => 12 [19] => 19 [20] => 187 [21] => 69 [22] => 154 [23] => 175 )
Vídeos
Copyright © 2016 Free the Essence