Ano sabático: como surgiu, vantagens e como se preparar
ano sabático
Foto: Istock/Getty Images
Unplug > Inspire-se

Ano sabático: como surgiu, vantagens e dicas de como se preparar

Camila Luz em 7 de março de 2017

Tirar um ano sabático parece uma tendência super atual, valorizada em tempos que ultrapassar fronteiras significa não só expandir a mente, mas também aprimorar o currículo. No entanto, não é de hoje que essa atividade é adotada. Até a bíblia destacou a importância de tirar um período de descanso e de interrupção da rotina.

Por definição, o ano sabático é um período em que a pessoa se dedica a algum projeto de vida particular. Para isso, tira uma licença de suas tarefas profissionais e faz o que bem entender: estuda línguas em outro país, faz trabalho voluntário ou estágio em uma empresa no estrangeiro.

Ano sabático não equivale a férias e não está previsto nas leis trabalhistas brasileiras. Por isso, empresas não são obrigadas a concedê-lo para funcionários – e na maioria das vezes, não o fazem. Mas há certas companhias que o encaram como uma oportunidade de crescimento profissional. Nesses casos, o funcionário deve apresentar um projeto e argumentar sobre como esse período de ausência será benéfico para a empresa. Algumas companhias chegam a financiar o ano sabático, enquanto outras nem mesmo pagam o salário, apenas permitem que ele se ausente e tenha a vaga garantida quando voltar.

LEIA MAIS
9 atividades inusitadas para fazer durante o ano sabático
LEIA MAIS
Ano sabático de publicitários vira modelo de negócio

Certas pessoas encaram o ano sabático como uma necessidade para crescimento pessoal, mesmo sem a aprovação da empresa. Há quem junte dinheiro e se demita com o objetivo de viver suas próprias experiências.

Além de profissionais formados, estudantes também tiram anos sabáticos. Durante o colegial, há alunos que escolhem fazer intercâmbio e ficar um ano fora para entrar em contato com uma nova cultura, aprender outra língua e pensar qual carreira desejam seguir.

Outros tiram o ano sabático assim que concluem o Ensino Médio. O objetivo é amadurecer um pouco antes de escolher o curso na faculdade, trabalhar e abrir a cabeça. Há, ainda, os estudantes que escolhem fazer isso durante a graduação, trancando a matrícula.

O ano sabático na história

O ano sabático é descrito no Torá (livro sagrado do povo judeu) como o período de descanso da terra, ordenado por Deus. Durante seis anos, ocorreria a semeadura e o recolhimento dos frutos pelos proprietários. No sétimo, o solo deveria descansar.

O objetivo era oferecer à terra um tempo para se renovar do trabalho exigido pelos homens. Além disso, era a chance dos pobres recolherem os frutos produzidos espontaneamente. Os empregados e animais também mereciam esse período de descanso.

O termo também pode ser relacionado ao sétimo dia de descanso e tem origem na palavra sabá, período entre sexta-feira e sábado, quando os judeus se dedicam ao descanso religioso e não praticam nenhum atividade física.

De certa forma, o descanso não deixa de ser o sentido do período sabático, importante para corpo e mente.

No século 19, essa tradição religiosa começou a ser aplicada em universidades dos Estados Unidos para melhorar a produtividade dos funcionários. O propósito era garantir ao professor um período de afastamento de suas atividades pelo tempo necessário para uma reciclagem profissional.

Já no século 20, o ano sabático começou a ser adotado por empresas durante a década de 50, com o objetivo de motivar funcionários abatidos e sem perspectiva. Ao tirar um período para descansar e investir em seus projetos pessoais, eles voltavam com mais experiência, renovados e mais valorizados.

Na Europa, tirar um ano de férias da educação formal é tradição desde antes da Primeira Guerra Mundial. Christina Schoefer, em um artigo na Spring Magazine, da Universidade de Berkley (EUA), conta que na Alemanha, jovens de famílias privilegiadas faziam grandes turnês pelo continente antes da formatura. Praticavam habilidades linguísticas, faziam contatos úteis e expandiam seus horizontes.

O próprio príncipe Harry, da Família Real Inglesa, tirou um ano sabático em 2004 para fazer trabalho voluntário na África. Sua atitude ajudou a popularizar a prática entre estudantes nos Estados Unidos, que vivem sob muita pressão durante a High School (Ensino Médio) e a universidade.

Como se preparar para tirar um ano sabático

Quem não vai tirar um ano sabático financiado pela empresa deve se planejar bastante antes de tomar a decisão e colocar a mochila nas costas. O primeiro passo é definir um objetivo, como viajar para estudar, passear, trabalhar ou fazer trabalho voluntário.

Foto: Istock/Getty Images

Calcule todos os gastos com antecedência, como hospedagem, transporte, alimentação, visto (se for necessário) e outros custos que podem surgir dependendo da atividade.

Se for estudar, pesquise a possibilidade de conseguir bolsa e fique atento aos prazos de inscrição. Universidades costumam exigir muitos documentos, além de estabelecer prazos para entregar o dossiê e prestar provas.

Sempre leve uma quantia reserva para emergências, mesmo se já estiver com emprego ou bolsa de estudos garantida. Também estude a possibilidade de fazer um seguro saúde. Nunca se sabe o que vai acontecer conosco. Já pensou em quebrar a perna do outro lado do mundo?

Se o seu objetivo for apenas viajar e descansar, sem trabalhar durante o ano sabático, será preciso juntar uma boa quantidade de dinheiro para bancar todo o período. Vender bens materiais, como o seu carro, poderá ser necessário.

