Afrofuturismo: o que é, qual a importância e quem são seus expoentes
Afrofuturism
Foto: Reprodução/W Magazine
Unplug > Interventores

Afrofuturismo: o que é, pessoas mais importantes, expoentes no Brasil

Aretha Yarak em 26 de setembro de 2017

O afrofuturismo é um movimento estético, cultural e político que toma como base a criação de uma narrativa especulativa sobre as experiências vividas pelas populações negras de todo o mundo. As obras carregam influências fortes da ficção científica, do hiperrealismo, da literatura fantástica e das mitologias africanas. O resultado é uma estética psicodélica que abusa da tecnologia.

O movimento afrofuturista nasceu na década de 1960, ainda sem um estilo definido, em paralelo à efervescência da cultura beatnik e chegou a inspirar grandes nomes, como o músico Miles Davis. A menção direta ao nome pelo qual o movimento ficou conhecido, no entanto, foi feita pela primeira vez em 1994 com o ensaio Black to the Future (Negro para o Futuro, em tradução livre), do escritor Mark Dery.

Nos últimos anos, o afrofuturismo vem ganhando força por meio de artistas como Erykah Badu, FKA Twigs, Janelle Monáe e Rihanna. O movimento inspirou ainda desfiles de grifes consagradas no mundo da moda, como Givenchy e Calvin Klein. Em uma análise mais simplista, ele ganha força porque é uma maneira de incluir a raça negra e sua história passada, presente e futura no imaginário social.

“Quanto até em um futuro imaginado as pessoas não conseguem cogitar a presença de um negro, algo precisa ser feito”, comentou, em entrevista ao jornal americano The New York Times, Ytasha L. Womack, autora do livro Afrofuturism: The World of Black Sci-Fi and Fantasy Culture (Afrofuturismo: O Mundo do Sci-Fi da Cultura Fantástica Negros). Quer conhecer melhor o movimento? Confira algumas das principais dúvidas sobre essa vertente.

O que é o afrofuturismo?

Nascido na década de 1960, o movimento faz uma releitura da tradição africana e das experiências e dificuldades surgidas com a diáspora da África sob uma ótica futurista, com elementos hi-tech e até psicodélicos. O objetivo é estimular o debate e a análise da cultura negra em seu momento presente, mas sempre de olho no passado e na sua inclusão no futuro imaginado pela ficção científica.

Qual a importância do afrofuturismo?

Em entrevista sobre a Mostra Afrofuturismo, da qual foi curadora em 2015, a jornalista, professora e pesquisadora Kênia Freitas afirma que o movimento é fundamental no contexto atual porque reivindica para os negros e negras a narrativa de suas histórias.

É um processo que começa pela imaginação de novos futuros, mas que contamina as narrativas do presente e do passado. Pois a partir do momento que é possível assumir a autonomia dos discursos do futuro, é possível travar as lutas do presente — do planejamento e contestação desse futuro

Quem são as figuras mais importantes do movimento?

O afrofuturismo reúne várias figuras importantes nos mais diversos setores da arte e cultura. Algumas das referências, no entanto, são Octavia Butler, Ytasha Womack, Basquiat, Spike Lee, Project Tribe, DaoLondon, Parliament, Funkadelic, Grace Jones, Jimi Hendrix, Miles Davis, Janelle Monáe, Erykah Badu, FKA Twigs e Rihanna.

Com a internet, o movimento ganhou força divulgando o trabalho de artistas plásticos e designers que, embora fossem considerados referência, ficavam restritos a seus locais de origem e com pouca visibilidade. Caso de Antonio Lopez, artista pioneiro no gênero. Nas décadas de 70 e 80, suas ilustrações de moda estampavam um elenco multirracial com figuras robóticas e astronautas em uma espécie de terra do amanhã. Na leitura de críticos, a arte de Lopez cria um novo futuro, em que raça e gênero são fluídos e as desigualdades sociais são corrigidas ou transcendidas.

Qual a importância do cenário hi-tech e da ficção científica para o afrofuturismo?

A autora Ytasha L. Womack discute em seu livro como a exclusão da raça negra do contexto social pode ser percebido também quando a cultura mainstream imagina o futuro. Para ela, a ausência (ou o esquecimento) social do negro é tamanha que ele não consegue nem ser incluído quando inventamos um futuro. E isso se torna evidente na escassez quase completa de personagens negros nas obras de ficção científica, particularmente no cinema.

LEIA MAIS
Marcelo D'Salete e a representação do negro nos quadrinhos
LEIA MAIS
Especial: empoderamento negro e combate ao racismo é todo o dia

“Embora fosse divertido ser a garota do espaço sideral na minha imaginação, era importante para mim que eu conseguisse me enxergar ou ver outros negros nessa era espacial, no épico galáctico”, contou ao NYT. Segundo ela, essa exclusão das minorias da dita “sabedoria pop” acabou responsável por plantar uma semente da exclusão no imaginário de incontáveis jovens negros, que também desejavam se ver dentro das naves espaciais.

E o papel do afrofuturismo busca justamente essa inserção da imagem do negro em todos os aspectos sociais, inclusive como parte ativa do futuro da humanidade. “Esses jovens conseguem, agora, se verem em ambientes expansíveis, tanto tecnologicamente como nos costumes sociais e de gênero”, comentou o artista gráfico nova-iorquino Tim Fielder em entrevista ao NYT.

Quem são os representantes do afrofuturismo no Brasil?

Apesar do movimento existir há duas décadas, ele ainda é relativamente novo por aqui. Em 2015, a mostra “Afrofuturismo – cinema e música em uma diáspora intergaláctica”, realizada na Caixa Belas Artes, em São Paulo, foi um importante ponto de partida para alavancar as discussões e o crescimento dessa vertente no Brasil. Entre os primeiros trabalhos nacionais, entretanto, estão os longas “Bom dia, eternidade”, uma ficção hiperrealista sobre o cotidiano de uma família negra paulista, e “Branco Sai, Preto Fica”, uma releitura da brutalidade policial ocorrida em Ceilândia (DF).

Gostou deste post? Que tal compartilhar:
Últimos
Trend Tags
Array ( [0] => 205 [1] => 76 [2] => 157 [3] => 12 [4] => 237 [5] => 97 [6] => 249 [7] => 222 [8] => 62 [9] => 276 [10] => 259 [11] => 86 [12] => 267 [13] => 94 [14] => 68 [15] => 16 [16] => 167 [17] => 115 [18] => 186 [19] => 17 [20] => 102 [21] => 135 [22] => 173 [23] => 238 [24] => 175 )
Vídeos
Copyright © 2016 Free the Essence