As melhores palestras do TEDxSãoPaulo
Crane_Drinkfinity_TEDxSP-6-
Foto: Fernando Alexandrino
Unplug > Inspire-se

O que rolou no TEDxSãoPaulo

Camila Luz em 7 de junho de 2016

Auto-update, jogos coperativos, criatividade, cor da pele, a diferença entre “jogar” e “brincar”, ioga para crianças e o poder do ócio foram algumas das conversas inspiradoras que ocuparam a programação do TEDxSãoPaulo na última segunda-feira, dia 6 de junho. O evento foi focado em educação e trouxe nomes de peso para o palco.

Fizemos uma seleção das melhores palestras que rolaram no evento.

Estela Renner

estela renner

Foto: Arquivo Pessoal

A cineasta e diretora acredita que, para construir um novo mundo, é preciso mudar o olhar a respeito da formação das crianças. “Muito Além do Peso”, um de seus documentários de sucesso, fala sobre a questão da obesidade na infância.

Seu novo trabalho, “O Começo da Vida”, é focado nos três primeiros anos de uma criança e na importância deles para a formação do ser humano. Conceitos como liberdade, criatividade, empatia e igualdade de gênero são construídos durante esse período.

Estela viajou por nove países e frequentou casas de famílias com hábitos culturais e condições sociais diferentes. Tanto a modelo Gisele Bündchen, uma das mulheres mais ricas do mundo, quanto Phula, uma menina indiana que cuida sozinha dos irmãos em meio a uma obra em construção, são retratadas no documentário.

 

Clóvis de Barros Filho

Quando estamos no Ensino Fundamental, esperamos pela liberdade do Ensino Médio. Quando chegamos ao colegial, devemos nos preparar para o vestibular e aguardar pelas alegrias da vida universitária. Na faculdade, o importante é arrumar um estágio e se dedicar ao máximo para ser efetivado. Quando temos a carteira assinada, nada de descanso. Devemos lutar pela primeira promoção. Quando chegamos ao topo da empresa, devemos trabalhar duro. Afinal, as responsabilidades são muitas. O melhor da vida virá na aposentadoria!

Por meio dessa brincadeira, o professor Clóvis de Barros Filho quer mostrar que a geração de hoje não vive o agora. A vida está em cada segundo e é preciso aproveitá-la da melhor forma possível. O momento feliz é aquele que fica na memória e merece ser repetido.

Veja as lojas Drinkfinity

Camila Agone

Camila Agone

Foto: Arquivo Pessoal

Qual é o lugar que você quer ocupar no mundo? É com essa pergunta capciosa que Camila Agone começa sua palestra. Ela tem apenas 18 anos, foi aluna do ensino público paulistano a vida inteira e já tem uma descoberta científica em seu currículo: a partir da Embaúba, uma árvore endêmica no Brasil, desenvolveu uma pomada cicatrizante.

Camila estudou em uma das piores escolas de sua região. Quando teve a oportunidade de mudar para um colégio público melhor, entrou para o projeto Protagonismo Juvenil. Era estudante de destaque e decidiu cursar a matéria pré-iniciação científica. Conheceu a Embaúba em uma praça perto da sua casa. Constatou que sua planta tinha propriedades cicatrizantes, mas que isso não ainda não havia sido provado cientificamente. Após muitos testes e muito estudo, desenvolveu a pomada, pela qual ganhou diversos prêmios. Hoje, cursa engenharia de energia na faculdade e pretende desenvolver as fontes de energia renováveis existentes no Brasil.

 

Camila Achutti

Para Camila, no mundo digital, não faz sentido ensinar decoreba para crianças na escola. Melhor do que isso é ensiná-las a utilizar a tecnologia de forma crítica.

A alfabetização digital é tão importante quanto ensinar a ler e escrever. A linguagem do século XXI é a de programação. Crianças precisam aprender a desenvolver aplicativos e também devem entender que “dar um share” significa mais do que simplesmente apertar um botão.

 

Angélica Dass

foto da Angelica Dass no projeto humanae

Angelica Dass, projeto humanae. Foto: Reprodução/Humanae

Canela, mel, iogurte, amendoin, pudim de leite… estes foram alguns dos termos usados pela fotógrafa Angélica Dass para descrever as cores da família onde cresceu, formada por negros, brancos e mulatos. “Crescendo nessa família, a cor não tinha a menor diferença, mas nunca entendi como só existia só um lápis ‘cor da pele'”, comentou durante a sua palestra.