Por fim, pense no que fazer quando voltar. Muita gente retorna do ano sabático sem perspectiva e dinheiro. A experiência pode ser transformadora e te impulsionar a seguir uma nova carreira ou mudar de cidade. Mas vale a pena manter as portas abertas no Brasil, como contatos para empregos ou bicos que te sustentem por um tempo.

Ainda não sabe o que fazer durante o ano sabático?

O site Gap Year reúne inúmeras atividades que podem ser feitas durante o período de descanso. É possível selecionar por quanto tempo você quer viajar, para onde quer ir e o que deseja fazer no local de destino.

Você pode optar por trabalhar em outro país, fazer voluntariado ou simplesmente viajar. Uma das opções é ensinar futebol a crianças na ilha de Santa Lúcia, no Caribe. Também é possível trabalhar como au pair na Europa ou em estações de ski no Canadá.

Vantagens de tirar um ano sabático

Historicamente, a lógica do ano sabático é simples: após um ano de descanso, o solo estará melhor para ser cultivado, e a pessoa mais disposta a fazê-lo. O objetivo principal é dar uma pausa para recarregar as energias, expandir os horizontes e voltar mais disposto e preparado para o trabalho formal.

O site Ordinary Traveler listou sete outras boas razões para tirar um ano sabático:

1 – Conhecer gente nova

Se você trabalha oito horas por dia, pode se difícil arrumar tempo ou energia para sair do seu círculo social e conversar com pessoas de perfis diferentes do seu.

Durante o ano sabático, é bem possível que você conheça muita gente nova. Se vai para outro país, já é meio caminho andado. Terá que se adaptar a uma nova cultura, fazer novos amigos e novas relações de estudo ou de trabalho. Se vai usar o tempo para se dedicar a um novo projeto, totalmente diferente do que está acostumado, as chances de se relacionar com outros tipos de pessoas também são altas.

2 – Aprender novas habilidades

Ao tirar um ano sabático, você terá tempo para aprender novas habilidades – e esse é um dos objetivos do período de descanso. Sempre quis aprender marcenaria? A pintar? Falar outra língua?

As habilidades conquistadas durante o ano sabático poderão fazer a diferença na sua carreira ou indicar um novo caminho profissional.

ano sabático

Foto: Istock/Getty Images

3 – Perseguir outros interesses/Encontrar sua verdadeira paixão

Você tem um hobby, mas sente que nunca tem tempo de se dedicar a ele? Aproveitá-lo melhor pode ser um forma de descobrir que aquele passatempo é o que você ama fazer de verdade.

Fotografar, escrever, ensinar futebol para crianças… o ano sabático é o período ideal para se dedicar ao que te dá mais prazer e transformar esse hobby em um objetivo de vida.

4 – Rejuvenescer

Trabalhar demais, viver estressado, não se alimentar bem, não dormir direito e comer mal são venenos para a saúde. O ano sabático pode ser uma excelente oportunidade para dar ao seu corpo e mente o descanso que eles merecem.

Muita gente tem dificuldade em diminuir o ritmo quando está preso na rotina. Uma ruptura mais severa ajuda a enxergar o que está fazendo mal e a preservar o que importa, como relações saudáveis, sair para correr no final da tarde ou se desligar do celular fora do horário de trabalho.

5 – Aprender sobre si mesmo e ganhar confiança

Sem toda a loucura da rotina, é mais fácil mergulhar no seu subconsciente e descobrir o que te faz bem. Tirar um tempo para se conhecer melhor nunca é má ideia.

Deixar o emprego ou a educação formal pode ser assustador, mas sair da zona de conforto pode te ajudar a descobrir uma força que você não sabia que tinha. Consequentemente, sua autoconfiança será fortalecida.

6 – Experimentar o mundo

Viajar por longos períodos é diferente de fazer turismo durante as férias. Te dá a oportunidade de conhecer outras culturas e formas de viver. Muitas vezes, enxergamos a vida sempre a partir da mesma perspectiva. Acreditamos que nossos problemas são gigantescos e criamos julgamentos. Viajar pode nos ensinar a criar empatia e olhar de outra perspectiva para nossos problemas, qualidades e defeitos.

7 – Aproveitar a vida enquanto ainda é jovem

Juventude, nesse caso, é um conceito relativo. A ideia é aproveitar para fazer certas rupturas enquanto ainda há saúde e disposição. Quem não tem filhos e outras responsabilidades similares deve aproveitar a juventude para fazer o que tem vontade. Deixar para a época da aposentadoria é uma possibilidade. Mas sempre há riscos, então a dica é aproveitar o tempo que está disponível agora.

Sempre um risco

Tirar um ano sabático não é uma decisão fácil. Exige planejamento e coragem. Sempre há o risco de se demitir e não encontrar outra vaga de emprego tão boa quanto, por exemplo. Há ainda quem não se adapte a passar um ano viajando e prefira voltar antes do tempo.

Além disso, o ano sabático é uma atividade elitizada, já que exige uma reserva financeira mínima e a possibilidade de abrir mão de certas responsabilidades. Mas se existe a opção de tirar um ano sabático, considere-a com carinho. Vencer o medo de sair da sua zona de conforto pode ser o que está faltando para mudar sua vida, para melhor.

Gostou deste post? Que tal compartilhar:
Últimos
Trend Tags
Array ( [0] => 205 [1] => 76 [2] => 157 [3] => 12 [4] => 237 [5] => 97 [6] => 249 [7] => 222 [8] => 62 [9] => 276 [10] => 259 [11] => 86 [12] => 267 [13] => 94 [14] => 68 [15] => 16 [16] => 167 [17] => 115 [18] => 186 [19] => 17 [20] => 102 [21] => 135 [22] => 173 [23] => 238 [24] => 175 )
Vídeos
Copyright © 2016 Free the Essence