Chris Guillabeau ensina como viajar barato
como viajar barato administrando suas milhas
Foto: iStock/Getty Images
Unplug > Escapadas Urbanas

Aprenda a administrar suas milhas para viajar quase de graça

Diana Assennato em 24 de abril de 2016

Não é preciso ser milionário para viajar bastante. Em seu blog, The Art Of Non-Conformity, o  escritor estadounidense Chris Guillebeau ensina seus leitores as melhores dicas de como viajar barato. O conceito, chamado Travel hacking, nada mais é que a arte de saber usar e gerenciar milhas de voo para conseguir passagens e hospedagem gratuitos ou por preços camaradas.

Guillebeau, que visitou cada país do mundo na última década, explica que não é necessário ser nenhum grande matemático para dominar o Travel hacking. Basta fazer algumas análises simples de onde gastar suas milhas para acumular novas e viajar mais. “Milhas existem para serem gastas, e não acumuladas”, diz Guillebeau.

Além de “The $100 Startup” e “The Art Of Non-Conformity”, é autor dos livros “Born for This” e “The Happines Of Pursuit’. Ele também escreveu seus próprios manifestos, que você pode ler aqui.

Afinal, como viajar barato?

Há três jeitos de conseguir milhas: por linhas áereas, hotéis, ou programas de despesas flexíveis (cartões de crédito). Segundo Guillebeau, a última opção é a melhor.

Hotéis e linhas aéreas possuem tabelas de prêmios (pacotes de viagem ou passagens) que podem ser trocados por milhas. Essas tabelas mudam o tempo todo. Até acumular os pontos necessários, o prêmio que você queria pode já não estar disponível, ou até custar mais caro.

Ganhando pontos de determinadas linhas aéreas e hotéis, você poderá gastá-los apenas com as empresas que contratou. Por outro lado, se optar por usar os cartões de crédito, terá mais opções e poderá gastar os pontos em qualquer destino, sem dependência das tabelas de prêmio.

Leia também: aprenda a viajar barato seguindo quatro passos

 

Outra dica é diversificação na hora de escolher os programas de pontos. Todos temos preferências por destinos, hotéis e companhia aérea, mas abrir o leque de opções não faz mal. Aliás, isso traz mais flexibilidade na hora de montar um roteiro. Pode, também, salvar a sua pele quando você precisar bancar uma viagem inesperada, como o casamento do seu amigo nas Ilhas Canárias.

Relaxe: você também pode e deve ter pontos espalhados pelos programas de despesas flexíveis, mas também nos hotéis e linhas aéreas que mais gosta.

Gaste suas milhas

Grande parte das milhas não expiram, mas elas não devem ficar retidas por mais de dois anos. A cada 18 ou 24 meses, as companhias aéreas e hotéis aumentam a quantidade de pontos necessários para trocar por uma viagem. Assim, as milhas desvalorizam.

Isso não significa que o objetivo é zerar todos os fundos. O segredo é balancear. Gaste e consiga mais milhas na mesma medida. Caso você abra mão de 1500 milhas para comprar passagens, vale a pena se programar para repô-las ao longo do tempo.

 

Gostou deste post? Que tal compartilhar:
Últimos
Trend Tags
Array ( [0] => 76 [1] => 222 [2] => 237 [3] => 115 [4] => 17 [5] => 238 [6] => 92 [7] => 125 [8] => 173 [9] => 16 [10] => 276 [11] => 157 [12] => 25 [13] => 66 [14] => 67 [15] => 62 [16] => 153 [17] => 127 [18] => 12 [19] => 19 [20] => 187 [21] => 69 [22] => 154 [23] => 175 )
Vídeos
Copyright © 2016 Free the Essence