Angélica é a criadora do projeto fotográfico que rodou o mundo chamado Humanae, que ela descreve como “uma espécie de jogo para desestruturar os nossos padrões estéticos”. O seu projeto consiste em fotografar pessoas diferentes (de empresários da lista Forbes a refugiados) e descobrir o seu pantone a partir de uma área pequena de sua pele. O seu objetivo é mostrar as nuances de todas as raças e ajudar a mudar a forma como nos vemos uns aos outros.

 

Luis Junqueira

Economista de formação e profissão, Luis largou tudo para virar professor. Sua palestra começou tímida, mas terminou sendo ovacionado pela plateia do TEDxSãoPaulo. Ao apresentar o seu projeto “Primeiro Livro”, focado em desenvolver a cultura da escrita entre estudantes brasileiros de todas as classes, Luis compartilhou histórias emocionantes de crianças que viram no projeto uma possibilidade de reescrever a sua própria história.

O projeto, que já foi implementado inclusive entre internos da Fundação Casa, quer ajudar jovens a desvendar os mistérios da identidade literária, passando pelo árduo percurso da prática usando a liberdade de expressão como motor.

O professor trabalha a produção literária com seus alunos durante o ano letivo. As aulas incluem conversas sobre construção de personagens, estilos e gêneros. Depois, os alunos começam a escrever suas ideias e passam a trabalhar em seus próprios livros, que são lançados como best-sellers com direito até a noite de autógrafos.  Luis deixou clara a sua principal mensagem ao final da palestra: “Colocamos as crianças sempre em uma posição cronicamente passiva. Precisamos conversar com os adultos”.

 

Bel Pesce

Bel Pesce

Foto: Reprodução/Facebook

Quem já assistiu a alguma de suas palestras conhece a força de sua presença no palco. Desta vez não foi diferente: a empreendedora trouxe ao evento uma conversa inspiradora sobre o conceito de “Auto-Update”, ou a capacidade de se atualizar no mesmo ritmo que o mundo sem necessariamente gerar ansiedade.

Ela dividiu sua metodologia em algumas etapas:

1- O poder do vínculo

Peça permissão para ser intenso e conecte-se sempre com a sua verdade.

2- O poder da observação

De tudo podemos tirar uma referência de melhoria para o nosso próprio universo.

3- Hierarquização zero

Momentos cruciais na vida não avisam quando vão chegar, portanto não hierarquize o seu tempo. Tudo é igualmente importante e merecedor da sua atenção.

4- Permita-se

Recrie o mundo em busca de sua melhor versão e esteja vulnerável. Só assim você terá disponibilidade para crescer.

5- Go Big or Go Home

O quanto você quer algo e porquê? Faça algo que valha a pena ou nem comece. Aprenda a respeitar “o grande  do outro” e não tenha medo de testar.

6- O que fica?

De tudo o que você faz: o quanto é seu e o quanto é para os outros? Como desencanar do que não funciona?

 

David Arzel

Professor de ioga especializado em crianças e praticante da modalidade desde criança, David ensina os seus filhos desde que são bebês. É fundador da Yoga for Kids e participa do projeto Yoga for All, dando aulas para crianças em parques públicos de São Paulo.

David iniciou a sua palestra com a frase do Dalai Lama: “Se todas as crianças de 8 anos aprenderem a meditar, eliminaremos a violência do mundo em uma geração”.

Clique aqui e saiba mais sobre o TEDxSãoPaulo 2016.

O TEDxSãoPaulo é patrocinado pela Drinkfinity, marca que também oferece o conteúdo de Free The Essence.

Gostou deste post? Que tal compartilhar:
Últimos
Trend Tags
Array ( [0] => 76 [1] => 222 [2] => 237 [3] => 115 [4] => 17 [5] => 238 [6] => 92 [7] => 125 [8] => 173 [9] => 16 [10] => 276 [11] => 157 [12] => 25 [13] => 66 [14] => 67 [15] => 62 [16] => 153 [17] => 127 [18] => 12 [19] => 19 [20] => 187 [21] => 69 [22] => 154 [23] => 175 )
Vídeos
Copyright © 2016 Free the Essence