Desacelerar é preciso: lugares para fazer uma pausa em São Paulo
desacelerar
Pico do Jaraguá Foto: Istock/Getty Images
Unplug > Escapadas Urbanas

Desacelerar é preciso: 7 lugares para fazer uma pausa em São Paulo

Kaluan Bernardo em 6 de janeiro de 2017

São Paulo, a cidade que nunca dorme, é conhecida pela sua intensa agenda cultural, prédios, asfaltos, poluição, correria, trânsito, contrastes sociais e diversidade de pessoas. E, é claro, pelo seu estresse. É necessário desacelerar.

A cidade tem o maior índice de perturbações mentais do mundo, segundo a Organização Mundial da Saúde (OMS). A organização afirma que quase 30% dos habitantes das Região Metropolitana de São Paulo apresentam transtornos mentais.

A maioria deles, dizem os pesquisadores, são causados pelo estresse relacionado à rápida urbanização e deterioração da saúde pública.

Felizmente, a mesma cidade que oferece esse estresse diário, também tem seus refúgios, seus oásis possíveis, onde é possível escapar e dar uma relaxada – seja sozinho, para meditar, seja com amigos e a família, para contemplarem a natureza juntos.

Onde desacelerar em São Paulo

jardim-botanico_carlos-varela

Jardim Botânico. Foto: Flickr/Carlos Vilela

agua-branca-foto-catia-toffoletto

Parque Água Branca Foto: Flickr/Catia Tofolleto

Praça do Por-do-Sol

Praça do Pôr do Sol Foto: Flickr/Marlon Dias

desacelerar

Pico do Jaraguá Foto: Istock/Getty Images

parque-do-carmo

Parque do Carmo Foto: Wikimedia Commons

parque villa lobos_marcos-nozella

Parque Villa Lobos. Foto: Flickr/Marcos Nozella

Parque Ibirapuera

Parque Ibirapuera Foto: Istock/Getty Images

Praça Pôr do Sol

No meio do bairro de Pinheiros, a praça, como o nome indica, é excelente para ver o sol se pondo. Se não estiver barulho demais por lá, é uma ótima opção para meditar e pensar na vida enquanto se aprecia uma bela vista.

Parque da Água Branca

Na Barra Funda, o parque é ideal para quem gosta de praticar esportes ao ar livre e relaxar. Ele tem um belo aquário, arena de concreto e espaço para leitura. Normalmente é mais vazio do que outros parques como o do Ibirapuera e o Villa-Lobos.

Pico do Jaraguá

Um dos pontos mais altos da cidade tem uma trilha com 1.450 metros de extensão, cheio de natureza e que te leva ao melhor mirante da cidade. Ótimo lugar para ver o pôr do sol e meditar.

Jardim Botânico

Criado graças à paixão do naturalista brasileiro Frederico Carlos Hoehne pela botânica, em 1928, o local tem uma série de atrações como o museu botânico, escadarias históricas, estufas de plantas, jardim dos sentidos, trilhas e riachos. É, sem dúvidas, um dos lugares mais belos de São Paulo. Não é preciso nem se esforçar para relaxar por lá. E se depois do passeio você quiser conhecer mais natureza, é possível dar um pulo no Jardim Zoológico, que fica ao lado.

Parque do Ibirapuera

O mais conhecido parque da cidade de São Paulo, inaugurado em 1954. São 1.584 km² de área verde, artes modernas, lagos, espaços para shows, quadras esportivas, famílias, bicicletas e tudo o que há de melhor num parque. Aos domingos ele pode ficar muito cheio, dificultando o relaxamento. Mas pela manhã ou à noite em dias de semana, o Ibirapuera pode ser uma boa pedida para ficar sozinho e em paz.

Parque Villa-Lobos

Para quem depende do transporte público, o Parque Villa-Lobos tem uma vantagem importante: ele fica ao lado de uma estação de trem (a Villa-Lobos Jaguaré, na Linha Esmeralda da CPTM). Inaugurado em 1994, o parque tem quase metade do tamanho do Ibirapuera: 732 km². Diferente dos outros parques, ele aposta mais em áreas abertas e longos campos de gramado, o que o torna ideal para passeios com animais ou prática de esporte. Ele também tem um ótima ciclovia, cujo passeio pode continuar pelos arredores.

Parque do Carmo

O Parque do Carmo tem quase o mesmo tamanho do Ibirapuera: 1.500 km². Na Zona Leste de São Paulo, no bairro de Itaquera, ele foi inaugurado em 1976 e tem bastante área verde — seu bosque tem mais de 2.300 espécies de árvores. Outro atrativo do parque, bom para relaxar, é o planetário. Por fim, um elemento que garante muita paz: o ambiente é cheio de pássaros, com todos os tipos de cantos.

Como ter uma rotina saudável

Se você gostou dos lugares acima, frequente sempre que puder. Mas, saiba, que o ideal é mudar e ter uma rotina realmente saudável, cuidando do condicionamento físico e dormindo o melhor que pode. São várias as pequenas atitudes que podem contribuir para que o corpo e a mente fiquem equilibrados.

LEIA MAIS
Playlists do Brain.fm ajudam a relaxar, dormir e a ter foco
LEIA MAIS
Como dormir bem: dicas que vão te ajudar a combater a insônia

Você deve cuidar da alimentação, evitando o jejum prolongado e procurando variar o máximo possível nas refeições. Deve-se comer de três em três horas e sempre ter uma fruta consigo.

Também lembre-se de praticar atividades físicas, como esportes, pilates ou artes marcais. Ajuda a evitar doenças no coração, melhora a capacidade respiratória e te deixa mais disposto.

Por fim, cuide para que sempre durma o necessário. O normal para um adulto é entre sete e oito horas por dia. Pode variar para cada indivíduo, mas garanta que você não está se enganando só para entrar na correria outra vez.

Gostou deste post? Que tal compartilhar:
Últimos
Trend Tags
Array ( [0] => 237 [1] => 205 [2] => 76 [3] => 222 [4] => 157 [5] => 12 [6] => 249 [7] => 94 [8] => 97 [9] => 267 [10] => 68 [11] => 115 [12] => 186 [13] => 17 [14] => 173 [15] => 175 [16] => 238 [17] => 62 [18] => 92 [19] => 276 [20] => 236 [21] => 25 [22] => 153 [23] => 125 [24] => 16 )
Vídeos
Copyright © 2016 Free the Essence