Economia: usar bicicleta é seis vezes mais barato do que carro
unplug escapadas urbanas bicicletas
foto: iStock, Getty Images
Unplug > Escapadas Urbanas

Economia: usar bicicleta é seis vezes mais barato do que andar de carro

Kaluan Bernardo em 3 de maio de 2016

Usar bicicleta é seis vezes mais barato do que carro. Essa é a conclusão de pesquisadores das universidades de Lund e Queensland, em Copenhague, na Dinamarca.

Os estudiosos descobriram que, para cada quilômetro que uma bike roda, o custo acumulado para a sociedade e para o indivíduo é de €0,08; no caso do carro é de €0,50. Se você considerar apenas o custo para a sociedade, a diferença é ainda mais clara: para cada quilômetro rodado por um carro, é necessário desembolsar €0,15; enquanto no caso da bike, a comunidade ganha €0,16.

Veja no vídeo abaixo:

Para chegar nesse número, a pesquisa levou em conta uma série de fatores, como poluição do ar, mudanças climáticas, barulhos, questões de saúde, congestionamento e outros possíveis impactos negativos decorrentes do deslocamento na cidade. O estudo foi conduzido justamente para analisar se o governo de Copenhague deveria investir mais em infraestruturas para bicicletas.

 

Leia também: Noruega investirá R$ 3,3 bilhões em estradas só para bicicletas

Economia individual da bicicleta Vs. gastos com transporte

Deslocamento é um dos principais gastos das pessoas. Levantamentos indicam que o custo para ir trabalhar chega a consumir, em média, 6% da renda do brasileiro. Isso para não falar no tempo: o paulistano, por exemplo,  fica 1h44 preso no trânsito todos os dias. Ambos os dados são de 2015.

Se você anda de transporte público, economizará o preço da passagem. Em São Paulo, dentro de um ano, você pode gastar R$ 2 mil indo só de ônibus para o trabalho; e R$ 3,1 mil indo de ônibus e metrô.

Se você anda de carro, cortará vários outros gastos: o preço elevado do automóvel, a manutenção, o estacionamento, o IPVA, o seguro, entre muitos outros. O site “Meu carro é um monstro” ajuda a calcular as despesas incluindo todas suas variáveis. Um “Fiat Uno Mille” de 2010, comprado em 2012, chega a custar R$ 1.300 por mês ao bolso do motorista.

Já o preço de uma bike razoável para usar todo dia pode custar entre R$ 1.000 e R$ 2.500.

Outras economias da bicicleta

Os pesquisadores da Dinamarca não estão sozinhos. No livro “Bikenomics How Cycling Can Save The Economy” a ativista Elly Blue detalha como as bicicletas podem ajudar na economia das cidades.

Ele defende, por exemplo, que investimento em infraestrutura para mobilidade urbana voltada para bikes também se reflete na área da saúde — uma vez que há menos poluição e as pessoas praticam mais exercícios físicos.

A escritora ainda cita um estudo feito na cidade Portland (EUA), que mostra que, ao dirigir 20% menos do que em outros municípios, os cidadãos gastavam US$ 800 milhões a mais na economia local.

Investir em bike também significa economizar o espaço urbano. Elly critica, por exemplo, o fato de a cidade norte-americana de Houston ser coberta por asfalto — boa parte dele ocupado por carros estacionados.

O artista sueco Karl Jilg fez uma ótima ilustração que mostra o quanto das ruas são tomadas pelo asfalto dedicado aos carros:

Ilustração do artista Karl Jilg imagina as ruas sem o espaço dos carros.

Foto: Karl Jilg/Reprodução

Gostou deste post? Que tal compartilhar:
Últimos
Trend Tags
Array ( [0] => 76 [1] => 222 [2] => 237 [3] => 115 [4] => 17 [5] => 238 [6] => 92 [7] => 125 [8] => 173 [9] => 16 [10] => 276 [11] => 157 [12] => 25 [13] => 66 [14] => 67 [15] => 62 [16] => 153 [17] => 127 [18] => 12 [19] => 19 [20] => 187 [21] => 69 [22] => 154 [23] => 172 )
Vídeos
Copyright © 2016 Free the Essence