Como surgiu e se desenvolveu o belo e complexo nado borboleta
Professional swimmer in swimming pool
Foto: iStock/GettyImages
Unplug > Corpo e Mente

Como surgiu e se desenvolveu o belo e complexo nado borboleta

Kaluan Bernardo em 13 de agosto de 2016

O nado borboleta é, para muitos, o mais desafiador dos estilos de natação. Quando bem executado é tão gracioso quanto complexo. Porém, sem dominar a técnica, sai todo desengonçado. É necessário força para empurrar a água, flexibilidade para enfrentar sua resistência, sincronia para acertar a respiração e agilidade para balançar as pernas.

Mas qual a razão de um nado complexo, cansativo, e um pouco mais lento que o crawl e costas? E quem inventou e como se desenvolveu esse estilo tão peculiar de nadar? A jornalista Marie Doezema, da revista New Yorker, diz: “Essas perguntas são tão difíceis de responder quanto esse nado é difícil de dominar. Assim como outras invenções que mudaram paradigmas, como o jazz e o croissant, o nado borboleta é resultado de uma série de pequenas inovações em vez de apenas uma grande”.

As origens do nado borboleta

Obviamente, o estilo vem de uma evolução do nado de peito. O Hall da Fama Internacional de Natação diz que o inventor do nado borboleta foi o australiano Sydney Cavill, enquanto outros dizem que foi alemão Erich Rademacher, e outros ainda falam no estadunidense Henry Myers.

Todos eles estavam experimentando usar um pouco mais os braços no nado peito na mesma época. Isso porque o uso dos braços faz com que o nado, embora fique mais cansativo, seja mais rápido do que o peito comum. Assim foram precursores pelo menos na parte do braço.

via GIPHY

Leia também:
Três piscinas públicas aquecidas em São Paulo
Alessandro Matero o empreendedor paulistano de esportes aquáticos

Já o movimento das pernas, que se parece com o de um golfinho, foi pensado por um físico chamado Volney Wilson, que estudava no aquário de Chicago. Ele percebeu que enquanto os peixes mexiam suas caldas de um lado para outro, mamíferos como os golfinhos e baleias, mexiam na vertical. A New Yorker conta que ele tentou demonstrar sua técnica e chegou até a se classificar para os Jogos Olímpicos de 1938, mas foi desqualificado porque o movimento foi considerado ilegal.

O crédito pela invenção do movimento das pernas acabou ficando com outro estadunidense, David Armbruster, que popularizou a técnica entre outros nadadores.

Para o movimento das pernas se unir ao novo movimento dos braços demorou pouco.  O Hall da Fama Internacional de Natação diz que o primeiro a unir os dois foi o japonês Jiro Nagasawa. Em 1945 ele bateu recorde internacional com o estilo borboleta e, nove anos depois, a técnica foi oficialmente reconhecida pela Federação Internacional de Natação. Dois anos mais tarde, em 1956, o nado borboleta entrou como uma categoria à parte nos torneios olímpicos.

via GIPHY

O nado borboleta se tornou um dos pontos altos de muitas das competições de natação, já que a dificuldade em dominá-lo é um tanto notável. Nos últimos anos, Michael Phelps, o maior nadador de todos os tempos, levou o nado a um novo patamar, principalmente pelo seu movimento com as pernas, que tem uma fluidez maior do que a maioria dos outros nadadores e faz com que ele consiga enfrentar menos resistência na água.

Gostou deste post? Que tal compartilhar:
Últimos
Trend Tags
Array ( [0] => 76 [1] => 222 [2] => 237 [3] => 115 [4] => 17 [5] => 238 [6] => 92 [7] => 125 [8] => 173 [9] => 16 [10] => 276 [11] => 157 [12] => 25 [13] => 66 [14] => 67 [15] => 62 [16] => 153 [17] => 127 [18] => 12 [19] => 19 [20] => 187 [21] => 69 [22] => 154 [23] => 175 )
Vídeos
Copyright © 2016 Free the Essence