Quiz: qual bicicleta comprar para o seu tipo de pedal?
qual bicicleta comprar
Foto: Istock/Getty Images
Unplug > Escapadas Urbanas

Quiz: qual bicicleta comprar?

Diana Assennato em 25 de setembro de 2016

Se você já passou tempo demais tentando escolher uma bicicleta que te faça deixar o carro em casa, este quiz é para você. Nem sempre é fácil entender o que cada tipo de bike pode fazer pela sua rotina ou quais delas suprem as suas necessidades. De fato, não é fácil escolher a sua primeira bike.

Você olha para as ciclovias e não consegue enxergar um padrão entre as que vê passar. Executivos de mountain bike, entregadores de barra forte, hipsters de speedy e bici-boys em fixas, aquelas que não costumam ter marchas nem freios.

Por falta de informação, cometemos dois tipos de erro: compramos a mais barata ou compramos a mais linda, mas não necessariamente a melhor. Vale amor à primeira vista? Claro que sim. Parte da magia de pedalar todos os dias é estar conectado com um objeto que te faça feliz só de olhá-lo. Mas é importante entender as funcionalidades que aquela bicicleta te oferece. Não faz sentido comprar uma mais pesada ou com postura mais “sentada” para subir ladeiras todos os dias, por exemplo.

O que priorizar na hora de comprar uma bicicleta

Conforto não é um item para deixar para o final da lista de prioridades. Pedalar uma bike desconfortável pode minar a sua experiência de comutar pela cidade, que já é bastante estressante e delicada no começo. Pense nisso: quanto maior for a simbiose entre você e a bike, mais seguro você vai se sentir e menos risco você oferece ao trânsito.

Se a ideia for comprar uma bicicleta usada, identifique a medida exata para você. As medidas fazem toda a diferença no pedalar. Bikes pequenas ou grandes demais podem te desanimar a continuar logo de cara (neste artigo da revista Bike Magazine você aprende a fazer as medições necessárias para descobrir o número certo para você).

Se quiser comprar uma bike nova, leve suas dúvidas na bicicletaria e explique exatamente o que você precisa que a bike faça por você. Já pense onde/como irá guardá-la, quantos quilômetros você acha que percorrerá por semana e que tipo de uso fará dela.

Nunca compre uma bike sem antes testá-la, e de preferência mais de uma vez. Se você pensa em comprar a mais barata para “ir testando e ver se gosta”, guarde o seu dinheiro. No começo, prefira pegar emprestada de amigos ou andar com as compartilhadas na cidade e sentir como o pedal se encaixa na sua vida. Comprar uma bike barata também pode comprometer a sua experiência e, em alguns casos, até a sua segurança. Prefira guardar para comprar uma mais bacana depois de criar intimidade com outras bikes.

Tipos de bike

Speedy

Das mais esportivas às mais vintage, as speedy ou estradeiras são elegantes, rápidas e exigem uma postura mais agressiva/esportiva. São bikes apropriadas para o asfalto ou estrada, pois, por serem leves, desenvolvem boa velocidade. Os pneus são mais finos com alta pressão, o que diminui a aderência ao solo. Isso requer maior técnica e prática do ciclista. Não é muito recomendada para iniciantes, uso em pisos escorregadios ou em áreas urbanas, pois o pneu fino e liso, é mais propício a furos.

Se você pretende comprar uma boa speedy, prepare-se para gastar um pouco mais. Aqui o céu é o limite! E se você quiser encarar o ciclismo de estrada como esporte, não se esqueça de reservar um tanto para os acessórios como pedais com clip, sapatilha e capacete.

Fixa

As “fixies”, como também são conhecidas, surgiram para serem bicicletas de velódromo, onde o importante é manter uma pedalada acelerada sem interrupções. Por serem leves e de manutenção simples, essas bikes ficaram mais populares em grandes centros urbanos depois de terem sido adaptadas para as ruas por ciclistas mensageiros de Nova York e São Francisco, que buscavam agilidade e rapidez na locomoção.

