4 heróis da Marvel que mudaram para representar minorias
capitao america
Foto: Divulgação
Unplug > Inspire-se

4 heróis da Marvel que mudaram para representar minorias

Kaluan Bernardo em 17 de janeiro de 2017

A Marvel está, há tempos, mostrando que os quadrinhos não são apenas para um nicho de fãs aficcionados — eles são para todos. Isso inclui brancos, negros, latinos, homens, mulheres, LGBTQ… todos. Por isso, há uma preocupação cada vez maior com a representatividade em seus personagens.

A editora tem personagens pertencentes a minorias há décadas. Mas foi nos últimos anos em que eles passaram a investir mais nisso e colocarem seus protagonistas como negros, mulheres e latinos.

LEIA MAIS
4 quadrinhos que mostram diferentes realidades do Brasil
LEIA MAIS
Marcelo D'Salete e a representação do negro nos quadrinhos

“Nós queremos lembrar as pessoas que qualquer um pode pegar o manto. Capitão América não é uma raça, Capitão Marvel [também conhecido por Shazam] não é um gênero. Nós queremos garantir que é tudo sobre as ideias e o que elas representam”, diz a diretora de conteúdo e desenvolvimento de personagens da Marvel, Sana Amanat, à CNN.

Um exemplo recente foi a transformação do Homem de Ferro, que agora é, na verdade, uma mulher e africana. Diferente de Tony Stark, Riri Williams não nasceu em berço de ouro, mas isso não a impediu de ser uma cientista tão brilhante e sagaz quanto seu precursor.

“Tem mais a ver do que a personalidade de Riri Williams do que qualquer outra coisa. Eu amo o conceito de uma mulher entrando em uma armadura e chutando bundas. Isso é uma imagem muito poderosa para mim”, comenta Sana.

Essa não foi a única grande mudança. Recentemente, o Capitão América se tornou um afro-americano, enquanto Thor agora é uma mulher e o novo Homem-Aranha ainda vive no Brooklyn, mas tem um sotaque porto-riquenho.

Embora as mudanças levantem as críticas de alguns fãs puristas, que dizem que estão alterando a “essência” dos personagens, as mudanças têm sido bem recebidas por um mundo, que vai muito além de estadunidenses brancos, que também quer se ver representado em seus heróis favoritos.

Thorina

Jane Foster está nos quadrinhos da Marcel desde 1962. Mas, até 2015, foi apenas coadjuvante. Até que em 2015 conseguiu levantar o martelo de Thor e tornou-se deusa do trovão. Foto: Divulgação

homem aranha

Miles Morales torna-se o Homem-Aranha em 2011, após a morte de Peter Parker. Além de negro, ele é latino. Criado por Brian Michael Bendis e Sara Pichelli, o herói teve aprovação de Stan Lee, o criador original do Aranha. Foto: Divulgação

capitao america

Sam Wilson foi o primeiro herói afro-americano do universo da Marvel. Desde 1969, foi um herói coadjuvante, com asas de metal e comunicação com pássaros. Mas foi em 2015 que ele assumiu o lugar de Steve Rogers e se tornou Capitão América, líder dos Vingadores. Foto: Divulgação

mulher-de ferro

Apresentada ao mundo em 2016 por Brian Michael Bendis e Stefano Casseli, a heroína é uma afro-americana de 15 anos, que estuda no MIT. Ela cria armadura semelhante à do Homem de Ferro e é incentivada por Tony Stark a sucede-lo. Foto: Divulgação

 

 

Gostou deste post? Que tal compartilhar:
Últimos
Trend Tags
Array ( [0] => 205 [1] => 76 [2] => 237 [3] => 97 [4] => 222 [5] => 62 [6] => 157 [7] => 276 [8] => 12 [9] => 249 [10] => 86 [11] => 94 [12] => 267 [13] => 68 [14] => 16 [15] => 115 [16] => 186 [17] => 17 [18] => 102 [19] => 173 [20] => 175 [21] => 238 [22] => 92 [23] => 236 [24] => 79 )
Vídeos
Copyright © 2016 Free the Essence