A bicicleta fixa costuma ter a roda “presa”, ou seja, o pedal nunca para de girar, mesmo na descida. Para andar em uma fixa é necessário pedalar o tempo todo, não tem como parar de pedalar ou ficar na banguela. É um tipo de bicicleta que exige prática e muita atenção no começo, mas que se torna muito simbiótica com o ciclista em seguida.

Elas não têm marchas e muitas vezes nem freios, ou apenas o da frente. Costumam ser bicicletas esteticamente mais bonitas e mais baratas, pela simplicidade da sua mecânica.

Urbana

Também conhecidas como “híbridas”, estas bicicletas foram pensadas para serem usadas na cidade, em ruas, ciclovias ou parques.  As urbanas são mais confortáveis, costumam oferecer opções para cestinha ou bagageiro, paralamas, buzina e farol. A postura sobre elas é mais “sentada” do que em bikes mais esportivas, então o desgaste é um pouco menor, apesar delas poderem ser um pouco mais pesadas.

Os pneus são mais finos do que uma mountain bike, mas mais grossos do que uma speedy, e os selins são mais confortáveis também.  É uma boa bicicleta para quem está começando, pois oferece maior estabilidade e segurança, por conta da postura. Por outro lado, essa mesma geometria dificulta um pouco a subida de ladeiras ou pedais mais rápidos.

Mountain bike

As queridinhas dos brasileiros, as mountain bikes, chamadas também de MTBs ou bicicletas de montanha, são as mais vendidas no país. Aqui, elas acabam sendo usadas para qualquer relevo ou condição, mas o seu uso mais adequado é para trilhas em terrenos irregulares e acidentados, estradas de terra e lama. Os pneus são largos e com cravos, para oferecer maior aderência a terrenos acidentados e uma pedalada mais estável.

Elas costumam ser confortáveis na cidade porque normalmente são bikes com algum tipo de amortecimento, mas o seu peso e a sua geometria não são ideais para o deslocamento urbano. Seus modelos costumam ser mais esportivos e “parrudos”.

Elétrica

Por serem mais caras, as elétricas são sempre uma grande dúvida na hora de investir. As elétricas são movidas parcial ou completamente por um motor elétrico alimentado por baterias que você pode recarregar. A sua função principal é deixar o pedal menos pesado para quem não tem tanto preparo físico ou para quem encara muitas ladeiras, mas também funciona para transporte de mercadorias e pessoas.

Em geral, elas possuem sensores que ativam o esforço elétrico só quando o ciclista está pedalando. Com velocidades de cerca de 25 km/h, a autonomia da maioria das bicicletas elétricas pode chegar de 30 km/h a 40 km/h.

Leia também:
Como andar de bicicleta em grandes cidades
Bike Anjo ajuda a quem quer pedalar com segurança pela cidade
Usar bicicleta é seis vezes mais barato do que andar de carro

Dobrável

Uma invenção genial para a vida na cidade, as bikes dobráveis são uma solução prática para quem mora em pequenos apartamentos e não pode deixar a bike na rua, mas também para quem combina o pedal com outros modais no transporte diário, como metrô, ônibus ou táxi. A praticidade de poder levar a bike no transporte público acaba convencendo muitos ciclistas, que não se importam em abrir mão do desempenho.

São bikes não tão rápidas e menos confortáveis para períodos longos, mas muito funcionais. Atenção na hora de comprar: por apresentar uma série de peças articuladas que fecham e abrem o tempo todo, opte pela qualidade. Peças de qualidade inferior podem desgastar a sua bike e minar o seu pedal.

Se tudo o que você precisa é um empurrãozinho, vem fazer esse teste e descubra o primeiro passo para uma mudança de vida: qual é a bike certa para você?

Gostou deste post? Que tal compartilhar:
Últimos
Trend Tags
Array ( [0] => 76 [1] => 222 [2] => 237 [3] => 115 [4] => 17 [5] => 238 [6] => 92 [7] => 125 [8] => 173 [9] => 16 [10] => 276 [11] => 157 [12] => 25 [13] => 66 [14] => 67 [15] => 62 [16] => 153 [17] => 127 [18] => 12 [19] => 19 [20] => 187 [21] => 69 [22] => 154 [23] => 175 )
Vídeos
Copyright © 2016 Free the Essence